Google+

9 de novembro de 2010

AUTOMÁTICO NORMAL

Fotos: Autor


Andando uns dias com um New Beetle automático, comecei a comparar com as novidades  em câmbio que estão por aí, como CVT e robotizado de uma e duas embreagens. Não há dúvida de que as trocas mais rápidas e brilhantes pertencem a este último, mas a caixa automática VW, de procedência Aisin, japonesa, seis marchas e com operação tiptronic, cujo quadrante é o da foto acima, só deixa mesmo a desejar em consumo por conta do conversor de torque, porque no uso dia a dia é realmente espetacular.

Veja no quadrante: P-R-N-D-S e um canal auxiliar à direita com os sinais + (subir marcha) e - (reduzir). Se o leitor quer saber, é deixar no "D" e esquecer. As trocas automáticas são perfeitas, sem nenhum tipo de tranco ou patinagem. É o mais próximo dos câmbios robotizados de dupla embreagem que conheço.
No pequeno mostrador bem à frente do motorista há indicação da marcha no momento, seja em automático ou na função manual tiptronic. A tirar a alavanca de "D" e colocá-la em "S", as marchas ficam retidas por mais tempo antes de subir e a sexta é posta fora de ação.

Veja  na foto abaixo o número 1 bem à direita, com o carro parado, motor ligado e "S" selecionado:

Clique para ampliar e ver a indicação de 1a. marcha
Mexer na alavanca só para "S" quando se quiser velocidade máxima (em quinta) ou passar para o outro canal quando se desejar freio-motor. Mudar as marchas manualmente, só para mostrar para os amigos, pois o automatismo do câmbio é perfeito, qualquer que seja o modo de dirigir.

O carro como um todo, muito agradável de andar. Afinal, é um Golf IV com outra roupagem e o resultado não poderia ser outro. Tem falhas? Certamente, como o "para-brisa de van", lá longe, e a área do vidro do vigia, que avança sobre a cabeça  dos passageiros (2) do banco traseiro. Mas isso será corrigido na evolução do New Beetle, conforme fotos que já circulam na internet. Ele ficará mais próximo do Fusca-Fusca.

O motor é o EA-113 de 2 litros (1.984 cm³, como o AP 2000), 116 cv a 5.200 rpm e 17,3 m·kgf a 2.400 rpm, portanto nada espetacular para a cilindrada. Mas é suave e com boa baixa. O carro de 4.081 mm (2.502 mm entre eixos) pesa 1.246 kg e mostra 10,7 kg/cv, razoável. A 120 km/h o motor está a 3.000 rpm em sexta (o conta-giros é diminuto, veja na foto acima).

Um carro alegre, que evoca um passado e acelera de 0 a 100 km/h em 12,1 s  e chega a 182 km/h. Mas tem quatro freio a disco e quatro largas patas 205/55-16 em rodas de alumínio de 6,5 polegadas. E tem um ótimo teto solar e controlador automático de velocidade, entre outras amenidades como ar-condicionado. Bancos e posição de dirigir, não precisa dizer: Deutsch.
.

Um fato curioso que é sempre bom lembrar, ao contrário do Fusca original, este é um hatchback, para ótimo acesso ao compartimento de bagagem, de 209 litros VDA, ao parar o carrinho do supermercado ao lado:


O New Beetle, em produção há 12 anos, é fabricado  em Puebla, México e custa R$ 65.290 (manual, R$ 61.230). A fábrica já anunciou o fim de sua produção agora em 2010. Como dito acima, há um novo a caminho.

Mas por enquanto, quem quiser misturar agradavelmente nostalgia e praticidade, tem no New Beetle uma das opções hoje.

BS


33 comentários:

  1. uma das coisas interessantes no Beetle, na versão trazida para o Brasil, é a opção de cores do interior: podia-se escolher entre preto, cinza e beige, tanto em couro quanto em tecido.

    Bob, uma pergunta: o senhor já dirigu o Volvo C30? o que achou? entre ele (um Focus II disfarçado) e o Beetle (um Golf IV disfarçado), qual seu preferido?

    ResponderExcluir
  2. Dirigi muito pouco o C30 T5, 2,5 litros, cinco cilindros,220 cv, e só no lançamento em 2007. Mas é um belo carro sem a menor dúvida. O 2-L manual custa 80 mil, é mais caro. Mas é um belo hatch, isso nem se discute. O New Beetle, como eu disse, tem a componente nostálgica. Escolha difícil, portanto, vai muito do momento de cada um.

    ResponderExcluir
  3. Carro automático? Passo. A não ser que seja uma coisa muito `espetaculosa`, tal como RS6. No mais, tö fora.

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  4. Rodrigo Laranjo09/11/10 23:23

    Eu tive um A3 (outro Golf) com câmbio tiptronic de 5 marchas e era simplesmente fantástico. Não tem como não ficar fã dos alemães.

    ResponderExcluir
  5. Lucas,
    Experimente esse câmbio, tem no Jetta também. Depois me diga. Sou apreciador de caizxa manual, mas este automático é admirável.

    ResponderExcluir
  6. Para fazer até o Bob Sharp gostar de automatico, o negócio deve ser sério mesmo...

    ResponderExcluir
  7. Daniel Shimomoto09/11/10 23:40

    Bob;

    Qual a diferença entre o EA113 e o AP2000? Sempre tive a sensação que é apenas o nome!

    Um grande Abraco

    ResponderExcluir
  8. Bob, o câmbio automático Honda com as mini-embreagens seria mais próximo de um dupla-embreagem?
    Quais câmbios usam bloqueio no conversor fora Honda e Mercedes?

    ResponderExcluir
  9. A minha curiosidade fica quanto ao nome da nova versão, pois New New Beetle ficaria estranho.
    Já andei de passageiro num Bora com esse câmbio e adorei, muito suave, uma delícia.
    Quanto À diferença do EA113 para o AP2000, se não me engano o EA113 tem cabeçote de fluxo cruzado e o AP não.

    ResponderExcluir
  10. Marcelo Augusto10/11/10 00:34

    Eu também fiquei curioso igual ao anônimo acima, pois nunca vi caixa automática mais perfeita na sua operação do que a dos Hondas, fora o fato de não por planetárias. Mas como a Aisin é a Toyota, devem estar no mesmo nível, assim como os coreanos mais atuais (vai estrar a de 6 marchar no Cerato).

    ResponderExcluir
  11. Eta.. Falta é $$$. Queria todos!

    ResponderExcluir
  12. Mister Fórmula Finesse10/11/10 08:32

    Essa caixa já experimentei no "novo" Golf 2.0 e também achei bem interessante de utilizar, pena que a gente sempre espera algo mais do motor do carro para dar respaldo ao resto do ótimo conjunto.

    ResponderExcluir
  13. Não conheço e nunca andei em carros da VW com esse cambio de 6 marchas, mas pelo que ouvi e li é muito bom. Acredito que um cambio desse nível no Focus tranformaria o carro de bom para excelente. Acorda Ford!

    ResponderExcluir
  14. Bob, o que eu conheço de automáticos que permitem trocas manuais são o do Azera e o do Stilo, que na verdade é manual automatizado.
    No Azera, quando se quer dirigir com carga no acelerador e giro bem baixo, o giro sobe uns 500 rpm sem a correspondente subida de velocidade. Isso é o conversor de torque que não está bloqueado? o fato é que isso me incomoda, parece embreagem patinando. No mais, as trocas são realmente rápidas, no modo automático são imperceptiveis.

    Em relação ao stilo, achei o desempenho realmente fraco, sensação que não tive quando andei no manual.

    Em especial, o que me tira o gosto pelo automático é o fato dele fazer o motor girar mais do que deve em algumas situações. Os civics 1.6 e 1.7 são sofríveis sob esse aspecto. Lembro-me de pegar uma leve subida com um civic 1.7, a uns 60 por hora, e o conta-giro bater nos 3800. Não dá...

    abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  15. Salvo engano, o Peugeot 407 V6 usa a mesma transmissão Aisin de seis marchas que a VW usa. Dirigi um por pouco tempo, insuficiente para extrair mais informações a respeito, mas não tinha maiores problemas disso, ainda mais se compararmos com a péssima transmissão de quatro marchas dos PSA de quatro cilindros.
    O principal da história toda foi que Bob Sharp pôde constatar in loco os benefícios das transmissões automáticas de mais marchas mesmo em um carro que teoricamente dispensaria algo além de quatro marchas (afinal, na frente há um AP-2000 recauchutado com bielas 1 mm mais longas e torque tratorístico em baixa).

    Nenhum sinal de patinagem? Óbvio benefício das seis marchas, que permitem relações mais próximas entre si e ao mesmo tempo uma gama de relação de marchas mais ampla. Com isso, há a vantagem da maior progressividade e a menor dependência do conversor, uma vez que há mais relações de marcha nas quais se apoiar. O que podemos esperar disso? Consumo menor que o de um New Beetle de quatro marchas, por exemplo.

    Também não gosto de transmissão automática, mas imagino que teria dessa combinação da VW um conceito igualmente bom. Aliás, sempre considero que a melhor forma de saber se algo é bom é se alguém que não gosta desse algo em um plano geral considera bom um específico do mesmo. Dirigi Fusion antigo e achei a transmissão de cinco marchas excelente. Imagino que acharia a de seis ainda melhor.

    ResponderExcluir
  16. Mister Fórmula Finesse10/11/10 13:37

    Falando em caixas automáticas VW, eu escrevi há tempos algo sobre a i-motion também:

    http://meuamigodelata.blogspot.com/2010/10/entre-dualogig-e-i-motion-ponto.html

    Ainda sobre essa unidade do post, eu lembro que ela fez do Golf, um carro mais vivo que o aclamado Focus automático. Isso, pelos resultados apurados pela Quatro Rodas.

    Como diria o Bob: "caixa certa não ajuda, câmbio errado atrapalha..." (1994).

    ResponderExcluir
  17. Ultimamente ando sonhando com um Bora 2.0 2007 (último antes do face lift). Bob, qual sua opinião sobre o automático de 4 marchas utilizado anteriormente com o EA-113 em New Beetle, Bora e Golf?

    ResponderExcluir
  18. Acho que o Mégane possui bloqueio do conversor de torque. Em câmbio automático acho interessante a função que os Vectras/Astras/Zafira tem de desacoplar a marcha quando se fica alguns segundos com o carro parado e o pé no freio.

    ResponderExcluir
  19. Bob, somente discordo do uso do "S", acho bem interessante, uso preferencialmente o "S" ao manual. O cambio é outro do meu carro (A4 B8), porém igual ao vc, também achei este um auto convencional que convence. O interessante na posição manual é que ele "trava" o conversor sempre, o único porém é que ele troca as marchas automaticamente aos 6200.. vejo que isto é algo que varia de filosofia de cada fabricante, a carro da minha esposa que de esportivo nao tem nada, na posicao manual vai até o limite de giro e nao troca, vai entender. abraços

    ResponderExcluir
  20. Aléssio Marinho10/11/10 19:36

    A pouco mais de 1 ano comprei para minha esposa uma Meriva Easytronic. Fiquei encantado com a simplicidade da automatização da caixa de marchas. No começo, se estranha os trancos que ela transmite ao trocar de marcha, mas com o tempo se pega a "manha" de trocar de marcha "no tempo" e ela fica tão suave quanto uma automática. Surpreendente é a precisão da Easytronic em manobras de estacionamento, muito melhor que o comando de embreagem de muitos motoristas ou de algumas caixas automáticas. O único senão é a indecisão da caixa em situações de forte aceleração e logo após alivia-se o acelerador quando o Easytronic fica escolhendo se sobe 1 ou 2 marchas.
    Como as caixas automáticas da GM, a Easy também entra em neutro ao se manter o pé no freio, diminuindo o esforço de manter o carro parado num semáforo.
    De resto, o conforto da caixa automática está presente, sem as preocupações quanto a alta manutenção de uma caixa automática.
    Por isso que acredito que esse tipo de caixa é a solução mais adequada aos bolsos brazucas.

    ResponderExcluir
  21. Francisco V.G.10/11/10 20:06

    Aléssio Marinho
    Parece que a GMB não pensa como você, do contrário, teríamos vários modelos "Easytronic" rodando por aí. Dá a impressão que eles não estão muito aí para esse sistema de troca de marchas. De todo modo, gostei de ler o seu relato pois a única referência que tenho dessa Meriva são às dos taxistas e eles - pelo menos os que eu ouvi - não aprovaram.

    ResponderExcluir
  22. Aléssio, você é a primeira pessoa que vejo elogiando os taxistas. Todo mundo que puxou papo com um taxista que tem a tal Meriva EasyTronic ouviu reclamações e a ansiedade em terminar o período mínimo que eles devem ficar com o carro para poderem vendê-lo logo. Problemas e mais problemas no sistema e na embreagem com desgaste prematuro. Todos os taxistas que conversei já ficaram na mão com o carro e a concessionária dá reset o sistema e o carro volta a funcionar, porém nunca há uma certeza de que o problema não voltará.
    Disseram que a GM não está mais vendendo o Easytronic para taxistas pois devido ao uso intenso, a quantidade de problemas está sendo maior do que o fabricante gostaria

    ResponderExcluir
  23. Daniel Shimomoto10/11/10 23:52

    Francisco V.G. e Caio Ferrari;

    Tenho um amigo taxista em SP que tem uma meriva Easytronic e reclamou dela. Regulagens no modulo eletronico da transmissão (reset) quando começa a "prender mercha" e a troca do conjunto plato/disco com pouco mais de 70 mil km.

    Aos criticos da manutenção das caixas automáticas, falo com a experiencia de quem teve que mandar arrumar 2 (duas). Caixas automáticas quebram pouco. E a quebra se dá, invariavelmente pela mesma razão: Combinação de mau uso com ausencia de manutenção.

    Mau uso porque segurar o carro no motor numa subida é mau uso, seja no automático, no automatizado ou na transmissão mecanica.

    Falta de manutencão porque ao contrário da mentalidade dos Brazucas, cambio automático troca oleo sim!. O fluido ATF precisa ser drenado pois além da função lubrificante ele tem a função de transferencia de energia no conversor de torque estando submetido a elevasa pressões e temperaturas e com isso perdendo mais rapidamente suas caracteristicas fisico/quimicas se comparados a um oleo de transmissão comum. Ai a pessoa compra um veiculo automático, usa mal e n˜ão troca óleo com seus 60 mil km, o resultado é sempre o mesmo. Problemas!

    Um abraço

    ResponderExcluir
  24. Marcelo Augusto11/11/10 03:32

    Esse motor 2 litros da VW é o pior do mundo em rendimento, uma vergonha. Nem chinês oferece coisa igual.

    Engraçado que um motor tão antigo quanto - o da GM - está no mesmo patamar dos modernosos em desempenho, mas sem os custos de duplo comando, 16v, comando e coletor variáveis, etc, e ainda gasta a mesma coisa, ou, para os mendigos, 500 metros a menos por litro...

    ResponderExcluir
  25. ps: trocar "Aléssio, você é a primeira pessoa que vejo elogiando os taxistas" por "Aléssio, você é a primeira pessoa que vejo elogiando o easytronic"


    EPIC FAIL. rsrsrs

    ResponderExcluir
  26. Bob,

    Até hoje, não vi cambio automático nenhum que resolva o seguinte problema:

    Quanto pego rodovias, tenho o hábito saudável de manter a 5a engatada, pisar tudo, e o carro, na faixa dos 2800rpm, continuar tendo força suficiente para manter velocidade mesmo com 4 pessoas e porta-malas lotado.

    Em qualquer carro automático que já dirigi, quando faço isso (pegue a subida da SP280 no km 170 por exemplo, sentido interior) o infeliz insiste em reduzir uma ou duas marchas, e aí a rotação pula para 4000rpm ou mais.

    Como eu faço para dizer para o infeliz do cambio automático que, apesar de eu pisar tudo (para aproveitar o torque do motor), eu não quero redução de marcha?

    Quando resolverem isso e eliminarem definitivamente o conversor de torque, e conseguirem não introduzir absolutamente nenhum tranco em mudanças de marcha (mantendo acelerador cravado no fundo), aí passarei a considerá-los.

    ResponderExcluir
  27. Bussoranga,
    Nesses câmbios Aisin, se você estiver viajando em "D" e acelerar sem acionar o interruptor de fim de curso do acelerador, não haverá redução. Só em "S" é que essa sensibilidade de pedal que troca marchas existe. E não há nenhum tranco ou patinagem momentânea, garanto-lhe. Procure expsrimentar um numa concessionãria.

    ResponderExcluir
  28. Marcelo Augusto,
    O EA-113 2-litros não é o AP 2000, embora diâmetro dos cilindros e curso dos pistões sejam iguais (82,5 x 92,8 mm). Outras diferencas: cabeçote de fluxo cruzado, bloco mais alto para uso de bielas mais longas e eliminação da árvore intermediária.

    ResponderExcluir
  29. Realmente taxistas são bom termômetro sobre a viabilidade ou não de algo a longo prazo. Os mesmos taxistas que reclamam do Easytronic não reclamam do Dualogic e vêm adquirindo Stilos, Ideas e Lineas para a praça.
    Já peguei corrida em Stilo Dualogic e em Meriva Easytronic e a diferença de suavidade de funcionamento é grande. De fato a Fiat pegou mais a manha da transmissão automatizada de uma embreagem. Se conseguirem o mesmo talento quando passarem para o DDCT, a Fiat vai estourar de vender carros, até de tamanho maior.

    ResponderExcluir
  30. Bob,
    Fiquei feliz em saber disto. Agora basta eliminarem o conversor de torque, o que é perfeitamente possível dada a ótima experiência da divisão Audi com a dupla embreagem.
    Já que a Aisin fez uma boa calibração de troca de marcha vs posição de acelerador, porque ela não aplica calibração similar nos seus cambios de 5 e 4 marchas, fornecidos para outros fabricantes de carros?

    Outra coisa: esse motor EA-113 2.0 é o mesmo do Golf IV vendido no .br? (quero dizer, ainda é o mesmo?)

    ResponderExcluir
  31. Marcelo Augusto11/11/10 22:35

    Geralmente quando não há este interruptor a caixa fica mais sensível a reduzir, mesmo sem muita carga. No New Civic é assim, entretanto, em modo manual, ele não muda marcha nem no corte e nem com pé no fundo, e as trocas são muito suaves, sem trancos. E o conversor tem bloqueio até em primeira marchas. E a caixa não é epicicloidal, mas com uma embreagem para cada marcha, talves por isso seja tão rápida, é meio caminho de uma DSG. Se usagem embreagem multi-disco no lugar do conversor (como no Fit CVT), seria o ideal. A Mercedes usa uma ligação motor/caixa em alguns automáticos (epicicloidais) esportivos atuais que é mais ou menos uma embreagem multi-disco.

    ResponderExcluir
  32. Aléssio Marinho12/11/10 17:39

    Colegas,

    Quando escrevi o meu relato sobre o Easytronic, queria expor a minha impressão sobre as caixas automatizadas. Sei que todo equipamento produzido necessita de manutenção, seja preventiva ou corretiva, e sabendo hábito tupiniquim de não realizar nenhuma delas decentemente, considero a Easytronic mais fácil de manter e reparar que uma caixa automática comparando entre si a comodidade de ambas. Deu problema no Easytronic? Tô com grana curta?(o carnê ficou pesado, sabe como é) manda no mecânico e põe um pedal de embreagem. Ela ainda vai funcionar. Uma caixa automática ainda é um mistério pra 95% dos mecânicos do país. Em SP, ou RJ, se encontram oficinas especializadas nessas caixas. Agora, vai pra outras cidades...
    Tem lugar que o cara ainda nem aprendeu a diagnosticar injeção eletrônica!
    Então quando falo da Easytronic quis apenas relatar a minha experiência como proprietário em relação a tecnologia oferecida, que mesmo malvista por alguns, acredito ser ideal para as nossas condições de mercado e de cultura.

    PS.: BOB, hoje em dia ninguem mais sabe mexer com carburador e ignição eletrônica. O que está acontecendo com a formãção desses profissionais?

    ResponderExcluir
  33. Essa caixa é perfeita nos jetta 2.5 "5 canecos" 170cv

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...