19 de outubro de 2011

OS 10 MELHORES FERRARI


Desde que escrevi um texto falando sobre Ferrari em geral neste blog, muitos amigos meus tem a falsa impressão de que não gosto da marca. Eu sei de onde vem esta impressão: a minha falta de reverência ao fundador, Enzo, o que absolutamente não quer dizer que não goste dos carros... Na verdade, é fato que nunca foi criado um Ferrari menos do que sensacional, nunca, em tempo algum.

Um Ferrari só tem um problema de verdade: o preço. São tão fora do padrão normal de preço de um automóvel que freqüentemente são comprados e mantidos como jóias raras e obras de arte de autores famosos: longe das ruas e estradas que é sua casa. Mas não quer dizer que por isso deva julgar a marca; o preço de um carro é o que se paga por ele, e Ferraris seguem vendendo muito bem obrigado, prova de que o preço está correto. Na verdade, fazendo a conta da porcentagem dos rendimentos anuais dos seus proprietários equivalente ao custo do carro, um Ferrari é mais barato para eles do que meu Focus foi para mim. Tudo é relativo, e por isso julgar um carro deste tipo pelo preço é um erro. Não se compra um Ferrari porque se comparou algo, se compra por vontade e desejo. Existe motivo melhor?

Na verdade eu adoro Ferraris, principalmente os V-12 de motor dianteiro. Como vocês podem ver abaixo, não exclusivamente eles, mas principalmente. Lista dificílima de se fazer, porque como já disse, ainda está para nascer um Ferrari que não seja maravilhoso. Sem nenhuma ordem específica, vamos a eles, os 10 melhores Ferrari, segundo o MAO:


1) 550 Maranello



O que posso falar deste carro que já não foi dito? O 599 Fiorano que o substituiu é melhor objetivamente, mas não falamos aqui de análise objetiva. Posso muito bem viver com “apenas” 492 cv (frente aos 619 do Fiorano) para ter um Ferrari com embreagem de verdade e aquela maravilhosa alavanca no meio dos bancos. Sim, o Maranello é o último Ferrari “grande” com um pedal de embreagem e a outrora sagrada alavanca com os gates marcados com uma placa cromada na base. Fora que o Maranello é mil vezes mais discreto e belo que seu irmão mais novo.

Lançado em 1996, marcou a volta da Ferrari ao motor central-dianteiro em seus carros esporte mais caros depois do fiasco dos Berlinetta Boxer e seus sucessores (Testarossa, 512TR, F512M), algo que me agradou sobremaneira, porque respeita sua história e faz o carro ter a marca da experiência e de um impecável pedigree. Como já falei aqui recentemente dos Corvettes, o Maranello é feito por uma empresa que já sabe o que quer e o por que de sua existência, que já tentou muitas coisas e sabe por experiência própria o que funciona ou não, e que já tentou quase tudo em sua longa vida, para hoje saber o que é melhor para ela.

O Maranello tem um V-12 moderno, injetado eletronicamente, e portanto como todo carro moderno funciona perfeitamente tanto no trânsito pesado como em pista de corrida. E fornece uma boa dose do que deve ser o Nirvana automobilístico, sendo impossivelmente vocal, poderoso e suave. Uma cabine de luxo também impecável e deliciosa completa o pacote.

Eu queria escrever mais aqui, e tentar fazer vocês entenderem o quão sensacional é este carro, mas tem gente que fez isso tão bem que não tenho coragem de tentar. Para quem quiser, recomendo que compre o livro do Arnaldo Keller e leiam o conto que ele escreveu sobre um carro destes atravessando a Argentina; é um exemplo sensacional do que é um 550 Maranello.

Para mim, o melhor Ferrari já criado. O que não é pouca coisa...


2) 375 America Pininfarina coupé “Agnelli”


Este Ferrari exemplifica tudo que há de fabuloso na casa de Maranello. Um cupê já raríssimo (apenas 40 produzidos de 1951 a 1955), tornado ainda mais raro por meio de uma carroceria única, feita sob encomenda de seu dono ultra-rico e poderoso.

Neste caso, o belíssimo cupê com teto transparente foi encomendado a Pininfarina por ninguém menos que Gianni Agnelli, o herdeiro da Fiat. Imaginem o glamour de um dos mais ricos homens do mundo chegando em um carro tão belo e poderoso quanto esse.














E poderoso ele era, usando uma versão do V-12 Lampredi (que estreou na Fórmula 1), de 4,5 litros e 300 cv. Dá para imaginar Agnelli chegando com ele em um hotel na costa amalfitana nos anos 50, com uma de suas famosas amantes a tiracolo, o V-12 reverberando sua marcha-lenta nervosa pelas paredes da cidade...

La dolce vita, personificada e eternizada em metal. Não é para isso que existem Ferraris?


3) 250 GT berlinetta (entreeixos curto)


Foto: Hemmings blog

O Ferrari que fez a Ferrari ser o que é foi sem dúvida o 250. Fabricado em uma dúzia de versões diferentes de 1953 a 1964, o 250 tinha um pequeno V-12 de apenas 3,0 litros (250 cm³ por cilindro, que determina o nome do modelo) projetado pelo grande Gioachinno Colombo. Este V-12 fez a fama da Ferrari: pequeno, leve (a metade do peso de um seis em linha Jaguar), potente, suave e girador, e com um urro a altas rotações tão excitante que devia ser adotado oficialmente como o berro de acasalamento do macho humano adulto.

Muitas versões do 250 povoam o imaginário entusiasta, e o Arnaldo, nosso ferrarista juramentado, adora o popular 250 GTO, o mais potente e malvado de todos, e o Ferrari mais famoso, desejado e caro hoje em dia. Muitos babam nos "California" conversíveis. Mas para mim, a berlinetta GT de entreeixos curto é o mais interessante de todos, por ser o balanço ideal entre os GTO (um carro de competição dedicado) e os mais calminhos Lusso.

E porque, é claro, para mim, são de longe os mais belos de todos. E fazer coisas belas é a razão da existência da Ferrari.


4) 275 GTB/4



Este é meio pessoal: montei um kit Revell de uma dessas quando moleque e fui fisgado para vida toda pelas belas linhas do primeiro Ferrari com transeixo traseiro. Aqui escolhi a última evolução, com o V-12 de quatro comandos (o “/4” na nomenclatura tradicional da Ferrari).

5) 365 GTB/4 "Daytona"


Quando foi lançado em 1968, o Ferrari Daytona parecia ultrapassado. Num tempo em que o revolucionário Miura já não era mais novidade, todo mundo esperava que a Ferrari também seguisse o que parecia uma tendência irrevogável: a de motor central-traseiro.

Foi um anti-clímax então, quando apareceu esse cupê de motor dianteiro e transeixo traseiro, uma mera evolução do 275 GTB que substituiu. Mas toda essa sensação de decepção acabava quando se dirigia o bicho.

O Daytona era uma declaração clara de um dos mais antigos princípios da Ferrari, e o mantra pelo qual vivia Enzo Ferrari: poder é tudo. O carro veio com um enorme V-12 de 4,4 litros e 352 cv, e uma velocidade final próxima dos 300 km/h. A aceleração era avassaladora, com o zero a 100 km/h chegando em apenas 5 segundos. O carro simplesmente trucidava todos os seus competidores teoricamente mais modernos de motor central, sejam eles Lamborghini Miura, Maserati Bora ou mesmo qualquer Porsche ou Jaguar. Difícil discutir com fatos assim.

Junte-se a isso um estilo original e influente, e tem-se um clássico instantâneo. Tornaria-se mais famoso ainda quando em 1971, pilotado por Dan Gurney e Brock Yates (da revista C&D americana), bateu o recorde de travessia dos EUA em automóvel, durante a famosa corrida clandestina “Cannonball Run” daquele ano. Ao completar o trajeto em menos de 36 horas de Nova York a Los Angeles, Gurney disse, brincando de se defender: "Em nenhum momento ultrapassamos 175 mph!" (281 km/h)

Três mil quilômetro à média de 140 km/h. Não é para isso que existem Ferraris?


6) Ferrari 365 GT4 2+2


Um amigo aqui do AE ganhou de aniversário da esposa um Ferrari desses em estado deplorável, e começou a fazer algo impensável para meros mortais: reformar ele inteiro na sua garagem.

Conheci o carro há pouco tempo, ainda em cavaletes, mas já bem adiantado. Olhar o carro em detalhes não falha em impressionar qualquer um com alguma afinidade mecânica. Seja pelo enorme V-12 de quatro comandos, seja pelo gigantesco radiador que estaria em casa em um caminhão pesado, seja pelos seis Weber duplos enormes, seja pela pura beleza de suas linhas. Um carro fenomenal.



Ferrari de quatro lugares tem algo realmente especial, e este, com sua carroceria clássica de linhas retas, é algo que dispara um desejo incontrolável de nunca mais sair de perto dele. E como o V-12 é o mesmo do poderoso Daytona, deve ser um balde inteiro da mais pura diversão que existe. Só de imaginar essa do nosso amigo andando de novo já dá calafrios na espinha...

Um presente da mulher amada, algo para se possuir com orgulho, e um trabalho de amor. Não é para isso que existem Ferraris?

7) Dino 206/246 GTB/GTS



Um Ferrari que não era Ferrari. “Dino” era a marca deste carro, um Ferrari menor e mais barato que não podia então levar o cavalinho da marca.

Mas além de bonito e extremamente divertido, esse carrinho foi o primeiro Ferrari de motor central-traseiro, e o percussor de uma linha genética que nos leva diretamente ao atual 458 Italia. Seria o primeiro deles o mais apaixonante?

8) 208 GTB Turbo

Este carro já foi motivo de um texto específico nos princípios deste blog, e em vez de inventar mais coisa para dizer sobre ele, vou trapacear e fazer vocês clicarem nessas letrinhas de cor diferente aqui.

9) 288 GTO

Em 1984 o MAO era um moleque imberbe, mas já completamente fissurado por automóveis. Quando viu as fotos deste carro impressas em uma dúzia de revistas nacionais e estrangeiras, quase desmaiou de emoção.

Engraçado como as coisas que ocorrem na adolescência ficam marcadas para sempre em nossas vidas. Esse Ferrari permanece para mim o carro mais fantástico já criado pelo homem. Se não bastasse o impossivelmente maravilhoso V-8 de 2,8 litros, biturbinado para 400 cv, algo impensável num carro de rua então, a carroceria do 288 GTO era inacreditavelmente bela e agressiva. Eu sou perdidamente apaixonado por esse carro faz quase 30 anos, e assim vou permanecer para sempre.



Paixão avassaladora e platônica em adolescentes. Não é esse o motivo de a Ferrari existir?

10) F40



Já quando o F40 apareceu, era um pouco mais velho, mas já mil vezes mais cínico e blasé sobre supercarros. Confesso que o F40 me pareceu uma enganação, um ardil para ganhar dinheiro fácil articulado com motivos pouco nobres. Afinal de contas, um 288 GTO mais potente e depenado, mas ainda mais caro e produzido em grande quantidade? Fora isso, o design era comparativamente ridículo, se mais eficiente aerodinamicamente.

Mas aqui tenho que acreditar nos que já o dirigiram, inclusive nosso amigo e mestre Bob Sharp. Todo mundo que já andou nela é unânime em colocá-lo entre os mais fantásticos carros para se dirigir em toda a história. E é por isso que está aqui nesta lista, porque Ferrari é também, talvez em primeiro lugar até, uma experiência inesquecível ao volante.

E é só isto que o F40 é: uma ferramenta prazer ao volante. Não é um carro, não é máquina de competição, não é um brinquedo. Não é belo como algumas pretendem ser, nem um objeto de admiração platônica. Certamente não serve para viajar através de continentes. É uma ferramenta para dar prazer a motoristas, e só.

Um Ferrari que só faz sentido ao se dirigir com vontade. Não deviam ser todos assim?

MAO

45 comentários:

  1. Muito gostoso ler este post. Na minha opinião, a 550 Maranello é a mais bela e melhor também, mas logo depois a 360 Modena não deveria ser esquecida. Se a 458 Italia e a F430 tem o desenho um pouco "poluído", a Modena tem linhas limpas e eternas. A 288GTO também não me chama muito atenção, já que a F40 é sua versão (muito) melhorada e mais bela. De resto, todas as Ferraris são praticamente eternas. Modelos discutíveis que podem citar são a F50 e a Testarossa - mas não por serem ruins, mas simplesmente por não serem Ferraris tão belas.

    ResponderExcluir
  2. Babei!!! Texto belíssimo, com as típicas sacadas inteligentes e bem humoradas do MAO!

    Eu também era um "moleque" quando surgiu o 288 GTO em 1984. Sem dúvida alguma, esse é, até hoje, em minha humilde opinião, o Ferrari mais "letal" e visceral de todos os tempos. Potência bruta sem concessões para os inexperientes.

    Lembro-me de ter lido em algum lugar um repórter ter escrito algo assim sobre o 288 GTO, no início dos anos 2000: dê um 288 GTO na mão de alguém habituado a dirigir os Ferrari modernos e você irá contribuir para diminuir a superpolução mundial...

    O F40 é a versão ainda mais potente do 288 GTO, porém mais civilizada, verdadeira evolução de um clássico. O que me marcou no lançamento do F40 foi justamente o contra-ponto que era quando comparado ao super-hiper-ultra-mega tecnológico Porsche 959: o F40 era simples, sem nenhum auxílio eletrônico. Sem contar que 478 cv em fins de 1987 era algo assustador...

    ResponderExcluir
  3. A minha escolha pode não ser a melhor, mas como na época eu era adolescente e estava começando a entender de carros, a Ferrari que mais me marcou, se pudesse compraria ainda hoje, é a 456GT.

    Como sou filho único, na época eu era muito dependente da companhia dos meus amigos(as) e se tivesse uma Ferrari, gostaria de levar mais de um comigo, como a 456GT possui 4 lugares (2+2) eu a elegi como Ferrari preferida.... Tinha uma foto colada na parede, foto no caderno, enfim, gostava muito dela... Para sair do comum, eu queria ter uma verde escuro (verde musgo) com estofamento creme...

    Segue uma foto, para quem não se lembra dela:

    http://www.benzcarpics.com/wp-content/uploads/2011/08/Ferrari-456-GT-2.jpg

    Abraços,

    Uellington Santos

    ResponderExcluir
  4. Mister Fórmula Finesse19/10/11 10:37

    Se eu fosse um entendedor de vinhos, diria que o post do MAO é uma iguaria merecedora de demorada e meticulosa degustação; mas como não consigo diferencial um Romanée Conti de Fanta Uva, creio que seria mais justo outro tipo de comparação...

    Mas enfim, os carros escolhidos são incríveis; e é difícil achar os melhores diante de um elenco tão espetacular.

    O Ferrari do poderoso dono da Fiat me fez ascender vários pontos nervosos, e eu nem suspeitava da existência desse maravilhoso carro. Acho que de todos esses ali, para a utilização diária, a Maranello seria o carro que mais devolveria prazer sem precisarmos arriscar o pescoço a cada acelerada, creio que seria a minha escolha também...motor grande, civilidade e caixa manual para ser tocada como a batuta de um maestro.

    A F40 foi o meu primeiro e único quadro-pôster automotivo, e a primeira miniatura Burago também...

    Meu filho de seis anos, não se de onde, quando o empurro no balanço pede assim: "rápido como uma Ferrari"...; uma entre milhões de singelas homenagens devotadas aos carros vermelho de Maranello, que herança hein?

    Eu gosto também da F50: excessiva, dura como um diamante,com o V12 que imaginamos que empurrou os ombros de Alain Prost e Mansel...e com caixa manual.

    A Testarossa também representava todos os arroubos dos anos oitenta, os yuppies bem sucedidos para o qual BMW's já não ostentavam mais tanto sucesso; as arcades...um carro com visual extra largo e super baixo, com um nome que era pura malícia da velocidade; também acho esta um ícone da sua época.

    Obrigado pelo post MAO!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Além, das citadas, adoro a F355. A meu ver, a primeira Ferrari moderna, possível de se usar no, digamos, dia-a-dia. Os rumos que a marca tomou nos últimos 20 anos passam por ela.

    Das citadas pelo MAO, tenho minhas preferidas: a 250, a 550 Maranello e a 288 GTO.

    ResponderExcluir
  7. Ia comentar o mesmo que o Renan já disse lá no primeiro comentário: também acho o 360 o mais belo dos Ferrari 'pequenos', os sucessores são medonhos.

    ResponderExcluir
  8. MAO, não sei se é impressão minha, mas ultimamente você está voltando a ter aquela paixão ao escrever sobre carros que eu sentia nos primordios do blog, não?
    Não acho que em momento algum você perdeu a vontade de escrever, não é isso, mas parece que coisa de um mês pra cá seus posts estão tocando mais a lama do entusiasta!

    Bom, na verdade, talvez seja eu quem voltou a arder o peito por carros!!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Quando pequeno, acordei um belo dia e, logo ao lado do travesseiro, bem na minha cara, meu pai colocou uma miniatura da 288 GTO para me dar Bom dia. Tenho-a até hoje e admiro muito o carro desde então. As fotos do post mostram todo sua beleza agressiva. Ela é realmente um tesão!
    Além dela, queria muito ver, tocar, dirigir uma F40. Para mim, os número 9 e 10 são as melhores!

    Mas faltou uma: 355 spider! Câmbio manual, com aquela bela grelha.

    ResponderExcluir
  10. Conforme já relatei algumas vezes antes, "super-hiper-ultra-mega-extra-baita" esportivo nenhum chega nem perto, aliás, fica a anos-luz mesmo, de despertar meu autoentusiasmo, como um bom "transatlântico" made in USA o faz. Por mim, este post poderia se chamar "As 10 melhores barcas norte-americanas dos anos 50". Aí sim, eu estaria embevecido.

    ResponderExcluir
  11. Bela lista e, como todos os posts do MAO, uma deliciosa leitura.

    Acho que eu também coloco a 288GTO no topo da lista, gosto mais que a F40.

    Só fiquei curioso sobre o fiasco das ferraris com motor boxer, eu quando criança adorava a Testarossa e a 512BB.

    ResponderExcluir
  12. Senti falta da FXX, a Ferrari que mais cobra carro por isso e a mais potente também - 880 cavalos na versão Evoluzione. Vocês ainda farão um post dela? Apesar de exclusiva, algumas unidades estão a venda. Imagina Bob Sharp, dirigindo depois da F40, uma FXX! http://ferraris-online.com/pages/carintro.php?reqcardir=FE-FXX-146359

    ResponderExcluir
  13. MFF, creio que seu pequeno Ferrarista já tenha assistido carros. Lá o Luigi fala rápido como uma Ferrari, se não me engano.

    Sds,

    Cristiano Zank.

    ResponderExcluir
  14. Adorei o post! Ferraris sempre nos fazem sonhar ...
    Os modelos "mais normais" me atraem bastante ..
    Adoraria um 250 lusso...
    Daniel Pires: concordo com vc em relacao a F355. Para mim um divisor de aguas . Os modelos subsequentes(360;430;Italia) sao pouco utilizaveis e se parecem com carros de corrida para se andar nas ruas ..
    Hoje, se rico fosse, teria uma F355(cambio na grelha e escape especial) e uma 599 para ocasioes especiais !
    Do post a que mais me impressionou foi a 375 do velho Agnelli , que alem de muito dinheiro tinha, com certeza, extremo bom gosto !

    ResponderExcluir
  15. Lindas, vermelhas, maravilhosas....e os Porsches "jantam" elas em todas as pistas do mundo...kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  16. Lembro quando vi uma 275 GTB estacionada sobre uma calçada de Munique. Tu ficas rodando o carro uns 5 minutos tentando descobrir o melhor ângulo. Se deixar, acaba a sola do sapato.

    João Schmitt

    ResponderExcluir
  17. gosto do modelo 612, 360cs, superamerica muito diferente e modernoso!...

    355 marcante por uma evolução grande em efeito solo e eliminação de asas, sendo tudo feito por baixo do carro, que hoje é amplamente estudado e adotado em todos os carros;

    348 apesar de muitos não gostarem já vi um modelo cor branca acho que targa acelerando pra valer coisa linda;

    430 scuderia adoro;
    458 muito criticado mas já vi azul e prata,,,,, lindos

    Já vi bem de perto um F40 parado e dormindo....... inesquecível;

    Quanto ao 550 gostaria de saber se o 575 é apenas uma evolução? Acho o 575 mais bonito mas acredito que neste já deve ser bem difícil ter a caixa manual.

    Obrigado

    ResponderExcluir
  18. opa!! 456 e não 458, 456 muito criticado mas já vi azul e prata,,,,, lindos

    ResponderExcluir
  19. Não manjo de Ferrari para fazer uma lista, muito menos para confrontar a lista do MAO. Assim como o MFF, posso não ser um profundo conhecedor de vinhos, mas sei dizer o que gosto e o que não gosto tanto no assunto "vinhos" como "carros".

    Eu colocaria a Testarossa na minha lista, quando penso em Ferrari, é a primeira que me vem à cabeça. Ops! Mas a lista é "das melhores"! Em alguma coisa ela deve ser a melhor... rsrsrs

    Falaram sobre a F50, no lugar colocaria a Ferrari Enzo.

    E esta Agnelli é superlativa! Quanto vale um carro desse? Realmente, muito bom gosto.

    ResponderExcluir
  20. Quem será que tem um 365 GT4 2+2? Fiquei curioso..

    ResponderExcluir
  21. anônimo 15:38, ,,,,, e fiquei com inveja,,,,, que esposa!!! inveja boa,,, claro.

    ResponderExcluir
  22. vamos fazer um bolão, valendo uma voltinha na máquina, quando estiver pronta!!!!

    ResponderExcluir
  23. Quem dá um palpite? BS não gosta de carro velho, seria o AK?

    ResponderExcluir
  24. Lista perfeita, eu somente tiraria a 375 America Pininfarina coupé “Agnelli” e colocaria uma 355 preta com interior caramelo. :)

    ResponderExcluir
  25. Só eu que achei esse 375 medonho??
    Os outros, sem comentários necessários.

    MAO, tua predileção pelo SWB é a mesma do Alain de Cadenet.

    ResponderExcluir
  26. Ninguém fez uma listinha? Vamos as minhas



    01 - 250 GT Lusso Speciale
    02 - 250 GTO (62 e 64)
    03 - 330 LMB
    04 - 288 GTO (288 GTO Evoluzione)
    05 - F40
    06 - 275 GTB/4 AB
    07 - Superamerica 400 CA
    08 - 412 GT
    09 - 330 Fantuzzi Spyder
    10 - 250 LM (Stradale)

    Parenteses indicam os diferentes modelos, que eu também aceitaria... ahahah

    ResponderExcluir
  27. É uma lista bem variada, gostaria de fazer uma lista mais variada, faltou ali o 208 Turbo, o 550, BB entrou outros, o certo seriam umas duas listas, de rua e de pista, ou mais mainstream e underground... enfim...

    ResponderExcluir
  28. Bom. Devo falar o meu top 3.
    F40
    550
    Testarossa

    V8 biturbo
    V12.
    Flat 12.

    Bom, e devo admitir também, que a Ferrari já não é mais a mesma, perdeu parte da sua alma.
    Está muito comercial e menos ligada aos entusiastas.

    Uma pena. Mas existem várias marcas que ainda fazem carros por prazer.

    ResponderExcluir
  29. Parabens.
    Um belo e apaixonado texto.
    Digno de um ferrarista convicto.
    Quem sou eu para mexer em um lista dessa?
    Concordo com os dez, daria para listar mais dez e não desagradaria ninguem.
    Só a FERRARI é capaz de coisas desse tipo.
    Voce escreveu:
    "Nunca foi criado um Ferrari menos do que sensacional, nunca, em tempo algum"
    "Ainda está para nascer um Ferrari que não seja maravilhoso"
    "Não se compra um Ferrari porque se compara algo. Se compra por vontade e desejo".
    Esse texto é para ser lido de joelhos.
    Valeu MAO.
    Romeu

    ResponderExcluir
  30. Marcos Alvarenga19/10/11 23:51

    O ronco de motor mais bonito que já ouvi é de uma 275 nesse vídeo. Ouçam:

    http://www.youtube.com/watch?v=Xfty8MSPtiY

    ResponderExcluir
  31. Muito bom post!!!
    Vc viu o documentário Victory by Design com o Alain de Cadenet sobre as Ferraris e outras marcas famosas? Recomendo!

    Estou com os amigos que pediram a 400 Superamerica nessa lista!

    Eu já prefiro as 250 GT California ou a 250 de competição, não vale as feitas para a pista? Q pena pq para mim é uma das expressões máximas da pornografia automotiva já fabricadas, a mão é claro!

    A 288GTO é um dos automóveis mais belos da história sem a menor dúvida! Nem imagino como deva ser inebriante ligar os 4 faróis abre-alas ou aterrador 'vê-los' pelo retrovisor... A F40 é melhor? Ainda prefiro a 288...

    Abraços

    ResponderExcluir
  32. Harerton Dourado20/10/11 01:15

    Belíssimo post!

    Se eu pudesse comprar uma Ferrari, a minha preferida seria a última evolução da 365 GT/4, a 412.

    A 288 GTO e a F40 foram enredo de muitos sonhos de adolescência.

    A Testarossa e suas evoluções tem um charme especial.

    A 512BB é muito legal!

    A 250 GTO é a elegância em forma de carro!

    Enfim, toda Ferrari é especial!

    [ ]'s

    ResponderExcluir
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  34. Excelente lista, MAO

    Meu Top 10 compartilha quase metade dos modelos do seu.
    Achei interessante sua descrição da 365 GT 2+2. O detalhe que mais me chama a atenção nesse modelo e seus irmãos (400 e 412) são as 4 saídas de escapamento bem pronunciadas.
    Comecei a fazer uma série com meu Top 10 num blog que compartilhava com um amigo. Mas acabou a inspiração/tempo quando ia começar o pódio. Porém, depois desse post, deu vontade de acabar a série. Pra quem se interessar: http://mondoferrari.blogspot.com/search/label/Top%2010

    Pra finalizar, não querendo ser abusado mas já sendo, gostaria que você explicasse melhor essa sentença "depois do fiasco dos Berlinetta Boxer e seus sucessores (Testarossa, 512TR, F512M)" pois ao que me consta esses carros foram sucessos da Casa di Maranello. Sendo que a Testarossa foi o modelo da marca mais vendido durante muito tempo, sendo superado somente pela 360 Modena e as BB ainda tem seus admiradores.

    P.S.: Eu sei que o certo seria me referir aos modelos no masculino, mas simplesmente não consigo fazer isso com as macchinas da Ferrari.

    ResponderExcluir
  35. NOs estados Unidos e Europa a opinião dos especialistas a Serie GTC até 1969 com motor dianteiro, tem o melhor ride de todas as Ferrari, Não há como se comparar com uma Dino.
    330 GTC e 365 GTC

    ResponderExcluir
  36. Todos,

    Sobre o "fiasco" das BB, expliquei no post sobre o Maserati Bora (link na barra lateral). Reproduzo aqui:

    "A Ferrari meteria os pés pelas mãos nessa onda, quando decidiu que além do motor central, seu mais veloz supercarro teria um doze cilindros contraposto, como os seus carros de Fórmula 1. Um contraposto é sempre uma excelente escolha porque o seu centro de gravidade é baixo, principalmente quando montado perto das rodas motrizes, como faz a Subaru e a Porsche, em extremidades opostas do carro. Mas a Ferrari, para manter o comprimento do seu carro em níveis aceitáveis, e um ponto H do motorista perto do solo, resolveu montar o motor EM CIMA do eixo traseiro e sua transmissão. O carro resultante, o Berlineta Boxer (inicialmente 365 GT4 BB, abaixo, depois 512BB), na verdade, como parte do motor está em cima do eixo, não tem motor central, e sim motor traseiro. Não traseiro como um Fusca ou 911, todo pendurado para trás do eixo, mas traseiro. E alto, ficando em cima do câmbio, eliminando a grande vantagem do motor contraposto. Os Ferraristas tiveram que conviver com esta configuração teoricamente ridícula (mas muito bem executada; as BB são carros decentes) até a morte da F512M em 1996, quando a Ferrari voltou a configuração anterior, com o magnífico 550 Maranello, que era em layout o mesmo carro que o 365 GTB/4 "Daytona" (corrente de 1968 a 1973), carro que foi substituido justamente pelo primeiro Berlinetta Boxer... Uma clara declaração de equívoco, se puder dar minha opinião."

    MAO

    ResponderExcluir
  37. Todos,

    Grato pelos elogios, fico muito feliz que gostaram!

    MAO

    ResponderExcluir
  38. Anônimo das 15:38

    Ele é amigo do Blog, mas não escreve aqui.

    MAO

    ResponderExcluir
  39. Guilherme,

    Este post, por exemplo, começei em 2010 e achei esses dias inacabado...só terminei.

    As vezes a gente está mais inspirado, é só. Mas que bom que passei esta impressão, devo estar fazendo algo certo ultimamente então, rsrsrsr

    MAO

    ResponderExcluir
  40. Li o texto anterior, e achei ridícula a atitude do AK na época, em censurar o MAO, por ele exprimir sua OPINIÃO.
    Desse tipo de texto q "só elogia" tipo press release, já estamos fartos.
    Espero q a essa altura já tenham chegado a um acordo.

    E também prefiro os Porsches, AMG's, BMW Serie M's do alemães. Apesar do Corvette fazer tudo q eles fazem, pela metade do preço!!

    ResponderExcluir
  41. Box666,

    Relaxa, conversa entre amigos, respeito pacas a opinião do Arnaldo, mas nem sempre concordamos, só isso.

    MAO

    ResponderExcluir
  42. Como foi que este post passou batido deste seguidor? Enfim, compartilho da mesma e avassaldora paixão platônica pela 288GTO. Tive um pôster dela em 1985 que me fazia sonhar com o carro, imitava o som do motor com a boca, do alto dos meus 7 anos. Faltou apenas citar na lista a belíssima Testarossa, imortalizada nos cinemas e magnifica estética e mecanicamente. Abraços! elio_filho@ig.com.br

    ResponderExcluir
  43. Desculpe--me, mas elencar a 550 como uma das melhores, e pior, a melhor, é indigesto ao extremo, com direito a úlcera e esofagite. Mecanicamente pode ser a ultima Ferrari "old class", mas esteticamente é das mais feias já criadas, com teto extremamente alto e aquele bico-de-pato na traseira pavoroso, fora a desproporção com a frente muito longa (seria até louvável se o teto fosse baixo como em uma Daytona).
    Trocaria-a com facilidade por uma 512 BB, carburada e com pintura saia-e-blusa. E outros modelos também seriam facilmente trocados. A ordem seria:
    1) 288 GTO
    2) 512 BB
    3) F 40
    4) 208 GTS Turbo
    5) 250 GTO
    6) 355 Spyder (yellow, please)
    7) 275 GTB/4
    8) 365 GTB/4 Daytona
    9) 365 GT/4
    10) Testarossa

    ResponderExcluir
  44. Vindo aqui muito atrasado, não posso deixar de comentar, em se tratando de Ferraris: excelente lista ! Dino 246 GT, 288 GTO (o parentesco de linhas e de conceito construtivo é evidente, embora tenham almas diferentes), 250 GT SWB são escolhas obrigatorias. A F40, a 550 Maranello e a "Daytona" são ecolhas naturais.
    Mas eu não poderia deixar de incluir na minha lista a 250 LM Stradale (durante muitos anos o carro de rua do Pierre Bardinon), a F355 Berlinetta (para mim a Ferrari mais linda que já foi desenhada e a que melhor harmoniza beleza-perfomance-prazer), a rarissima e linda 275 GTB/4 NART, e a 458 Italia, esta ultima a melhor coisa sobre rodas em que já pus as mãos, ainda que por apenas 30 minutos !
    Sobre a 458, posso dizer que se em fotos ela me parecia grande e desajeitada, ao vivo fiquei completamente extasiado por suas proporções e suas linhas, extremamente sensuais. Guiando, inicialmente em modo automatico, a 60 km/h já estava em 7° marcha, fato que so foi percebido ao olhar o indiador digital. Mas ao trocar para o modo manual e girar o "manettino" para posição "race", o som da descarga alterou-se e a perfomance transmutou o GT de rua numa voluptuosa "machinna" de competição, extremante rapida e obediente, tendo como fundo musical o som do maravilhoso V8 girando a 9 mil RPM. Seguramente foi a melhor e mais completa experienicia que eu tive ao volante !!! Pena que meia hora de aluguel passa rapido e custa caro...
    Das Ferrari que eu tive o prazer de guiar - todas por pouco tempo - F355 manual, 360 Modena F1 Spyder, F550 Maranello F1 (com a qual eu cometi o pecado de arranhar uma roda, no carro de um amigo), F430, F 430 Spyder, F430 Scuderie, California e F458, a segunda em termos de desempenho-prazer foi a Scuderie. Mas a 458 a supera de longe, em performance e em docilidade.
    Finalmente, se eu tivesse de escolher uma para ter na garagem seria uma F355 Berlinetta vermelha com cambio manual.

    Antonio

    ResponderExcluir
  45. pessoalmente a ferrari f40 me pareçe a mais assustadora de todas ...

    é unanime entre pilotos .

    eu morreia feliz ao lado de uma 288 gto ou uma dino . são espetaculares .

    adorei muito bela materia .


    abraços

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...