Google+

15 de outubro de 2012

PEUGEOT 408 GRIFFE THP, MOTOR NA MEDIDA CERTA

Fotos: autor



Em 3 de setembro do ano passado publiquei post do Peugeot 408 Griffe, carro que apreciei bastante. Pouco depois, em janeiro deste ano, saiu a mesma versão com motor 1,6-litro turbo em acréscimo à de 2-litros de aspiração atmosférica, a qual faltava o AE avaliar. Todas as características do modelo em versão Griffe foram descritas nesse post anterior, de modo que, para não ser repetitivo, neste vou focar no motor e em outras diferenças pertinentes.

Além do motor turbo com interresfriador de injeção direta, só a gasolina,  de 165 cv a 6.000 rpm e 24,5 m·kgf a 1.400 rpm, ante o aspirado de 151 cv a 6.250 rpm e 22 m·kgf a 4.000 rpm (flex, números com álcool), este Griffe, como antes, só é oferecido com câmbio automático. Mas agora é um seis-marchas em vez de quatro, também com operação manual seqüencial pela alavanca alternativamente à automática (para frente sobe marcha). O novo câmbio é outro ponto alto do carro. Inclusive pelo bloqueio do conversor de torque da 2ª à 6ª, somente em 3ª e 4ª no 4-marchas de antes.

O Griffe 1,6 turbo custa R$ 75.990. Por ocasião do teste anterior o preço do 408 Griffe 2-litros era R$ 79.900, mas hoje é R$ 75.300 com a redução do IPI. Portanto, a versão ora avaliada está R$ 690 mais cara por conta dos novos motor e câmbio. Só houve um truque da Peugeot, tirar o ajuste elétrico do banco do motorista da lista de itens de série e passá-lo a opcional, por R$ 2.000, o que torna o 408 Griffe THP R$ 2.690 mais caro na realidade. Aliás, é o único opcional. Não é propriamente uma pechincha, carros no Brasil são caros, mas por R$ 75.990, considerando tudo o que oferece, o 408 Griffe THP é um sedã dos mais atraentes.

Os dois 408 Griffe pesam exatamente o mesmo, 1.527 kg. O bloco do motor 2-litros é de ferro fundido e o do 1,6, de alumínio, mas turbocompressor, interresfriador e outros acessórios contribuem para o empate. A aceleração 0-100 km/h melhorou bem, de 11,9 para 8,3 segundos, em razão do maior torque e numa rotação bem mais baixa, o que resulta em maior potência disponível em baixo giro. A velocidade máxima subiu de 208 para 213 km/h.

A elegância discreta de um interior

O consumo é bem contido, por 9,5 a 10 km/l na cidade e 14,5 a 15 km/l em estrada, pelo computador de bordo. Nesse ponto a união de superalimentação e injeção direta dá seu bônus. No Griffe anterior informei consumo médio de 11,9 km/l, conforme publicação do catálogo suíço Automobil Revue, nesse caso com gasolina européia sem álcool.  A capacidade do tanque de todo 408, 60 litros, proporciona boa autonomia e tranqüilidade na maioria das viagens.

Por falar nisso, na portinhola do tanque há recomedação de abastecer com gasolina de maior octanagem, tipo premium. Para o mesmo motor na Europa é indicado 95 octanas RON como mínimo, que é octanagem da nossa gasolina comum ou aditivada. A premium daqui tem o mesno número de octanas da gasolina Super Plus européia, 98 RON. Cabe um teste com as duas gasolinas para verificar eventuais diferenças de potência (mais) e consumo (menos); farei isso oportunamente.

O câmbio Aisin AT6 contribui bastante para o bom rendimento do motor e da eficiência do carro como um todo. Pela v/1000 em sexta de 46 km/h, ela corresponderia a 4.600 rpm à velocidade máxima, indicação clara de ser atingida em quinta marcha, v/1000 de 36,4 km/h, correspondente a 5.850 rpm . A 120 km/h em sexta o motor está a 2.700 rpm, excelente. A essa velocidade, com vidros fechados, o nível de ruído é incrivelmente baixo, para o que o vidro acústico do pára-brisa certamente contribui.

A lógica do câmbio, epicíclico como a maioria dos automáticos, é bem acertada. Além do citado bloqueio do conversor de torque a partir da segunda, o câmbio interpreta bem as intenções do motorista, como ao acelerar e levantar o pé não haver troca ascendente, o que é mais conveniente também nas subidas de  serra. Funciona muito bem. É possível escolher modo S, que muda o padrão das trocas automáticas, como passar para marcha seguinte em rotação mais alta e trocas mais rápidas, e o "floco de neve" (ideograma do botão), para pisos com pouca aderência, em que o carro arranca em segunda.

Coração valente: 165 cv e 24,5 m·kgf
Mas o dono do espetáculo é mesmo o motor 1,6 THP (turbo high pressure), projeto conjunto PSA e BMW, amplamente compartilhado em modelos Peugeot e Citroën e no MINI, marca da BMW. O 408 Griffe com ele ficou definitivamente melhor e mais agradável. Pega de baixa de uma maneira convincente e até faz o sedã parecer mais leve. Sem contar o fato de ser turbo e não perder potência com a altitude, 1% a cada 100 metros acima do nível do mar (todo carro de motor aspirado tem 8% menos de potência em São Paulo).

Sua faixa útil é ampla e vai até à rotação de potência. Não passando dela porque câmbio passa à marcha imediatamente superior, mesmo em Manual. Apresenta funcionamento bem suave e sua velocidade média de pistão a 6.000 rpm é de 17,2 metros por segundo, número que pode ser considerado adequado hoje em dia. Tomar parte do "Grande Prêmio do Sinal Verde" é sempre uma satisfação, sentir como um simples sedã de quatro portas fabricado por essas bandas (Argentina) pula à frente.

O gerenciamento do motor é amplo e inclui a carga da bateria pelo alternador, a vazão da bomba de óleo, a a pressão de superalimentação, a válvula termostática, a bomba d’água e a fase do comando de válvulas de admissão, ou seja, tudo comandado segundo uma estratégia definida pelo módulo da comando eletrônico do motor. Isso permite um controle muito mais preciso de seu funcionamento, sem perdas de energia comuns nos motores convencionais. É mesmo o motor que faltava no 408.

Quando eu disse acima que o 408 Griffe THP é um sedã atraente, não exagerei. Espaçoso até no banco traseiro (o túnel do assoalho é relativamente baixo), confortável, rápido, muito bem dotado de equipamentos como o navegador GPS com tela no centro do painel em posição elevada e escamoteável, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro com imagem do carro na tela, teto solar, cinco lugares com apoio de cabeça e cintos de três pontos e um excepcional porta-malas de 526 litros com tampa articulada por dobradiças pantográficas. 

Tela de 7 polegadas escamoteável
Porta-malas generoso, 526 litros, e dobradiças pantográficas, nada de "pescoço de ganso"

 Há computador de bordo, aviso de manutenção, controle de cruzeiro, controle de áudio por satélite na coluna, limitador de velocidade, ar-condicionado automático duas-zonas e faróis  bixenônio direcionais (15º externos e 22º internos à curva). Os vidros das portas traseiras descem completamente, mas incomodam as saídas de escapamento falsas (foto mais abaixo), não precisava disso.

Amplo espaço no banco traseiro (banco do motorista ajustado para mim) e há três apoios de cabeça e cintos de três pontos

Saídas de escapamento falsas: desnecessário

O bom volante de 380 mm de diâmetro, ajustável em altura e distância, atua a caixa de direção de pinhão e cremalheira com assistência eletroidráulica e correta indexação à velocidade. A frenagem é forte e segura com os quatro freios a disco. Os espelhos externos são amplos, ambos convexos, contam com repetidoras dos indicadores de direção e rebatem-se ao trancar o carro. E como comentado no post do Fiat Punto T-Jet, no uso, as luzes de freio tornam-se piscantes nas frenagens fortes, o que considero mais apropriado do que as luzes do pisca-alerta nessa função de alertar o tráfego à retaguarda de que algo aconteceu à frente.

A suspensão é a hoje trivial combinação McPherson-eixo de torção, toda bem-calibrada e, junto com os pneus Pirelli P7 225/45R17W (estepe, roda de aço com pneu 205/55R16H, guardado dentro), deixa o carro perfeito de curva, mesmo abusando. Quando a coisa se complica o controle de estabilidade e tração está de guarda (pode ser desligado). A fábrica não informou o diâmetro mínimo de curva, mas esterça bem, tomando como referência a minha vaga na garage do prédio. São 2,8 voltas entre batentes.

Percebi desta vez um detalhe de segurança importante: a alavanca de abrir capô só pode ser acessada com a porta aberta; abertura acidental, jamais (me lembrei logo do botão do Toyota Etios perdido, sem identificação, no painel lado esquerdo). Os instrumentos são de fácil leitura, conta-giros na esquerda e marcação das dezenas e centenas no velocímetro ímpares, que gosto mas muitos não. Todavia, gostaria que iluminação fosse vermelho-alaranjada, como em outros Peugeot, pois é branca. E uma faixa degradê no pára-brisa seria mais do que bem-vinda.

Para abrir o capô, só abrindo primeiro a porta; instrumentos são facilmente legíveis

Falando de pára-brisa, os limpadores são do tipo simétrico,.um eixo em cada extremidade, em que as palheta se superpõem, uma varre para cada lado. A palhetas são aerodinâmicas e há uma  solução que achei ótima: estando em funcionamento, ao desligar o motor os limpadores continuam o movimento até estacionarem no lugar previsto. E outra boa solução, que começa a ser vista em outros carros, as três piscadas ao dar seta só no primeiro estágio, em situações como mudança de faixa de rolamento.

Limpadores de pára-brisa simétricos e palhetas aerodinâmicas

Para o pé esquerdo do motorista há uma verdadeira prancha e embora não seja o caso por ser câmbio automático, o punta-tacco é fácil. Para quem não gosta de tapetes (como eu) há bate-pé na região dos pedais, mas para quem gosta de tapetes acessórios originais, há botões de pressão para não de deslocarem.

Quem não quiser usar tapetes adicionais não precisa furar o carpete, há bate-pé: respeito

Os bancos são revestidos de couro e o ajuste do encosto é tipo alavanca e setor dentado que, se não é ideal (é melhor o milimétrico, de botão giratório) pelo menos funciona bem. As cores (oito), que não o branco Banquise, custam R$ 1.100.

Quem gosta e precisa de um sedã médio moderno, espaçoso e seguro encontrará no 408 Griffe THP o que procura, um carro não exageradamente grande (4.690 mm de comprimento) com entreixos de 2.710 mm, pressuposto para boa habitabilidade, combinado com a altura de 1.519 mm e a largura de 1.815 mm.

E como a Peugeot está fazendo força para prestar boa assistência técnica, como a garantia total de três anos e preços de revisões tabelados e uniformes em todo o país, o 408 Griffe THP tem tudo para entrar na lista de desejos do consumidor brasileiro.


BS



FICHA TÉCNICA PEUGEOT 408 GRIFFE THP

MOTOR
Arquitetura
Duplo comando no cabeçote, corrente, 16 válvulas, VVT na admissão, turbocompressor com interresfriador
Configuração/posição
 4 cilindros em linha / transversal
Material do bloco / cabeçote
 Alumínio
Diâmetro dos cilindros (mm)
77
Curso dos pistões (mm
85,8
Cilindrada (cm³)
1.598
Taxa de compressão
11:1
Poência máxima (cv/rpm)
165 / 6.000
Torque máximo (m·kgf/rpm)
24,5 / 1.400
Formação de mistura
Injeção direta
Combustível
Gasolina
Tanque de combustível (l)
60
TRANSMISSÃO
Tipo
Transeixo automático 6 marchas tiptronic
Relação das marchas
1ª 4,04:1; 2ª 2,37:1; 3ª 1,56:1; 4ª 1,16:1; 5ª 0,85:1; 6ª  0,67:1; ré 3,19:1
Relação de diferencial
3,87:1
Rodas motrizes
Dianteiras
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, braço triangular, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira
Assistência
Eletroidráulica indexada à velocidade
Nº de voltas entre batentes
2,8
FREIOS
Dianteiros
Disco ventilado de 283 mm Ø
Traseiros
Disco de 249 mm Ø
Controle
ABS e distr. eletrônica das forças de frenaem
RODAS E PNEUS
Rodas
Aluminio, 7J x 17
Pneus
225/45R17W
CONSTRUÇÃO
Tipo
Monobloco em aço, 4 portas, 5 lugares
DIMENSÕES E PESOS
Comprimento (mm)
4.690
Largura (mm)
1.815
Altura (mm)
1.519
Distância entre eixos
2.710
Porta-malas (l)
526
Peso em ordem de marcha (kg)
1.527
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h (s)
8,3
Velocidade máxima (km/h)
213




EQUIPAMENTOS PEUGEOT 408 GRIFFE THP

ITENS DE SÉRIE
Acendedor de cigarros
Alarme antifurto
Alerta de motorista sem cinto
Apoio de cabeça nos 5 lugares
Ar-condicionado automático digital duas-zonas com saída traseira
Banco do motorista com regulagem manual de altura
Bancos revestidos de couro
Bluetooth e streaming
Bolsaa infláveis frontais, laterais e de cortina
Carcaça dos espelhos na cor da carroceria
Cintos de segurança dianteiros com pré-tensionador e limitador de esforço
Cintos de segurança traseiros (3) com limitador de esforço nos laterais
Comandos do áudio na coluna de direção
Computador de bordo
Controle de cruzeiro
Limitador de velocidade
Controle de estabilidade e tração
Descansa-braços individuais nos bancos dianteiros
Desembaçador do vidro traseiro
Direção com assistência eletroidráulica
Faróis de neblina
Faróis de xenon direcionais
Indicação de verificação/controle e de manutenção
Indicador de portas abertas
Luz de freio piscante em frenagem de emergência
Luz trseira de neblina
Navegador GPS integrado ao painel e tela de 7 polegadas escamoteável eletricamente
Painel revestido com material macio
Pára-sóis com espelho e iluminação
Porta-copos no console central
Porta-luvas refrigerado e iluminado
Porta-óculos no teto, lado do motorista
Porta-revustas nos encostos dos bancos dianteiros
Protetor de cárter
Rádio/CD/MP3 com função MP3, tomada USB e Bluetooth
Repetidoras dos indicadores de direção nos espelhos
Retrovisor interno eletrocrômico
Retrovisores externos elétricos e rebatíveis eletricamente
Rodas de alumínio de 17 pol.
Saídas do escapamento cromadas
Sapatas dos pedais de alumíno
Sensor crepuscular
Sensor de chuva e limpador indexado à velocidade
Sensor de estacionamento traseiro e dianteiro
Teto solar elétrico
Tomada de  12 V no console central
Travamento automático das portas e porta-malas
Travamento central
Trava para criança nas portas traseiras
Vidros elétricos com antiesmagamento
Volante com regulagem de altura e distância
ITENS OPCIONAIS
Banco do motorista com ajustes elétricos

 

 
.

118 comentários:

  1. Parece um excelente sedã, mostrando que a tendência do downsizing, quando bem feito, vai enganar o motorista desavisado, que logo vai pensar se tratar de um motor maior.

    A única preocupação é em relação à formação da mão de obra pós-garantia, pois como todo carro cheio de eletrônica, tenho a sensação de que faltará mecânico para mantê-lo depois que o primeiro dono passar pra frente. Tomara que eu esteja errado!

    ResponderExcluir
  2. Rafael Ribeiro15/10/12 12:15

    Nesta versão me parece uma boa alternativa frente a concorrentes bem menos interessantes de motorização. Por esse preço, Toyota Corolla e Honda Civic, por exemplo, tem suas versões de entrada ou intermediárias, dependendo dos opcionais.

    ResponderExcluir
  3. Bob, na sua opinião, por este preço vale a pena juntar mais um pouco de $ e comprar um Jetta TSI?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo Costa
      Se seu objetivo fot desempenho, é claro que vale a pena. O Jetta TSI é excelente também.

      Excluir
    2. Juntar mais um pouco de dinheiro não, mais muuuuito dinheiro para bancar a diferença

      Excluir
  4. Manutenção simples e barata......na França.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa ... Depois de cinco anos...mico.

      Excluir
    2. Nem tanto...

      O 206 Feline do meu filho já está com quase seis anos e mais de 130.000 km. Seu estado é perfeito.

      Excluir
    3. Típica resposta de quem não conhece o carro, e acha que o Gol tem manutenção baratíssima...

      Excluir
    4. Típica resposta de quem não conhece o carro, e acha que o Gol tem manutenção baratíssima... (2)

      Excluir
    5. Mr. Carmaggedon17/10/12 15:03

      Boa ... Depois de cinco anos...mico.(2)

      Excluir
    6. Peraí, não dá pra comparar manutenção de 206 e Gol com um carro tão sofisticado como esse, né? O cara tem certa razão.

      Excluir
    7. Acabei de vender o meu 307 com mais de 100.000 Km, nunca tive qualquer problema tanto com manutenção como me deixar na mão. Peugeot é excelente em tudo, forte, econômico e depois de 5 anos de uso o vendi com aparência de zero. Ah! E acabo de adquirir o 408 THP depois de avaliar o Jetta TSI.

      Excluir
    8. Tem algum carro NESTE NÍVEL que é diferente?

      Excluir
    9. Acabei de fazer a manutenção dos 20.000km e custou R$530,00. Pelo Valor do carro muito em conta a manutenção vale o investimento

      Excluir
  5. Bacana, Bob, obrigado !

    Me preocupa esta necessidade de gasolina de melhor qualidade, vai dar bastante pano pra manga em alguns casos de consumidores ignorantes/desinformados/estúpidos.

    Espero que ele não sucumba a este mal e vire "mico", porque esperar até a gasolina ficar melhor, em 2014, para ter fama de confiável, pode ser um tiro no pé.

    Esse agora vai pro topo da lista !

    Ah, uma coisa que não vi você comentar nem aqui e nem na outra avaliação: esse carro não tem travas ISOFIX ?

    Com todos estes atributos ele cai como uma luva pra quem tem filhos, fica mais fácil conseguir autorização da patroa, mas sem a trava, complica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evandro
      Não tem as travas Isofix, infelizmente.

      Excluir
    2. Marcelo Junji16/10/12 01:58

      Ainda não achei uma cadeirinha com isofix aqui no Brasil. Tem um modelo da Chicco que é vendido aqui que tem ganchos isofix, mas que são fixados por meio de fivelas, e não por hastes rígidas. Como achei caro essa cadeirinha, pesquisei e achei videos de crashtests da ADAC de cadeirinhas, e os modelos da Chicco(moda no Brasil), inclusive esse foram mal nos testes. Nos testes da ADAC as cadeirinhas da marca Cybex mostraram os melhores desempenhos, então, resolvi ver se elas eram vendidas no Brasil, achei o modelo Isis e comprei, só estou esperando chegar, tomara que tenha isofix, pois no modelo alemão tem.
      Essa Cadeirinha Cybex Isis prende a criança de modo não convencional; uma peça que age como um airbag aberto é encostado no tronco da criança e este é preso pelo cinto de segurança do carro. Quem estiver procurando pela melhor cadeirinha, vale a pena dar uma olhada nos testes da ADAC, poi pensamos que algumas marcas estão a toda prova e não estão, inclusive a cadeirinha da marca Recaro que é vendida aqui por um preço absurdo, foi muito mal no teste.

      Excluir
    3. Obrigado pela resposta, Marcelo.

      Já que o guverno tornou ABS e Airbags obrigatórios, porque não fez o mesmo com o isofix, que é bem mais simples e barato de ser implementado ?

      Mais uma lei feita pela metade, segundo alguns, para atender a interesses de parentes do autor da mesma, que fabricam cadeirinhas (coincidência, não ?)
      Podemos levar nossos filhos de ônibus no colo, mas não sem a cadeirinha no carro.

      Não sou contra, pelo contrário, mas com já que é pra gastar uma grana na cadeirinha, que seja uma boa, conforme você disse.

      Espero que daqui uns anos, quando eu tiver meu pimpolho, seja mais fácil achar material de qualidade no mercado, não to afim de buscar um trambolho desengonçado como estes fora do Brasil.

      Excluir
  6. O pessoal que não quer o visual mais 'tiozão' de sedan está de olho é no 308 THP. Infelizmente o que me surpreendeu muito ao comparar o 408 com o 308 foi espaço interno, muito menor no 308, uma pena. No hatch passageiros do banco de tras vão com pouco espaço para os joelhos, e isso certamente vai terminar por incomodar o motorista. Tenho 1.81 de altura e não gosto de ter que andar com o banco mais pra frente que o normal.

    Essa traseira com lanterna em posição baixa pro meu gosto não ficou bom. Ao menos essa cor escura achei bonita e elegante, bem melhor que o cinza que a VW pôs no jetta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dá pra entender como o 308 pode ser tão apertado atrás! Acho que é o maior defeito desse carro.

      Excluir
    2. Félix
      Mesmo caso do New Fiesta. Francamente, não entendo como se pode projetar um carro moderno com tão pouco espaço no banco traseiro. Em compensação, o Nissan Versa é uma limusine atrás.

      Excluir
    3. É mesmo. É impressionante o espaço para as pernas no Versa.

      Excluir
    4. Anônimo famoso16/10/12 09:18

      Aparentemente, os projetos de carros pequenos e médios (até segmento C) com foco em mercados desenvolvidos tendem a não dar muita importância para o espaço no banco traseiro e capacidade de porta-malas, priorizando nvh, comportamento dinâmico, design, etc., o inverso do que ocorre com os projetos destinados mais aos mercados emergentes.

      Excluir
    5. Corsário Viajante16/10/12 16:01

      O espaço traseiro do New Fiesta é tão vergonhoso que até recuso carona no carro.
      Ainda junta isso com a linha da cintura alta e aquilo parece um claustro.

      Excluir
  7. O VW Polo nos primórdios de 2002 já dava três piscadas ao dar seta só no primeiro estágio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, várias dessas "modernidades" já existiam no Polo, em 2002:
      - Piscar 3 vezes a seta no primeiro estágio;
      - Ligar o limpador traseiro ao dar ré e estar com o limpador dianteiro ligado;
      - Acionar a recirculação de ar ao dar ré;
      - Acionar o pisca-alerta em frenagens fortes.

      Porém, nos modelos mais novos, os 3 últimos itens foram capados, sem nenhum motivo aparente (como o carro tem rede CAN, retirar esses itens não diminuiu custo com componentes, só deu trabalho aos programadores de acessarem a programação para retirar esses comandos).

      Excluir
    2. Thales Sobral,

      E isso tudo é necessário?

      Para mim não faz falta.

      Excluir
    3. A kombi tmb tem tudo isso.
      E leva uma tonelada.

      Excluir
    4. Corsário Viajante16/10/12 16:04

      CONcordo com o Thales, e por essas e outras que não achei ainda nenhum carro que substitua, por um preço razoável, meu Polo.
      CNN, não é necessário, mas o que é "necessário" num carro? É como AC digital ou controle de cruzeiro, não é necessário nem nunca me fez falta até eu ter um.

      Excluir
  8. Anônimo 15/10/12 13:26
    Eu não sabia, obrigado pela informação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Agile tambem tem essa função. é bem interessante mesmo.

      Excluir
  9. Além da falta de isofix (pra mim tudo bem, já que meus filhos estão grandes, mas é uma pisada na bola), lamento a posição de dirigir, que eu acho um pouco elevada. Não que seja ruim, vai do gosto do motorista... mas poderia ser melhor. Um pouco mais de apoio lateral nos bancos também ajudaria. Bom, mas todo caso não é um esportivo mesmo. Em compensação, que motor! Pode não ser tão potente, mas quem ainda acha que o motor 2.0 8v da VW tem torque em baixa, deveria rever imediatamente seus conceitos. A elasticidade é enorme, boas respostas em QUALQUER situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bela comparação, um motor de 30 anos atrás...

      Excluir
    2. Considerando que um Jetta 8v pode custar completo mais de R$76 mil, praticamente o preço do THP, e muitos cantam vantagem do torque do motor 2.0... é isso. Eu teria comprado o Jetta, se tivesse um motor intermediário entre o 2.0 8v (que fica chocho com câmbio automático) e o belíssimo TSI de 200 cv. É que quase completo, o TSI ficava R$12 mil mais caro que o THP, aí eu escolhi o 408.

      Excluir
    3. Claro, eu eu tô por fora, me esqueci que a VW equipa o Jetta com esse motor. Sorry.

      Excluir
    4. O único "inconveniente" desses motores modernos "downsized" é quando ficam velhos (fora da garantia, média para alta quilometragem). Como tem sido observado na Europa, e antes no Japão, esses motores apresentam curva de confiabilidade com queda abrupta (e consequente elevação súbita do custo de manutenção) à partir de certa idade se comparados a equivalentes aspirados. O que não vem a ser exatamente um problema nesses mercados, mas no Brasil...

      Excluir
    5. Félix, agora que o A3 voltou com reencarnação do 1.8T 180cv, bem que a VW podia adotar esta unidade no Jetta, ou mesmo uma versão mais 'mansa' dele (ex. 160cv)... ou, ainda, a mesma unidade 1.4 twincharger (combinação de turbina e compressor) do A1... ia ser de deixar o velho 2.0 envergonhado.

      Excluir
  10. Os carros da PSA são bem projetados e bem construídos. Pena que seus vendedores, ao menos os das concessionárias que já fui, não conseguiriam nem vender água numa barraquinha no meio do deserto do Atacama.

    ResponderExcluir
  11. Ânus Arregalado15/10/12 14:12

    Tenho uma Kombi. Acho que vou trocar por um desses... belo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu ficaria com a kombosa mesmo, pois tem suspensão independente e faz curva como ninguém...

      Excluir
    2. A Kombi é mais espaçosa para quem senta atrás.

      Excluir
    3. A kombi é muito melhor, carrega 9, só cabem 5 nesse aí...

      Excluir
  12. Legal, agora põe tudo isso num 207 de 3 portas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa idéia!
      Jorjao

      Excluir
    2. Já que estamos fazendo lista de desejos, pra mim esse 207 THP com câmbio manual, por favor!

      Excluir
    3. 165cv num 207 de 900 kg? Diversão pura!

      Excluir
    4. Meus caros, isto já existe (não no Brasil). Ou pelo menos algo parecido - o 208 GTi, com este 1.6 THP calibrado para 200 cavalinhos. Mais pesado que o 207 mas também mais potente. E que design! Conseguiu trazer ar de novidade sem o exagero estilístico à la Hyundai.

      Excluir
  13. Ainda acho que o nivel de qualidade em assistencia tecnica das CSS seja o maior problema para quem compra um desses.
    Alguem aqui tem Peugeot e poderia dar opiniao a respeito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo15/10/12 14:58

      Já tive dois Peugeots e logo logo voltarei para o meu terceiro. Meu pai tem outro Peugeot. Moro em Brasília. As três concessionárias daqui estão no (mau) nível das de outras marcas, mas nas três dá pra pinçar profissionais excelentes, que conhecem SIM dos carros. Mas vejo que em outras regiões o atendimento de pós-venda é realmente sofrível (principalmente em São Paulo, pelo que vejo).

      Mas o pós-venda de VW, GM e Fiat eu não vejo como muito melhores não.

      Excluir
    2. Já tive um peugeot (307), mas em três anos só foi necessária a manutenção básica (além da troca de um retrovisor que foi arrancado por motoboy). Não foi barato, mas acho que ficou na média dos outros médios que já tive. Gostei muito do carro, estou de olho no 308 (mas só daqui a 2,5 anos).

      Excluir
    3. Marcelo Junji16/10/12 02:53

      Na primeira revisão (não verificam nada, só trocam óleo), meu carro veio com motor todo melecado de óleo e com o fio da sonda lambda solto encostando na capa do coletor de escape. E antes da revisão dos 10k km, foi trocado os tuchos, e a tampa do cabeçote ficou com um pequeno vazamento, e os tuchos ainda batem na primeira partida do dia em temperatura bem baixa. Reclamo e nada fazem, até para trocar um simples reostado de regulagem do farol foi um martírio.
      Na segunda revisão puseram muito óleo (verifiquei a vareta assim que trouxeram da oficina), reclamei com o consultor e ele pediu para o mecânico tirar todo o óleo e por outro, e fiz questão de acompanhar o serviço, até aí tudo bem, mas tive uma surpresa quando o mecânico veio carregando um galão de oléo cortado e sujo para este fazer o papel de uma jarra em que a medida era o visor que mal dava para ver pois estava sujo, daí o motivo do excesso de óleo.
      Não sei o que vai acontecer na próxima revisão.
      Apesar disso tudo o meu Peugeot partner tem mostrado boa robustez, inclusive da suspensão que pega muita estrada de terra e até agora não mostra desgastes apesar dos que dizem o contrário, além de ser muito agradável dirigi-la, e ainda não gastei com peças, ao contrário do doblo que com menos de 15k km tive que gastar com discos de freio desgastados, e que não foram trocados em garantia, além de estar fazendo barulho em pisos irregulares quando a direção não está em linha reta e que provavelmente vem da caixa de direção, mas não consertam pois alegam que é característica do modelo(ficaram duas semanas com o carro para falarem que o ruído é característica do carro).
      Concluindo: Estamos num mato sem cachorro. Respeito zero para o consumidor, e isto em qualquer área.

      Excluir
  14. Bob, não sei se já mencionaram algo nos comentários. Mas eu tive um 206 1.6 16v automático, cujo câmbio é o mesmo do 408 Griffe 2.0 (e do 307, e do 207, e do 406 2.0, enfim), a - nem tão - boa e - muito - velha AL4, que a Peugeot mudou uma peça ou outra, trocou o software e chamou de AT8. No meu 206, o bloqueio do conversor se dava em segunda marcha. Era perceptível a queda de rotação em segunda, quando o conversor bloqueava.

    ResponderExcluir
  15. Ah, e o câmbio de 6 marchas usado pela Peugeot é da Aisin sim, mas se chama AT6. O AT8 é uma "evolução" da AL4, e é fabricado em uma joint-venture entre Peugeot, Renault e Siemens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jambeiro, isso mesmo, AT6, pensei numa coisa e escrevi outra. Já está corrigido.

      Excluir
    2. Finalmente um cambio automático confiável num carro frances... Penso seriamente daqui uns 2 anos pegar um seminovo. Já quase comprei um C4 Pallas, mas esse cambio At antigo frances me assustava...

      Excluir
  16. Um carro lindo, bem posicionado em preço (ou seja, tão caro quanto os similares), esaçoso, com bom desempenho, consumo contido e mais alguma coisa...
    Tomara que venda bem. Embora 408 não seja meu número, parece admirável...

    ResponderExcluir
  17. Belo carro: moderno por dentro e por fora. Chega perto do preço do Jetta TSI, e aí a briga fica feia pq o VW é uma máquina tb, mais potente e com suspensão mais moderna (só que bebe mais tb). O 408 entrega mais mordomias e acessórios, inclusive os úteis faróis de xenon direcionais, o GPS e bancos elétricos. Mas o Jetta é melhor de revenda. A versão completa por menos de R$ 80 mil é pra se pensar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Preciso investigar, mas tenho a impressão que o seguro do peugeot deve ser significativamente menor que o do Jetta, chutaria que a manutenção básica também. Outros custos não sei.

      Excluir
  18. Belo carro para ombrear com o Jetta; na verdade, o Peugeot é "mais carro" do que o volks no que se refere a espaço e cuidado no acabamento; o Jetta Tsi depende muito do seu excelente conjunto mecânico para galgar uns degraus a mais no hipotético ranking de status....

    Tivesse o Peugeot as massagens no motor para alcançar os mais de 200 (211 by Mini mais exato!) cavalos que pode debitar legalmente, o Jetta - e seu estilo e interior extremamente pragmáticos - não teria a menor chance.

    Mas como está, já é um tremendo sedan!

    MFF

    ResponderExcluir
  19. Belo carro e belo motor. Mas não gosto desse visual de 207 Passion anabolizado.

    ResponderExcluir
  20. Bob ótimo post como sempre, gosto muito dos carros da Peugeot, tive um 206 rally , o meu Pai teve um 306 , agora tem um 207 , e na loja temos uma Partner, não comprei o 307 auto, quando troquei o 206, porque todos reclamvam da caixa , e comprei um focus auto. Minha duvida é o motor e a caixa terão uma durabilidade ou normal com a gasolina brasileira, eo cambio , aguentará esta perda de potencia procada pela gasolina .Eu li a ficha tecnica do 508 e me parece que o 408 , é mais pesado que o 508.Este motor e caixa tem a mesma calibragem do 508 e do 308 thp ?

    ResponderExcluir
  21. Sem dúvidas um carro de design atraente - dentro, é evidente, de sua categoria. Um interior sóbrio e bem construído, parece não sofrer com ruídos parasitas.
    Mas, vamos novamente tocar no calcanhar-de-Aquiles das montadoras (!) francesas: será que a Peugeot melhorou a assistência técnica e o fornecimento de peças? E será que o sistema elétrico dessa nova geração de Peugeots é menos problemático que o das linhas 206/306/307? Porque me parece que insistir em determinados erros dá prazer a certos fabricantes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabia que carros peugeot tivessem rotineiramente problemas elétricos. Pensei que a ford fosse a problemática.

      Excluir
    2. Nunca tive nem meio problema elétrico nos dois 206 que tive. Já meu pai teve uns probleminhas no 307 dele, mas nada grave e que não poderia aparecer em carros de outras marcas.

      Por outro lado, concordo que a chave de seta, quando dá pau, torça pra conseguir consertar (em alguns casos dá), porque se não der, senta e chora...

      Excluir
    3. Chave de seta, marcador de combustível; aquele módulo BSI que controla as travas elétricas, então, nem se fala. E aquela caixa de relês no compartimento do motor, sujeita ao calor, ao pó e a água.
      Isso sem falar no eixo traseiro, no vazamento corriqueiro da direção hidráulica e na suspensão barulhenta. Peugeot é um carro de outro mundo!

      Excluir
    4. Anônimo16/10/12 08:17, desses itens que você relatou, só tive problema com o marcador de combustível (o sensor, no caso). 90 reais e problema resolvido, nunca mais deu pau.

      Eixo traseiro? Verificava exaustivamente toda vez que encostava pra revisão e sempre 100%. Chave de seta sempre funcionou normalmente. BSI? Nunca me incomodou. Relês? Ignoro qualquer problema neles.

      Talvez eu seja a exceção, mas fato é que nunca tive dor de cabeça com o carro. Aliás, minto, uma vez a mangueira da DH começou a vazar sim (admito, há uma falha grave de projeto nela, a parte flexível ser colocada logo acima do defletor do coletor é no mínimo estúpido), aí mandei trocar pela "original" (vendida na CC), problema resolvido.

      Excluir
    5. Anônimo16/10/12 08:17,

      O Citroen C4 passou por um recall referente à vedação da caixa de relês, precisaria entender o porquê da linha Peugeot não ter passado pelo mesmo. Esta caixa deve der comum entre os modelos Peugeot e Citroen.

      Excluir
    6. Comprei um 206 usado, de boa procedência, nunca tive problemas como os acima. Tá com 50.000 km rodados; até agora, beleza.

      Excluir
  22. Eduardo
    Tudo igual, 408 Griffe THP e 508. O 408 pesa apenas 117 kg mais e não pode haver problema em função disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isto que eu não entendo o 508 , ser mais leve que o 408 , se é um carro maior e com um acabamento melhor , vc tem alguma explicação ?

      Excluir
    2. Eduardo
      Vou falar com a Peugeot para esclarecer esse ponto. Como já erraram o peso do 3008, disseram ser 1.660 kg mas depois corrigiram, é 1.480 kg, podem ter errado de novo.

      Excluir
    3. Ao que me consta, o 508 usa peças estampadas em alumínio que o 408 não usa.

      Excluir
  23. Trata-se de um belo projeto, à parte a suspensão ser bastante seca. As vendas não aumentam por alguns motivos:

    - A marca está estigmatizada em relação ao serviço de manutenção deficiente e peças caras.

    - Ainda existe preconceito, por parte de alguns sobre carros feitos na Argentina, no tocante à qualidade de montagem (lembram-se do Uno CSL e do Escort Guarujá ?). Embora os proprietários de Focus e outros carros hermanos estejam muito felizes, sempre aparece um probleminha que incomoda, e o pessoal (alguns, repito) logo pôe a culpa na deficiência de montagem naquele país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu carro que foi montado na argentina veio com um monte de parafusos e travas espalhados pelo assoalho, e o mesmo modelo de carro de um conhecido meu,veio com uma antena a mais caída no assoalho. E o outro carro que foi montado aqui, estava com várias partes de acabamento soltas e com uma tampa de borracha faltando, e ainda a concessionária fez caso para colocar uma tampa no lugar.
      É mesmo preconceito só com os argentinos, o problema é da América Latina. Claro Brasil incluído.

      Excluir
    2. m.
      Um colega de trabalho comprou um Agile que veio premiado com uma antena de reserva também.

      Excluir
    3. E é claro que ele devolveu...

      TLOTM...

      Excluir
    4. A qualidade de montagem do Escort Guarujá era inferior ao nacional? Eu não tinha conhecimento disso.

      Excluir
    5. Alegria do dono era conseguir vendê-lo, antes de enferrujar e parar por vários defeitos.

      Excluir
  24. Clésio Luiz15/10/12 19:55

    Eu achei a posição da alavanca de abertura do capô equivocada. Nunca vi uma alavanca dessas que pudesse acidentalmente ser aberta com o pé, principalmente com o carro em movimento.

    Nem sempre é possível abrir muito a porta. Por exemplo num elevador, se você esquece de abrir o capô, antes de colocar os braços do mesmo embaixo do carro, ficará impossibilitado de abri-lo. Existem outras situações também, como garagens apertadas.

    Esse é o típico caso de uma solução em busca de um problema que não existe. Como muitas que me deparei nesses anos trabalhando com carros. É bonito naquela apresentação de Power Point na engenharia das fábricas, mas péssimo para que vai lidar com a trágica ideia no dia a dia. E eu sempre xingo a progenitora do engenheiro responsável pela cagada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Clésio: em 10 mil km ainda não vi nenhuma situação que a posição da alavanca impossibilitasse a abertura do capô. Mas pra ser franco, também não vi vantagem...

      Excluir
    2. Clésio Luiz
      Não se trata de acionar a fechadura com o pé, é com a mão mesmo. E não precisa escancarar a porta, basta abri-la um pouco, o suficiente para poder puxar a pequena alavanca. Até no elevador dá para abrir o capô.

      Excluir
  25. Fraquinho esse carro, melhor a kombi que leva muito mais gente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pasteleiro que mora em frente minha casa também prefere a Kombi mil vezes.
      E estamos conversados!

      Excluir
  26. Ótimo carro, mas com as péssimas concessionárias que tem vai continuar sendo um mero coadjuvante.

    ResponderExcluir
  27. "O novo câmbio é outro ponto alto do carro. Inclusive pelo bloqueio do conversor de torque da 2ª à 6ª, somente em 3ª e 4ª no 4-marchas de antes."

    Sempre tive curiosidade de saber como funciona esse bloqueio do conversor de torque, seria interessante um post sobre câmbio automático comentando o funcionamento e a evolução do sistema.

    ResponderExcluir
  28. Bob, aproveito também para sugerir que seria bastante interessante um post destinado a parte matemática do autoentusiasta, como por exemplo cálculo de velocidade por 1k RPM em cada marcha, que eu classifico como um dos dados mais interessantes de suas resenhas, permitindo-nos analisar claramente a o projeto do câmbio e seu casamento com o motor, a partir dos dados de rotação de torque e potência máximos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Magnum
      Isso ja foi explicado pelo Bob. Nao lembro exatamente qdo.
      é uma materia bem interessante e que podemos aplicar no dia a dia.
      De uma procurada, no buscador do blog, que voce acha.

      Excluir
  29. Como todos os carros da Peugeot, o 408 é muito bonito, mas não consigo entender o porquê desses faróis enormes.
    Por que será?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para te ver melhor chapéuzinho vermelho.

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkk!!!

      Excluir
    3. Para encarar os Huyndai.

      Excluir
    4. kkkkkkkkkkkkkkkkk, por isso que gosto deste Blog !!!

      Excluir
  30. CCN 1410
    Só pode ser diretriz de estilo da fábrica. Mesmo caso do bocão, que já sumiu.

    ResponderExcluir
  31. Diogo R Santos15/10/12 22:23

    ótimo conjunto o deste 408, só tem uma coisa que me incomoda e muito neste carro: o excesso de peso!

    1500kg é muito para um carro deste porte - um Jetta pesa menos de 1400kg. Até o maior 508 é mais leve.

    Difícil entender porque um carro tão obeso

    ResponderExcluir
  32. Seria possível o AutoEntusiastas fazer um teste da Peugeot Hoggar, modelo básico?
    Nunca tive a oportunidae de guiar uma delas mas, por suas soluções (em especial a suspensão traseira), parece-me ser um caso de carro "injustiçado" pelo mercado.
    Grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 16/10/12 15:46
      Já fizemos, leia em http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2010/05/bela-picapinha.html

      Excluir
    2. Ok, Bob. Obrigado!

      Excluir
  33. Meu irmão comprou essa bomba ae, e com poucos tempo de uso, coisa de 2 meses, o carro começou a dar problemas elétricos para todo lado, apagão geral 3X deixando ele na rua e muita briga na CSS daqui de BSB, até que resumindo, causa ganha justiça e nunca mais Peugeot na familia. Tenho um Jetta TSFi com quase 2 anos, custou pouco mais que este e até hoje firme e forte, avisei a ele mas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um para a lista, infelizmente é a sina dos carros franceses eternamente. Problemas elétricos e de qualidade das peças, fora a cara de pau e falta de respeito das marcas com o consumidor destas marcas.Tive um 206 e um 307 que comprados desde zero só me deram problemas diversos e muita dor de cabeça, fora a desvalorização maior que o normal de mercado. Pulei fora desse quase casamento e fui muito feliz na Honda e agora com a VW de um belo Jetta tambem.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  34. excelente carro, tenho um allure, cambio manual. o carro tem de sobra motor e conforto.
    estou no segundo peugeot, o primeiro um 307 e fiquei 5 anos, com zero problemas fazendo apenas trocas de oleos, fluidos etc.
    tem muita gente que fala desses carros sem nunca ter tido ou se baseando no ouvi falar ou no que se le na net, revistas etc. enfim é muita bobagem escrita por muito participante.

    ResponderExcluir
  35. sonho de consumo...mas como nasci pobre, vou ficar com meu 307 usadin por um bom tempo...

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. BOB, a velocidade máxima se dá em qual 5ª ou 6ª marcha? a quantas RPM?

    ResponderExcluir
  38. Douglas
    Velocidade máxima (declarada) em quinta, 213 km/h, correspondente a 5.850 rpm. Como a troca para marcha superior é a 6.000 rpm, fica em quinta.

    ResponderExcluir
  39. Sempre fui cliente da linha VW, entretanto, a citada montadora peca em apresentar seus veículos com determinados equipaamentos "de série" e sem nenhuma explicação ao seus consumidores, retira do veículo e/ou passa a vende-lo como opcional. Daí estou pensando no Peugeot 408 THP, como alternativa pelo que apresenta em todos os aspectos, mesmo considerando as inúmeras opiniões lidas nesta excelente coluna.

    ResponderExcluir
  40. Tenho um THP, 2.300Km, o teto faz barulhos muito estranhos quando há qualquer leve torção da carroceria, ou mesmo em ruas irregulares. Chama atenção de todos que andam no carro. E agora com a época de chuvas, descobri que chove dentro do carro! Pasmem! Um carro deste preço, que entra água pelas portas, pinga nos passageiros, me mata de vergonha! Sem contar inúmeros defeitos no acabamento que venho percebendo no dia-a-dia! O consumo é pífio: 6,2Km/L na cidade e olha que ando tranquilhamente, não sou de ficar pisando fundo! Está sendo decepcionante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Johnathan o meu tb chove dentro do carro, em todas as portas nos dias de chuva pinga !!! Arrumaram o seu ?

      Excluir
    2. tenho um thp 2013 com 65.000 km, comprado um mês antes do teste do Bob, o meu só chove para dentro quando os vidros ou asporta estão abertos...

      Excluir
  41. Amigo leve seu carro urgente na concessionaria e peça para resolver os problemas apresentados, inclusive o de consumo. qualquer veiculo (marca) pode e apresenta problema. Exemplo disso, foi o mais vendido na categoria (Toyota)ter matado varias pessoas no exterior e dado muitos sustos aqui em nosso Pais.

    ResponderExcluir
  42. Boa tarde Bob,
    Está para ser lançado no Brasil o C4 THP. Imagino que, como o motor e câmbio são os mesmos do 408 que vc avaliou, este C4 terá um desempenho similar, correto?

    Abs!

    ResponderExcluir
  43. 0-100 em 8.3s? Ouvi falar que pelo fato de pesar mais de 1,5t ele acaba fazendo em mais de 9s com uma só pessoa. Ou seja, quase o mesmo que um Corolla AT4, que faz em 9.8s... Outra coisa: li que o Jetta TSi de 200cv quando abastecido com podium tem desempenho equivalente a quase 230cv. Significa que o THP rende uns 180 com podium, então?

    ResponderExcluir
  44. Acabei de chegar da concessionária com o meu 408 thp 2013/2013 zero KM e, adivinhem.... dei no comando da chave para trancar as portas e.... as portas não trancam. verifiquei tudo, testei várias vezes, mas o comando da chave apenas liga o alarme, fecha os vidros e o teto solar mas não trava as portas. Alguém pode me dar uma ideia do que pode ser?

    ResponderExcluir
  45. Acabei de chegar da concessionária com o meu 408 thp 2013/2013 zero KM e, adivinhem.... dei no comando da chave para trancar as portas e.... as portas não trancam. verifiquei tudo, testei várias vezes, mas o comando da chave apenas liga o alarme, fecha os vidros e o teto solar mas não trava as portas. Alguém pode me dar uma ideia do que pode ser?

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...