Google+

17 de setembro de 2012

CARRO USADO: NA PRÁTICA, VALE



Há anos eu sempre insisto na tecla de que o carro usado é um negócio muito melhor do que o 0-km. Além do fato óbvio de se poder comprar um carro de padrão bem superior do que se compraria 0-km, a escolha revela-se mais econômica para mim.

Há uma grande controvérsia em relação ao assunto. Quando se compra carro 0-km, perde-se em depreciação, pois esta é mais pesada nos primeiros anos do carro. Por outro lado, ao se comprar um usado, aparecem os gastos de manutenção que todo carro usado acaba demandando. Afinal de contas, é sempre prudente fazer o carro usado recém-comprado passar por uma revisão, trocando aqueles itens básicos como óleo, filtros, velas etc, itens baratos e de troca periódica que normalmente não se faz idéia da última vez em que foram trocados.

Além disso, normalmente o carro usado tende a necessitar de manutenção mais freqüente e na grande maioria das vezes está fora de garantia, o que significa que o proprietário tem que arcar com todos os reparos.

Portanto, enquanto no 0-km se perde dinheiro com depreciação, no usado se perde também com manutenção. Muitos debatem interminavelmente sobre isto, até chegam ao consenso de que no 0-km a depreciação é maior que no usado e que no usado há uma manutenção maior, só que sem números para comparar, normalmente estas discussões costumam não chegar a conclusão nenhuma.

Tela inicial do programa "Meus Carros" do Android

Ano passado, no fim de agosto, comprei o Fusion. Desde que o comprei, mantenho um controle de gastos com ele, graças a um aplicativo do Android chamado “Meus Carros”. Neste aplicativo, cadastro todos os gastos com combustível, manutenção, seguro, impostos, licenciamento etc. Por conta disso, tenho condições de colocar alguns números à eterna discussão 0-km x usado.

Comprei o carro, um Fusion 2008, em 30/08/2011 por 45 mil reais. O carro estava com 21.865 km rodados na ocasião. Desde então, rodei 15.343 km, uma média de 1.241 km/mês.

Segundo os dados cadastrados no aplicativo, gastei R$ 4.377 de gasolina, o equivalente a 1.561,7 litros. O consumo médio foi de 9,82 km/l e o custo por km gasto em combustível foi de 28,5 centavos de real.

Mais da tela incial

Em manutenção, que incluiu duas trocas de óleo e filtros, pastilhas dianteiras, polias, correia e bateria, foram gastos R$ 1.107. Em impostos, seguro, transferência e licenciamento, mais R$ 2.662

Em 1 ano, o valor do carro caiu 7 mil reais pela tabela FIPE. Somando-se tudo isso, 1 ano com o carro custou R$ 15.146.

Para fazer a comparação, imagine que, em vez de ter comprado um Fusion usado, eu tivesse comprado um 0-km em agosto de 2011. Pela Ford, o preço deste carro era de R$ 83.660. Pelo site da Ford, as revisões de 6 meses e 1 ano custariam respectivamente 256 e 320 reais. Também pagaria 4 meses de IPVA em 2011 (R$ 836 em Brasília) e mais 1 ano de IPVA em 2012 (R$ 1.844), num total de R$ 2.680. Seguro, digamos que, mantendo a proporção de preço dos carros, ficaria na casa dos R$ 1.500. A depreciação, esta sim a grande vilã, seria, segundo a tabela FIPE, nada menos do que 18.000 reais. Some-se mais uns 500 reais de emplacamento, 200 reais de licenciamento e vistoria, já deu R$ 23.456. Imaginemos que o gasto de gasolina fosse o mesmo e a conta fecha em R$ 27.883.

Médias mensais de consumo do Fusion, em Brasília

Andar de carro 0-km teria custado R$ 12.687 a mais. Da comparação de despesas, conclui-se que o gasto em manutenção realmente é menor no 0-km, conforme esperado. Só que a diferença foi na casa de apenas R$ 500 em favor do 0-km. Porém, quando se computa as outras despesas, o 0-km fica em uma desvantagem muito grande, superando em muito a economia na manutenção. Só no IPVA de um ano (2012), gasta-se 553 reais a mais, anulando só nos impostos a vantagem da manutenção. Fora que o 0-km pagou IPVA em 2011 (o usado já tinha sido pago pelo dono anterior), mais emplacamento. 

Além disso, o seguro é mais caro por conta do maior valor do carro e a depreciação é muito mais brutal, tanto percentualmente (22% contra 15%) quanto em valores absolutos (18 mil contra 7 mil reais). Enfim, andar de carro 0-km custa aproximadamente 1.000 reais a mais por mês em relação ao usado. Sendo usado, o Fusion me custou R$ 1.262 por mês. Um Fusion 0-km me custaria R$ 2.323. Quase o dobro. Por isto, mais uma vez concluo que, no meu caso, um usado valeu muito mais a pena do que um 0-km.

Gráfico pizza dos custos operacionais. Reparem como combustível é apenas a metade do que se gasta

Claro que estatisticamente os números de um caso apenas não são relevantes. Além disso, só são válidos para carros no mesmo segmento e com depreciação similar. A variação dos valores de depreciação e de manutenção podem muito bem virar a conta em outros casos, especialmente no caso dos populares, em que a diferença de preço entre o 0-km e o usado é menor. E quando a diferença fica pequena, vale levar em conta a questão do prazer do cheirinho de novo do 0-km, a maior confiabilidade de um carro mais novo e a menor necessidade de parar para efetuar manutenção, além, é claro, da garantia de fábrica.

A escolha, como sempre, cabe ao consumidor, mas quanto mais elementos ele tiver para avaliar e embasar a sua decisão, melhor.

O programa que usei, como mencionei, chama-se Meus Carros e está disponível gratuitamente no Google Play para usuários de smartphones e tablets com o sistema Android.

Para os que têm iPhone/iPad existe um programa similar, porém pago (custa três dólares) e com menos recursos, o Car Care.

Ambos funcionam de forma similar: basta cadastrar todas as despesas que se tem com o carro no programa e ele se encarrega de fazer todos os relatórios.

CMF

246 comentários:

  1. Eu fiz a mesma coisa em 2009 e comprei um Cololla XEi. O carro não me deu nenhum problema e vendi com dor no coração quando troquei de emprego, e a nova firma me deu um Fusion SLE 2011 para meu uso.
    Claro que um zero é ótimo, mas nunca será uma escolha racional.

    HS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci de mencionar que o Corolla era 2008 e estava com 25.000 km.

      HS

      Excluir
    2. Tive a oportunidade de comprar um Golf Confortline 2.0 completasso com teto e tiptronic em jan/2006 o carro era 2005/2006 e tinha só 6 mil kms!

      Peguei por 7 mil a menos na época

      Excluir
  2. Um seminovo, único dono, bem cuidado anteriormente, sem vícios ou maquiagem realmente possui custo de manutenção previsível e acaba que, devido à depreciação do 0km, valendo mais a pena, porém o que vemos hoje são donos de carros 0km deixando de tomar qualquer cuidado com o carro, seja na hora de manter, seja na hora de transpor uma simples lombada. Alia-se isso ao costume das lojas de seminovos maquiar os carros e retornar quilometragem, o 0km pode acabar valendo a pena.

    Ah, o 0km também se vale dos juros menores (ou até ausentes, para a linha de veículos premium com mínimo 50% entrada), enquanto financiar um usado é um parto, graças ao já conhecido lobby das "montadoras"...

    Concluo que comprar um usado de qualidade, à vista, bem cuidado e pouco rodado é tarefa cansativa que muitos preferem não ter.

    Eu particularmente prefiro comprar um 0km e ficar com ele no mínimo 8 anos. O último carro que tive vendi com 160.000km, vendi barato mas usei muito também!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso também é bem racional, concordo com vc! Aí sim vale a pena arcar com a perda da desvalorização ano a ano.


      E mesmo com a quilometragem alta, mantendo o carro desde 0 km, e com um pouco de entendimento sobre manutenção, o carro não trará surpresas desagradáveis para o dono (salvo defeitos de fabricação).

      Excluir
    2. Acabou a discussão Hugo. É isso mesmo, se for um usado ainda relativamente novo, se for bem cuidado, se não for muito rodado e se não for maquiado aí financeiramente compensa mais que qualquer novo mesmo. O problema é achar um carro desses, cada vez mais difícil apesar do aumento da venda dos novos, e também a questão da condição da pessoa. Nem todo mundo tem como pagar por um usado assim, seja por poucas condições seja porque está comprando um carro mais caro.

      Quando cai na larga maioria dos usados, bem rodados, pouco cuidados, já com muitos anos de uso e maquiados aí mesmo com preço e desvalorização muito menores a conta pode se inverter facilmente e junto vem muita dor de cabeça. Não é atoa que muita gente humilde que nem está ligando pra status e nem tem muito dinheiro tem comprado novos agora que podem fazer isso mesmo com todas essas questões. Um novo mais simples usado por muitos anos pode compensar muito, além da tranquilidade

      Excluir
    3. Concordo Hugo, se você fizer uma projeção de prazo mais longo, ficar com o mesmo carro por 6 a 8 anos, a conta vai ser diferente. O 0km vai ter a fase de garantia (3 anos em um carro mais caro) e mais 3 anos de usado ainda inteirão. Se você já pega o carro com 3 anos, entre 6 e 9 anos de vida (considerando ficar os mesmos 6 anos com o mesmo carro) ele provavelmente vai dar despesas maiores e certamente será menos confiável.

      Como atualmente acho bem chato ficar trocando de carro, também prefiro pegar zero e ficar 6 anos do que pegar usado com 2 ou 3 anos e trocar de 3 em 3 anos para ser vantajoso.

      Excluir
  3. Admiro sua coragem de controlar na ponta do lápis todo o tipo de gasto com o carro. Eu particularmente já fico angustiado de colocar o controlador "em tempo real" do GPS sobre o custo de km rodado para funcionar.
    Parece que quando a gente não soma os valores, mesmo fazendo tudo o que precisa ser feito, a matemática das coisas fica mais suave e palatável. Não se sente o peso.
    No mais, ainda existem as questões de conforto, segurança, bem estar e satisfação que a filosofia "usado premium em face de popular pelado" traz, basta acertar na hora da escolha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas ai que sao elas..
      Como acertar na hora da escolha?
      É um mercado cheio de meandros e vendedores desonestos.
      Prefiro comprar um usado de particular.

      Excluir
    2. Charles
      Quais sao suas dicas para se comprar um bom usado?

      Excluir
    3. 13:56

      Garantia não há, certamente, mas existem modos de se fazer isso de forma mais segura do que se arriscar na primeira oferta. Como você mesmo listou, comprar de particular - ou melhor ainda - de conhecido tende a ser uma boa; carros dos quais se conhece o histórico em geral são bastante previsíveis e tendem a ser uma aposta bem mais segura.
      Lojistas em geral tem aquela prática desonesta de baixar a Km ou até pior, como fazer gambiarras para disfarçar barulhos e desgastes.
      A única loja da qual comprei e recomendo é a Slaviero (autorizada Ford em Ctba), sempre foi super honesta e ótima tanto na pré-venda quanto na pós.

      13:57

      Difícil de listar tudo, algumas características são bem peculiares de uma marca ou modelo e servem para denunciar se um carro foi bem ou mal cuidado, ou mesmo se a quilometragem corresponde à real. O que sempre faço é pesquisar sobre o modelo (internet), seus principais defeitos, e ver vários exemplares à procura de desgastes específicos e característias, mesmo sem intenção de compra, só para manjar como um modelo de quilometragem X tende a apresenta determinado desgaste.
      Após vejo o custo de manutenção fazendo um levantamento de preço de todas as peças de desgaste natural e algumas extraordinária (pastilhas de freio, embreagem, buhas de suspensão, amortecedores, faróis, módulos eletrônicos, peças de motor como bomba d'água, radiador, bobina, coxins, etc). Após ter uma noção de onde estou pisando, hora de ir procurar um exemplar apto a ser comprado.
      É nessa parte que vai da observação. Eu vejo muito a questão do desgaste dos comandos/acabamentos e funcionamento geral dos sistemas mais requisitados:
      - desgastes excessivos em volantes, borrachas dos pedais, manopla de câmbio, apoio de braço, etc (deve ser condizente com a quilometragem apontada).
      - Possíveis riscos nos vidros, especialmente para-brisa, que sejam acentuados demais para a quilometragem alegada ou que estejam com gravação da numeração de chassis despadronizada ou que não sejam mais originais (indica quilometragem baixada, desleixo, carro que fica muito no tempo ou mesmo vidros que foram quebrados e substituidos - indicativo de possível acidente).
      - Estado do tecido dos bancos, forros de porta e forro de teto.
      - Check control do painel (por vezes é muito bom saber como funciona e quais luzes acendem normalmente, se uma delas não ascender - check engine por exemplo - sinal de que pode ter sido desativada para maquiar um problema).
      - Borrachas de vedação das portas e peças móveis (diz muito sobre o histórico da carroceria e apontam de forma sincera o tempo de uso).
      - etc.

      Na parte externa é um pouco mais chato, mas geralmente presto atenção no alinhamento das peças, regularidade das frestas da carroceria, possíveis repinturas e, onde possível, passo a mão por dentro de longarinas e vigas estruturais a procura de soldas e vincos/amassados. Pinturas internas de para-lama e assoalho fora do padrão original são um péssimo indicativo, também.

      Após, dar uma volta é essencial, e que seja longa: A maioria dos grilos e defeitos aparece com o aumento da temperatura de funcionamento e aquela "voltinha na quadra" com o motor frio pode esconder muita coisa. Um teste que faço é acelerar até uns 60km/h e pisar no freio com uma intensidade razoavel, sem segurar no volante, para ver se o carro está bem alinhado. Nos ATs, essencial esquentar o câmbio para verificar se este não patina/dá trancos e forçá-lo em uma subida, com um para-e-anda em superfície íngrime.

      Depois de tudo, se não houverem anormalidades, documentação, manual e algumas notas fiscais de serviços recentes são necessários. Estando ok, então é um carro comprável.
      Lógico que o que eu disse não abarca tudo e não sou nenhum especialista, mas me orgulho de nunca ter feito mal negócio com usado até hoje (e nem nunca ter passado bomba nem tirado vantagem de ninguém). Espero que essas dicas possam lhe ser úteis.

      Excluir
    4. Valeu cara!
      Boas suas dicas.

      Excluir
    5. Tem que seguir essas dicas mesmo para não comprar porcaria, mas e aí, quem tem paciência de fazer isso?

      Excluir
    6. Quando esta paciência significa a economia de dezenas de milhares de reais, eu faço com prazer

      Excluir
    7. Boas dicas mesmo.

      Excluir
  4. Rafael Ribeiro17/09/12 12:20

    Há alguns anos eu também já cheguei a essa conclusão, e desde então só troco meu usados por outros menos usados e sempre constatei que economizei um bocado.

    É claro que a compra tem que ser criteriosa, pois há muito velocímetro adulterado. Por isso comprei carros de quem conheço, com poucos anos de uso (no máximo 03), quilometragem inferior a 50.000km e com revisões carimbadas no manual. E é lógico, carros de que eu realmente gosto, de conhecida qualidade, não pensando unicamente no aspecto financeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como complemento de segurança, sempre vale a pena passar em um revenda ou uma boa oficina especializada para fazer uma leitura da ECU para verificar a quilometragem real, recall's atendidos e etc. Vale o custo, com certeza!

      Excluir
  5. Farjoun, concordo discordando. Concordo com suas contas, mas e se:
    (1)vc tivesse um problema de motor após comprar o carro (com que gasolina o bicho era abastecido, qual o óleo que -se- usou na troca..., se é que trocou).
    (2)vc tivesse um problema no ar-condicionado do seu usado.
    (3)vc. tivesse um problema na suspensão do seu carro. Como o dono anterior passava por buracos e lombadas? Tem certeza absoluta de que o carro não foi sofreu acidente grave? Pega alinhamento, etc?
    (4)vc. tivesse um problema elétrico no seu carro. Painel da ford pifado é pleonasmo, sabe quanto custa trocar um?
    (5)troca de pneus, virá mais cedo, além de outros itens mais caros de revisão.

    Vejo muito bem como quase todos os meus conhecidos tratam seus carros. Não compraria um usado deles nem que me dessem dois anos de garantia total!

    E a perda de valor do zero km é muito grande, sem dúvida, mas a garantia de que, cedo pela manhã, vou bater a chave e ele vai ligar de primeira é muito grande.
    Sds

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael Ribeiro17/09/12 12:46

      Leve em conta que, se o carro tem menos de três anos, durante a garantia deve ter sido revisado em autorizada. Isso é facilmente constatado pelo manual e/ou sistema informatizado da concessionária. Compare se as datas de cada revisão são compatíveis. Faço isso há muitos anos e não tive NENHUMA decepção, apenas sempre fui criterioso na compra. Será que sou muito sortudo? Nunca ganhei sorteio nem acertei loterias...

      E esses seus amigos, hein?...

      Excluir
    2. Rafael, tem um posto sem bandeira duas quadras de minha casa. A gasolina lá é 5 centavos mais barata que um Shell e outro Ipiranga também bem próximos. O tal posto está na lista de procura-se da ANP. Bom, só vejo bmw, mercdes, porsche, volvo, etc. sempre novos abastecendo lá. E trocando óleo também (3 x R$3,99). Carros NOVOS, último modelo... Dá para comprar um carro desses? E quanto aos motoristas que maltratam carro, é só ficar 10 min olhando para o trânsito, ou num estacionamento. Vc. vai ver o que acontece...
      Sds

      Excluir
    3. Pois, Anônimo 13:54, essa história de 0km valer mais a pena eu não sei, agora eu sempre abasteço no mesmo posto "bandeira branca", 10 centavos a menos no litro que os concorrentes do cartel, sem problemas na máquina (Corolla 1.8 flex); agora, de fato, pra quem sabe escolher um bom usado e não depende de financiamento longo, o momento de comprar é agora, alguns concessionários não sabem onde botar tanto "seminovo"

      Excluir
    4. Anônimo das 12:22: Se, se, se... Tudo é questão de probabilidade, mas eu examino o carro com cuidado justamente para diminuir muito a chance de acontecer alguma das coisas que você falou. Até agora, tudo bem. Já tive despesas pesadas com carros meus, mas nunca nem chegaram perto da depreciação de um 0 km.

      Excluir
    5. Ramazzotti é daqueles que sai do cartel dos preços pra cair no cartel dos combustiveis adulterados, que economia besta

      Excluir
  6. Corsário Viajante17/09/12 12:47

    Para quem for da velha escola, pode simplesmente fazer o mesmo que eu: uma tabela no excel (ou googledocs) onde lança todos os gastos, e daí começar a levantar dados, como por exemplo custo anual e custo mensal, além de anotar todas as revisões e peças trocadas.
    De resto, é uma escolha muito particular, que envolve muitos riscos. Eu sempre optei por carro zero por ficar em torno de cinco anos com eles, mas um dia quem sabe me arrisco a partir para um usado para experimentar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corsário, eu também mantenho numa planilha todos os dados do carro. Meu carro, comprado 0 e agora com 2 anos e meio tem todos os serviços, abastecimentos, impostos anotados. Dá pra tirar muitas informações.

      Excluir
  7. Filipe_GTS17/09/12 12:47

    Trata-se de uma incessável discussão.
    Acho que, hoje em dia, caso estivesse procurando um carro, eu optaria por um usado (pouco usado) tipo esse aí, de procedência conhecida, pouco rodado, enfim.
    Agora, chegar numa "garagem" (loja de usados) ou numa concessionária e ir verificar o estoque é burrice.
    O usado que vai comprar é preciso ter certeza de que era bem cuidado. Não há como simplesmente confiar no papo do vendedor e comprar aquele lindo Fusion com 3 anos de uso, lataria brilhando e apenas 15.000km. Eles baixam a quilometragem de todos os carros, é um absurdo.
    Também tem a questão do financiamento, pois para os novos é mais barato.
    Enfim, o usado é uma compra um pouco mais arriscada, pode trazer enormes alegrias como pode também te traumatizar... Tudo depende de saber escolher o carro correto e, definitivamente, procurando no estoque de uma "garagem" não é a forma correta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juros de carros seminovos é o mesmo praticado pelo novos, com exceções das promoções feitas pela fábrica.
      E eu acho que é possível comprar um carro usado de loja. Sempre levar um mecânico de confiança. Eu não compro carro por km, basta ver o estado de conservação.

      Excluir
    2. Como toda discussão saudável, a resposta é sempre essa: Depende!
      Depende se a pessoa está disposta a procurar um carro e investigar todos os detalhes, se ela tem conhecimento ou um mecânico pra isso...
      Quem pode perder dinheiro mas não pode perder tempo o negócio é novo mesmo, não tem jeito.
      No meu caso específico é muito mais vantagem o usado, tenho um certo conhecimento de mecânica, meu pai foi lanterneiro/pintor e depois mecânico, conheço mecânicos dignos de confiança e conheço o dono da loja porque toda a família sempre compra por lá quando é usado.
      Nunca tive problema com carro, e nunca tive um carro 0km

      Excluir
    3. Meu ultimo carro comprei usado, com pouco menos de 11 mil KM rodados. Estava paquerando um Astra 2011, com 9 mil KMs rodados, rodas 16' originais e ar digital. Para minha surpresa, os juros para financiar o carro usado são maiores do que para um carro 0KM, enquanto o novo vc financia com taxas de 1.1%, o usado não se consegue taxa menor que 1.3%.
      O usado é uma boa opção, se o automovel comprado tiver menos de 30 mil KMs rodados e tiver feito todas as revisões. Nunca pegaria um usado com 40 ou 50 mil Kms, pois as revisões mais caras estão mais proximas ou então foram negligenciadas.

      Excluir
    4. Filipe_GTS17/09/12 16:41

      Pois é, acho que tem que contar muito com a sorte.
      Temos um velho amigo da família dono de uma "garagem" de carros usados, já compramos 3 carros excelentes dele. Mas eu sei que ele já enganou muitos por aí...
      Esses dias um amigo comprou um Peugeot 307 2003 com 160.000km no painel por R$ 17.000 (tabela 22mil). Trocou correia e tá andando há uns 3 meses sem maiores problemas. Mas o carro faz um barulho esquisito, sei lá, parece que a qualquer hora vai dar pau. Airbag? ABS? Vai saber se funciona direito... É loucura.
      Também só compro usado se for um velhinho pra reformar (tenho o meu de vinte anos de uso e 300,000km) ou se for km baixa e COMPROVADA, carro que eu conheço, que eu sei de quem era mesmo.
      Meu médico está há meses querendo vender seu Jetta 2007 2.5 completíssimo (teto, xenon, 17") com 55.000km. Pagou R$ 92.000 0-km. Ninguém quer dar mais de R$ 45mil nele. Eu compraria de olhos fechados.

      Excluir
    5. Concordo plenamente com o que disse o Wrca, eu compro carros usados e não compro pela quilometragem, e sim pelo estado atual. Com uma inspeção meticulosa evita-se comprar carro com formação de borra, desgaste excessivo, etc. Quanto a saber se o carro foi "judiado" ou não, se não deixou "sequelas", danos detectáveis, então não foi judiado.

      Excluir
  8. Farjoun, não é fácil comprar um usado, tem que entender muito e mesmo assim arrisca-se levar um carro mau tratado que com baixa quilometragem não apresenta indícios visíveis. Mas com uma certa dose de sorte, concordo que o seminovo é vantagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não apenas sorte, Reynaldo, conhecimento é muito mais importante, saber verificar o real estado do carro.

      Excluir
  9. Sou da linha do Bob Sharp. Melhor marca de carro é Zero. Se não tem dinheiro para comprar um novo de luxo, vai conseguir manter o usado?

    Por isso que desvaloriza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luis AG
      Ah vá !
      Agora você não foi nada simpático.

      Excluir
    2. Depende, a manutenção de um carro usado porém completo é quase a mesma (se não for a mesma) do mesmo modelo zero km pelado.

      Excluir
    3. Filipe_GTS17/09/12 16:46

      Ter um carro imaculado é mesmo um grande prazer. Nunca atropelou lombada, bancos sem rasgos e espuma amassada, lataria sem riscos, motor sem judiação, chassi (monobloco) alinhado, eixos retos, sem resto de gasolina/óleo ruins, orgulho de ser o primeiro a sentar nele e sair, enfim, é demais.
      Se puder comprar um bom (um excelente) 0-km que compre, mas, como aqui no Brasil os carros custam caríssimo, para ter um carro potente e completo precisamos vasculhar o resto dos ricos e achar algo que foi menos surrado...
      Eu sempre digo: Eu não compraria um carro usado por mim mesmo. Eu uso sem dó, dou pau mesmo, buracos lombadas, cortando giro com frequência, enfim, mas faço a manutenção rigorosamente. Troco peças antes de estragar... Mas tem muita gente que cuida bastante, dá pra comprar os carros rejeitados por eles, pouco usados, sem problemas.

      Excluir
    4. Eu não tenho dinheiro pra comprar um carro zero do mesmo segmento que o meu do ano 2000 (teria que desembolsar 60 num zero, o meu velho vale 15 mil), mas certamente que posso mantê-lo tranquilamente, pois não rodo mais que 12000km por ano.

      Excluir
  10. Colocar o Fusion como análise, vale apena um usado. Mas colocar um popular 1.0 básico como medida de comparação, é bem mais negócio pegar um 1.0 zero km do que pegar um 1.0 usado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão é essa, uma das vantagens do usado é ter um carro superior pelo mesmo preço ou menos.
      Por exemplo: Ao invés de um celta 0km, porque não um corsa 1.4 2008-2010?

      Excluir
    2. Pelo preço de um Celta 0km ou de um Corsa 1.4 2008-2010 dá para comprar um carro.

      Excluir
    3. Concordo plenamente! O ideal é fazer a conta, mas tenho a forte impressão de que para populares de entrada, a diferença entre depreciação do 0 km x manutenção do usado é muito pequena, pois estes carros depreciam muito pouco. Agora, por 100 ou 200 reais a mais por mês, eu acredito que eu iria na indiscutível tranquilidade 0 km.

      Excluir
  11. Economicamente o carro usado é vantajoso, não há como negar. Mas comprar um carro 0 km, sabendo que jamais passou por reparo na carroceria, nunca bateu, nunca caiu num buraco e entortou alguma peça da suspensão que foi desentortada precariamente em uma oficina de beira de estrada, que nunca usou um óleo errado, nunca foi usado por fumantes (nada contra quem fuma, mas que fede, fede.), nunca foi usado saindo em 2ª marcha com o motor trepidando a cada cruzamento, nem acelerado a fundo em rotações próximas da marcha lenta, etc. Isso é muito bom! Pra mim vale mais comprar um VW Gol zero km do que um Honda Civic 2004 com sabe-se lá quantos mal tratos ao longo dos seus 96.000 Km.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se fumar fosse algo bonito e cheiroso, ninguém colocaria entre as observações de anúncio de carro que o exemplar é de não fumante.

      Excluir
    2. E quem garante que VOCÊ não vai fazer tudo isso com o carro?

      Se conhecermos o vendedor e sabermos como ele dirige e trata do veículo, sem problemas.

      Excluir
  12. Pra mim, que faço eu mesmo toda a manutenção dos carros de casa, não há dúvidas. Carro usado sai muito mais em conta. Mas para os leigos, acho que pode ser bem estressante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe_GTS17/09/12 15:46

      Não diga "leigos" caro anônimo. Se eu tivesse tempo, eu faria em casa também.

      Excluir
    2. Disse "leigos" porque não basta só gostar e ter um pouco de conhecimento, eu trabalho na reparação automotiva, tenho bastante ferramental e equipamentos, acesso livre à outros que ainda não possuo, um dia (espero que logo) vou ter minha própria oficina.

      Excluir
  13. É o tipo de cálculo que funciona muito bem para seminovos de procedência conhecida, desse modo é bastante válido.

    Eu só compraria um usado tratando-se de um carro que eu já conhecia antes. Principalmente conhecendo o dono...

    MFF

    ResponderExcluir
  14. CMF,

    Não li todo o seu texto, mas discordo de um ponto: não seria justo, também, comparar as despesas de seu Fusion com as de um carro zero-Km de mesma faixa de preço (se for o caso, até dentro da própria Ford)? Acho que, financeiramente falando, entre comprar um carro usado de R$45.000 e um zero de R$80.000 a diferença é grande, não é todo dia que a gente pode arbitrar dessa maneira... rs.

    Não sou a favor da compra de veículos 0 Km, mas achei sua comparação um tanto injusta. O zero-Km custa o dobro do preço, o que significa que custará o dobro em toda conta que envolve porcentagem (IPVA, depreciação, etc.).

    Abraço,
    César.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é exatamente o mesmo carro que ele comparou!

      A comparação foi justíssima. O que não daria era para comparar o fusion usado com, sei lá, um gol 1.6 0km, considerando que o preço de ambos seria o mesmo.

      E a idéia era justamente essa, a de mostrar a diferença de gastos entre um carro com 2 anos de uso e o mesmo carro 0km. Não tinha como ser diferente a conta!

      Excluir
    2. O zero custa o dobro, mas o carro é o mesmo! O benefício é o mesmo!

      Se botar na conta também o custo de oportunidade, ou o rendimento da diferença no banco, ainda dava pra fazer uma retífica no motor e ainda sim vale a pena!

      Pagar 70, 80 mil em um sedã "de mercado" como Civic, Corolla, Fusion, é coisa pra quem é muito ruim de matemática.

      Excluir
    3. ah fala sério, o cara nem leu o texto todo e quer dar opinião??
      ah pelo amor...

      Excluir
    4. Autoclandestino às vezes a pessoa pode ficar entre o usado de outra categoria ou o novo mais simples, aí a conta muda financeiramente e o novo pode sair muito mais barato

      Além disso se fosse tão ruim assim a matemática de comprar esses carros mais caros novos, primeiro que não teria deles usados pra comprar, depois que ninguém faria. Comprar um desses e ficar por muito tempo vale muito a pena e no caso dos japoneses significa gasto de manutenção mínimo e tranquilidade por muitos anos, no fim ainda tem sempre alguém doido pra comprar eles por um bom valor já que são único dono e são carros desejados. Se fosse tão esperto assim simplesmente comprar sempre o usado ninguém vendia seu carro comprado zero e na verdade a maioria dessas oportunidades pra quem é bom de matemática acaba sendo uma furada enorme

      A maioria desses Civic, Corolla, Fusion e Focus já "seminovos" os donos usaram e abusaram e depois passaram a bomba para frente, tendo usado um carro zero e pego um bom preço por ele depois. Já quem compra pega a bomba e depois pra vender recebe pouco, o que descompensa as coisas na hora da troca

      Vai tentar achar esses carros sendo vendidos com apenas um ou 2 anos de uso, que seria o certo pra quem não quer perder dinheiro comprar, não se acha. Então quem quer um deles sem ser bem usado tem que dar os 70 ou 80 mil e não tem jeito, a não ser que de sorte de achar alguém que comprou e não gostou ou que comprou e não pode pagar e está vendendo. Com menos de 3 anos se acha esses carros só sendo de frota, mal cuidados e muito rodados, com mais de 3 é outra coisa completamente diferente

      Excluir
  15. Usado é melhor, mas eu só compro carro 0 km.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah vá !
      Não pisa na gente assim que dói

      Excluir
  16. Desde 1993 que somente compro carros novos.

    Anterior a essa data, adquiri em l981 e 1985 dois Fuscas novos entre outros usados.

    De 1993 para cá, adquiri Uma Parati CL 1,6 ruim, um Corsa hatch 1996 1,6 excelente, um Corsa 1,8 2002 de péssimo para pior, um Clio 1,6 16V 2004 de excelente para melhor e um Astra 06/07 duas portas que tenho até o momento e que considero excelente. Tenho também um Celta 2010 duas portas adquirido novo e sem problemas.

    Em tudo, tive uns vinte carros aproximadamente e problemas com apenas dois.

    O Fusca 81 adquirido zero e o "Imprestável"; ou "Bonitinho mas Ordinário"; ou "Desmancha sem Bater" Corsa 1,8 2002, também adquirido zero.

    Nunca tive problemas com nenhum outro carro, mas os dois acima citados me deram tanta dor de cabeça, que só de lembrar, essa dor volta ainda hoje. O Corsa então foi um suplício. O terror da minha vida, LOL...

    Para resumir, não tive problemas com nenhum usado, mas apenas com dois adquiridos novos e de marcas diferentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CCN

      Você já contou sua relação com esse Corsa várias vezes aqui e sempre fiquei intrigado pois sei que o carro é bom e não vai pra oficina à toa.

      Eu tenho um e meu irmão já está no segundo, todos três impecáveis.

      Até brinco(brincadeira sem graça, diga-se) que com a atual linha da GMB vai ser difícil achar um substituto pra ele.

      Você deve ter dado muito azar com esse carro...

      Excluir
    2. Com certeza CCN vc deu "O" azar das galáxias com o seu corsa...
      conheço 3 pessoas que tem esses corsas e não o trocam por nada... realmente o carro é muito bom...

      Excluir
  17. A comparação deveria ter sido com o Fusion usado por 45 mil ou um carro de uma categoria inferior 0 km e que custasse os mesmos 45 mil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu comentario faz sentido do ponto de vista racional e matematico

      Excluir
    2. ñão concordo, a idéia é essa porque comprar um "popolar" se pode com o mesmo dinheiro entrar numa categoria superior?

      Excluir
    3. Eu nunca trocaria a possibilidade de andar num Fusion usado para andar num Punto 0 km. Por isso comparei Fusion x Fusion, porque comparar Fusion x Punto seria sem sentido, o Fusion bate o Punto em todos os aspectos.

      Excluir
  18. Mesmo sendo um carro de mesmo valor, é impossível vc ter o mesmo nível de conforto/segurança/desempenho que vc terá com o usado. Se vc tiver disponível 40 mil para comprar um veículo, vc optaria por um Focus 2.0 2010 ou um Gol, Sandero, Punto, etc, 0Km???

    Eu prefiro optar por correr o risco de gastar um pouco mais em manutenção que andar nestes carros mancos, inseguros e desconfortáveis.

    Se tivesse dinheiro sobrando, aí sim não pensaria duas vezes. Carro novo sempre. Dinheiro foi feito para gastar. Mas entre optar por pau de arara 0km ou usado confortável não há dúvidas que acho este último mais vantajoso.

    ResponderExcluir
  19. Usado... eu compraria se fosse do Mr.Car
    Anda sempre na casquinha,
    Motor nao passa de 3.000rpm
    Na estrada nao passa de 80km/h (só que nao sai da esquerda)
    Nunca engrenou a 5# marcha
    Tem todas as revisoes carimbadas
    Guarda o carro na garagem e vai trabalhar de conducao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkk!!!

      Excluir
    2. Pelo que ele fala, é vendedor e usa o carro todos os dias. Eu não o compraria, embora completinho, porque é carro de cidade litorânea.

      Excluir
    3. Bosley de La Noy17/09/12 20:28

      Tem gente por aí que deve até dormir pensando nesse Mr. Car...

      Deve ser a S.B.E. (Síndrome da Boiolice Enrustida)

      Excluir
    4. Mr.Car
      Hoje um nome
      Amanha um mito
      Depois uma lenda

      Excluir
    5. Eu gosto do MrCar
      Ele tem bons comentários e da para perceber que entende e gosta de carros
      Acontece que quem tem personalidade forte,opinião formada e sabe se expressar geralmente acaba incomodando as pessoas
      Por isso tem gente que pega no pe dele ou coloca comentários idiotas

      Excluir
    6. Bosley de La Noya
      Deixe de ser ciumento cara.
      O Mr.Car esta sempre no blog, conehce carros e faz otimos comentarios.
      Por favor se instrua mais sobre automoveis , amplie sua cultura , leia e comente no Autoentusiastas.
      Quem sabe um dia voce chegue perto do conhecimento e proficiencia do Mr.Car .

      Excluir
    7. Agora o Mr. Car tem uma verdadeira legião de gays e simpatizantes a seu favor! Tão decendo o pau em quem critica o cara. O amor é lindo!

      Excluir
    8. Anonimo 18/09/12 16:47
      Pessoas inteligentes sao admiradas, infelizmente voce nao tem argumentos ou conhecimento tecnico para discutir sobre carros.

      Excluir
  20. Ultimamente compro carro usado, mas nao porque sou mais esperto como alguns acham, é pela simples falta de dinheiro. Esse negocio de custo-beneficio é coisa de pobre metido a besta. Se eu tivesse grana compraria 0km sem duvida, mas como nao tenho grana para comprar o que eu quero e nao quero as porcarias celta, uno,gol, sandero, ka, e outros compro um usado de outra categoria , mas rezando para nao me dar mal. Ficar tentando convencer os outros que comprar carro usado é melhor financeiramente é balela, simplesmente compra-se um funsion usado por nao ter grana para comprar um novo e nao querer um 0km porcaria. Por isso este post como falaram acima deveria ter sido feito entre o fusion usado e un 0km de valor equivalente.
    Teixeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe_GTS17/09/12 15:51

      Verdade seja dita. Muito bom. Tem chatos que vão dizer "Ah! Com o preço de um Fusion 0-km eu compro um BMW 320i usado", e assim a estória vai continuando sucessivamente.

      Excluir
    2. Falou um pobre metido a besta.

      Excluir
    3. Engano seu companheiro, muitos tem dinheiro pra comprar zero e optam por um igual, só que usado, pra economizar. Rico se preocupa sim senhor em não torrar dinheiro à toa, pois querem continuar sendo ricos.

      Excluir
    4. Que bobagem. Sem querer ser rude, mas pensamento de "pobre metido a besta" é achar que riqueza se faz gastando como rico, e é assim que está cheio de gente por aí atolada com carnê de prestações da grossura de uma bíblia justamente por ignorar a relação custo x benefício.
      É justamente essa falta de cultura econômica que responde por muita coisa errada no nosso mercado (talvez até pelos preços abusivos dos automóveis, não quero entrar nesse mérito).
      E, afinal, se formos considerar a mentalidade de um consumidor europeu - que leva muito essa relação em conta - por sua lógica, então lá são todos uns pobres metidos a besta, espertos são os nacionais (e ricos), piçudos que pagam alto porque podem, né?
      Um carro só é realmente bom na medida de quanto lhe onera para ser comprado e mantido.

      Excluir
  21. Roberto Pontudo17/09/12 14:45

    Pergunta pro Bob se lá na Alemanha ele prefere novo ou usado.

    Afinal, isso lá é importante, pois lá os carros são caríssimos (inclusive vendidos em euros e tudo mais).

    Aqui não, aqui o preço é normal, comprar usado pra ele é "economia porca".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. para um brasileiro é muito mais dificil comprar um carro 0km que para um alemao .
      percentualmente um carro custa mais salarios por aqui que la!
      carro usado europeu , geralmente quando sao vendidos estao com alta kilometragem +100.000km.
      porem as vias e estradas sao muito melhores e os carros tendem a se desgastar menos.

      Excluir
    2. Roberto Pontudo18/09/12 08:57

      Disso eu sei.
      Precisa só explicar pro Bob, que acha os preços daqui tão normais, já que carro é item supérfulo.

      Mal sabe ele que na Alemanha, com o sistema de transporte deles, carro é muito mais DISPENSÁVEL que aqui.

      Queria ver se ele fosse fabricante de queijo fresco no Grajaú se carro não ia ser importante pra ele...

      Típico classe média/alta decadente no quadrilátero do luxo.

      Excluir
  22. Matematicamente, um bom usado é sempre mais vantajoso que um 0km (falando em carros médios para cima). Porém acho que o período de análise foi muito curto, a não ser que o sujeito troque o carro todo ano.
    E aí poderiamos avaliar de outra forma. É mais vantagem trocar de carro todo ano, a cada 2 anos, a cada 3? Ou ficar com o carro de 5 a 8 anos (ou até mesmo 10, como é comum na Europa)?
    Acho que conforme o período se alonga o carro 0km ganha espaço na comparação, não só pelo prazer do novo, mas pela confiabilidade, por saber todo o histórico do mesmo e por não esconder surpresas ou gambiarras que mais cedo ou mais tarde sempre acabam aparecendo.
    Tive conhecido que trabalhou em concessionária e ele me disse que não era raro o cara comprar o carro e voltar 2 ou 3 anos depois para trocar sem nunca ter feito uma revisão ou troca de óleo, nem licenciamento, calibragem de pneus... O que impede a concessionária de carimbar o manual e colocar todas as "revisões" em dia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe_GTS17/09/12 15:54

      NADA impede, absolutamente NADA. Fazem isso direto e muita gente cai. Um grande amigo recentemente trocou seu Kia Sorento com 280.000 (duzentos e oitenta mil quilômetros) percorridos em estradas de terra do interior do DF, MT e GO por um S-10 LTZ 0km. No dia seguinte, lá estava o Sorento exposto em local de destaque na concessionária GM da minha cidade com o painel marcando ordinários 45.000km. Denunciei. 171 neles!

      Excluir
    2. Qual o nome da concessionária?

      Excluir
    3. Muitos desses problemas com carro usado podem ser detectados se adequadamente examinados antes da compra. Não pelo comprador leigo (que fica cegado pela ânsia de ter logo o carro), mas por um profissional, é claro.

      Excluir
    4. Deve ser a Jorlan.

      Excluir
    5. Diga para a gente qual foi a concessionaria.
      precisamos nos proteger e eles merecem passar por um inquisicao!

      Excluir
    6. Melhor seria dizer quais concessionárias não fazem jogadas desonestas, já que a maioria faz mesmo.

      Excluir
    7. Concessionárias/Agências são o paraíso dos Gérsons!

      Excluir
    8. Possíveis Roubossionárias GM da região:

      Cical
      Jorlan
      Capri
      Sempre
      Goyaz
      Smaxx
      Soma
      Grandstar
      Gramarca
      Oeste
      Tudo
      Parvel
      Meka
      Orca
      Pedragon
      Planeta
      Diferente
      Zaher

      Existem outras mas essas são as principais e muitas delas estão nas capitais dos estados citados. Dica: Não confie em ninguém pois são todos malandros e só querem meter a mão no seu bolso.

      Excluir
  23. CMF,

    Uma variavel que considero interessante incluir nessa sua analise e o tempo que pretende-se ficar com o veiculo. Acredito que com um periodo maior, mais os gastos com manutencao do usado levem o seu gasto total a se aproximar do gasto total do zero km. Talvez com periodos maiores ainda, os gastos totais se distanciem novamente. Uma analise temporal seria interessante. Mais um fator a alimentar a polemica!
    Dentro do quadro que voce descreveu, parece possivel concluir que para quem troca de carro de carro a periodos curtos (dois anos), o semi novo seja mais interessante.

    Desculpe a falta de acentos.

    Um grande abraco.

    Grande

    ResponderExcluir
  24. Bom so nao concordo com um ponto do texto. se voce comparar um carro usado com o mesmo modelo novo, com certeza absoluta os numeros finais ficarão menores já que a maioria dos gastos sao percentuais sobre o valor do veiculo, seguro, ipva, desvalorização, etc.

    porem acho q temos q pensar na cabeça do consumidor, acho q poucas pessoas vao pensar vou comprar um fusion zero de 80mil ou um fusion usado de 45 mil, o cara pensa o seguinte, tenho 45 mil e compro um fusion usado ou compro um cobalt, gol, new fiesta etc novo.

    analisando desse ponto de vista para usado vejo como vantagem.
    conforto.
    desempenho.
    desvalorização.

    Como novo vejo a vantagem de.
    garantia.
    juros menores.
    custo de manutenção.

    ao colocar nessa situação teremos uma diferença de custo pequena, onde a pessoa ve se vale ou nao a pena arriscar em um carro usado.

    eu pessoalmente nao tive coragem ainda de arriscar, sempre fico com a impressao que os carros q estou olhando sao mais rodados do que esta no hodometro, e que vao dar mais problemas.

    tenho muito medo de itens dificeis de avaliar em contatos curtos como problemas eletricos, problemas eletronicos (sonsores, centrais, cluster, etc.), ar condicionado e motor, já que poucas pessoas sabem que existe um tipo de oleo para cada motor.

    Alessandro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O uso de óleo errado ou que teve o intervalo de trocas negligenciado deixa sinais fáceis de serem detectados numa inspeção adequada (que quase ninguém faz e por isso acaba comprando "bomba").

      Excluir
  25. Filipe_GTS17/09/12 16:00

    Lembro-me que um amigo queria comprar um carro, na época que lançaram o Gol G5.
    Ele dispunha de 35mil reais. O G5 Power completo custava algo por volta de 38.000 reais (inclusive com segurança).
    Ele comprou um Astra GSI 2004 com teto solar, ar digital, comandos de som no volante e um potente motor de 136cv (parece que tem até mais, pois anda!). Pagou R$ 35.000. O painel marcava 70.000km. Parecia bem cuidado (proprietário anterior no documento = sexo feminino).
    Resultado: teve de refazer o motor, pois o carro abriu o bico logo em seguida, haja vista ter sido usado muito tempo com GNV (foi o que disse o mecânico, pois examinou vestígios da conversão maldita).
    Só que não foi só retificar motor, foi bicos (caríssimos), velas, cabos, embreagem, bombas, amortecedores, retoques de pintura, iluminação, polimento de lentes de farois, pastilhas... A conta passou facilmente dos R$ 40.000.
    Os supostos benefícios do teto solar e demais itens que só o Astra GSI tinha foram por água a baixo. Sem contar que não fez seguro, pois o do GSI é caríssimo. Eu disse, na época, para ele ficar com o Gol. Além do mais, falando em desvalorização, hoje o GSI vale R$ 25.000, ao passo que um Power completo vale R$ 28.000 a 32.000.
    Cada caso é um caso... apenas para compartilhar essa história que lembrei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que acontece é que hoje em dia parece que a população entende ainda menos de carro. Não tá nem aí, mesmo. por exemplo, aquela idéia de que carro de mulher era bom negócio, não cola mais. Mulherada de hoje acha que carro é igual um brinquedo com poucoas peças. Nossa frota é mais nova, mas as pessoas vêem os carros com desgosto cada vez maior. É apenas um meio de transporte. Sou da velha guarda, que dizia que carro é como um casamento.

      João Paulo

      Excluir
    2. Gol é Gol!

      Excluir
    3. Seguro de Gol também não é nada baratinho, pelo menos aqui em SP.

      Dono de Astra GSi que põe kit GNV merece um pontapé de coturno bem no meio da canela.

      Excluir
    4. Confúncio o filósofo17/09/12 16:42

      Apito é apito!

      Falta é falta!

      Carrinho é uno!

      Pênalti é tenis!!!!

      Excluir
    5. "Dono de Astra GSi que põe kit GNV merece um pontapé de coturno bem no meio da canela."
      Concordo 100%!

      Excluir
    6. Esse GNV é uma verdadeira praga, a pessoa compra um carro com motor grande e não quer gastar com combustível, aí usa essa porcaria e o próximo dono que se lasque.
      Ontem tive o imenso desprazer de ver um posto vendendo GNV aqui em Brasília, foi a primeira vez que vi por aqui.

      Excluir
    7. Não compro carro com siglas esportivas. Pra mim, é sinônimo de carro judiado e muito mexido pelo antigo dono.

      Excluir
    8. Por isso que as fábricas não lançam mais versões esportivas de verdade.

      Viram mico.

      Porque brasileiro é sem noção. Joselito mesmo...

      Excluir
    9. Como tem otário no mundo!!!

      O cara compra o carro primeiro pra depois descobrir que o seguro era caro?

      Trouxa tem que se f.... mesmo!!

      Excluir
    10. Pois é... Daí, quem gosta de determinado modelo, simplesmente não pode tê-lo pois a maioria o rejeita.
      Como os fabricantes aqui estão se lixando para imagem elas apenas fabricam aquilo que sabem que irá vender às pencas.
      Produto de nicho ou esportivo por aqui é tabu.
      Além disso, no Brasil, as seguradoras é que determinam se um modelo vinga ou não, dependendo do valor da apólice que irá cobrar do dono deste.
      Estamos lascados.

      Excluir
  26. Vá falar isso pro povinho de hoje? Têm medo até de puxar a alavanca do capô!
    No meu caso, como sempre fui de meter a mão na massa e agora, fazendo um belo curso de mecânica, é negócio até mesmo carro de 20 anos ou mais.

    João Paulo

    ResponderExcluir
  27. Qual o nome da concessionária que fez isso?

    ResponderExcluir
  28. O lado perverso de comprar um usado e ganhar na desvalorização é que muitas vezes o comprador não tem condições de mantê-lo, como teria quem o comprou quando zero. Logo, vai colocar pneus piores, deixar o carro se deteriorar, só fazer manutenção corretiva e com peças de qualidade ruim. É um ciclo vicioso: quanto mais antigo um carro, mais sua manutenção tende a ficar cara e menos dinheiro tende a ter seu novo dono.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc, anônimo.

      Pior, o carro usado uma hora vai requerer mais tempo de oficina, e deixar o dono a pé.
      Depois que pesei tudo, melhor mesmo é comprar carro novo.

      Excluir
  29. Ainda poderia por na conta o custo de oportunidade, o que deixou de ganhar com o valor "parado" no carro se estivesse, por exemplo, na poupança.

    Mas tem que ver que quem compra financiado, a taxa de juros do usado é muito maior do que no carro 0 km.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem sempre a taxa é muito maior, dependendo do ano do usado, sai a mesma coisa. Ou diferença mínima.
      Quanto ao custo de oportunidade, os tempos são outros, mas em 1998, quando eu estava para decidir entre comprar uma picape diesel ou gasolina, fiz as contas e me lembro que se comprasse a versão à gasolina e colocasse a "diferença" num bom fundo de investimento, poderia abastecer só com o rendimento do fundo se rodasse menos que 1000 km por mês. Como eu rodaria muito mais que isso, e também porque preferia o comportamento do motor diesel, acabei comprando a versão mais cara mesmo.

      Excluir
  30. Com absoluta certeza vale, principalmente se você conhecer algo de mecânica, lanternagem ou suspensão, ou se tiver algum mecânico conhecido que lhe dê um aval. Já está na hora de o juros para veículos usados baixar um pouco mais, já que não há motivo para que seja o dobro do 0 Km.

    ResponderExcluir
  31. Bicha Pobre e Invejosa!17/09/12 16:40

    Eu tenho desprezo por quem anda de carro zero!
    Só bofe querendo aparecer.
    Eu ando de onibus e sempre fico com um negão atrás. NA frente pode ser un japinha gostosinho.
    Geme Geme

    ResponderExcluir
  32. Os cálculos apresentados são mto bons e interessantes para quem pretende comprar um usado, porém creio que o conceito do texto está errado. Explico:

    Ninguém considera comprar carros com valores tão díspares. O pensamento correto seria: "Tenho 45K reais e o que posso comprar com isso? Um Punto 0km ou um Fusion usado?" Aí, então, os cálculos deveriam ser feitos considerando a desvalorização de carros de 45K.

    Aos que disseram que ele comparou carros iguais, estão enganados... O Fusion mudou de modelo, caso não se lembram.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mudou de modelo, invalida o cálculo.

      Excluir
    2. Um Fusion usado tem muito mais a oferecer do que um Punto 0 km pelo mesmo preço.

      Excluir
    3. Quem está a fim de um Fusion não vai querer um Punto, no caso. Carros muito diferentes, em tudo.
      Sds

      Excluir
  33. Carlos Cunha17/09/12 16:47

    O exemplo dado foi muito bom, mas não se aplica na maioria dos casos. Quanto maior o preço do carro, mas vantagem tem compra-lo usado com procedência. Alguns ainda tem garantia. No exemplo, fica fácil comparar pois o preço do carro é 80 mil. Mas, e se fosse 40?
    Vendi um Punto que usava para trabalhar, ano 2010 com 65.000km, nunma concessionária. Vendi por R$ 28.000. Um novo, na mesma concessionária valia R4 36.000. Tabela FIPE era 33.000. Meu carro tinha pneus com no maximo 10.000 km de vida, velas, freios tinham que serem trocados. Uma batidinha aqui, uma ralada ali completam o serviço. Não entrarei no mérito de embreagem ou outra coisa pior, pois eu não percebi nada.
    Quem comprar o carro estará comprando uma bomba. Quatro pneus não sairão por menos de mil reais. As trocas de velas, freios e fluidos sairiam pelo menos mil reais. Ou seja, a diferença, isso se a concessionário cobrar o que me pagou já está em 6 mil e o carro continua com 65000 km. Um mês depois abaixou o IPI e quando fui fazer a primeira revisão ele está ainda lá para vender, por 27.000.
    Tirando o fator visual e de status, comprar um carro usado tem um risco. No meu exemplo este risco seria 6 mil reais, a diferença entre ele e um novo. Prefiro ficar sem o risco. No exemplo do post eu assumiria o risco sem medo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos,
      é por aí mesmo!
      Sds

      Excluir
    2. Concordo com você, carros mais caros depreciam mais e tornam a conta muito favorável para o lado do usado. Como você mesmo afirma, no seu caso a diferença é muito menor e vale pensar no zero km. A dica é: FAÇA A CONTA e decida baseado em fatos.

      Excluir
  34. É preciso levar em conta os valores dos carros: No caso do Fusion, se perde muito. Mas se a ideia é comprar um veículo 1.0 básico, essa diferença já não é tão grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diria até que no caso dos populares pelados, o usado NÃO vale a pena... Pelo menos não valia, antes do tombo do IPI. Antes dele, um Celta perdia apenas 5 mil reais em 3 anos, o 0-km acabava sendo mais negócio, pois se somasse os outros 3 mil que o usado perderia nos próximos 3 anos com o maior custo de manutenção, a coisa empataria com o 0 km. E pelo mesmo preço, é sempre melhor andar no mais novinho, não acha?

      Excluir
    2. Justamente Carlos, pois esse tipo de carro se perde pouco, pois a depreciação em termos de valores reais é pequena.

      Excluir
  35. O maior problema que vejo é o preço exorbitante dos carros novos (e por consequência, dos usados). Fora isso, ainda bem que tem gente que compra carro zero e outros os nossos usados... e a roda gira. Outro problema é que a gente naturalmente quer que o próximo carro seja melhor... aí a depreciação e custos também vão aumentando. Mas se o cara quiser manter um carro básico pra trabalhar, o melhor é a segurança do zero, com pouca dor-de-cabeça e pouca depreciação.

    ResponderExcluir
  36. Tem casos e casos.
    No caso do Farjoun, ele elegeu um carro de alta desvalorização e manutenção cara. Se fosse um "popular" com certeza a desvalorização seria menor e a conta com manutenção, mais previsível, ou pelo menos, menor.
    Tem gente que morre de medo de ser enganado e comprar um usado "bichado", para esses eu dou meu conselho, compre um zero quilômetro. Se você não conhece carro usado, compre um novo sem pensar duas vezes.
    Mas existem bons usados, existe muita gente que não deixa de dispensar o máximo cuidado. E nem sempre carro revisado em concessionária é sinônimo de perfeito estado. E tem muito carro novo com defeito também.
    Na verdade os dois mercados dependem um do outro. Se ninguém quisesse comprar carro novo, não se encontrariam bons usados à venda. Se ninguém quisesse comprar usado, as revendas não mais os receberiam na troca e a maioria não conseguiria comprar um novo. E assim por diante. Por isso é uma questão pessoal, mas essa conta eu já fiz há mais de 20 anos. Quanto mais caro, mais dinheiro se perde...

    ResponderExcluir
  37. http://www.novidadesautomotivas.blog.br/2012/09/novos-dacia-logan-e-sandero-vazam-na-web.html

    O patinho feio virou cisne.

    ResponderExcluir
  38. O usado realmente é mais racional tenho um Focus ghia auto 06 , comprado há 2 anos com 29500km, por 31,500 , hoje tem 40,000 km e penso em trocalo justamente por um fusion 2010 , mas o medo não é a desvaloriação e sim a manutençao de um carro desses.Para comprar um novo a desvalorização é muito alta , então vou ficar com o meu até completar 10 anos e ver o que acontece, já que pagar 54,000 num focus 1.6 é um absurdo

    ResponderExcluir
  39. Em 2004 tirei uma Montana zero que ficou comigo até 2 meses atrás (um funcionário deu PT), e estava com 280.000Km, sem nunca ter me deixado na mão, sendo usada várias vezes com muito (mas muito mesmo) peso, apenas fazendo as revisões normais em um mecânico de confiança, trocando somente peças de reposição normais (de anormal somente a bomba de combustível uma vez, o radiador e a bomba d´água), sendo que uma curiosidade foi a de que nunca foi trocado o escapamento (só usei álcool nela sua vida inteira). Agora peguei uma Courier 2011 com 30.000Km, para substituí-la pois foi negócio de ocasião, pois iria pegar uma zero. Mas acredito que meu próximo carro de uso particular (hoje tenho uma Saveiro 11/12 Trend cab simples completa com um ano de uso e 30.000Km) será um usado com no máximo 3 anos de uso e bem cuidado de uma categoria superior (estou pensando em um Sentra mecânico). Zero só se for pra ficar mais de 3 anos, do contrário é dinheiro jogado fora.

    ResponderExcluir
  40. CMF,

    Outro ponto que pensei relendo o post é que é muito complicado comparar carros usados. Por esses mesmos 45 mil se compra uma Mercedes-Benz C 180 usado ano 2004, pode-se encontrar alguma com relativa baixa quilometragem (em torno de 70.000km), e vai andar de Mercedes todo dia. Como o comprador inicial desse carro não quer jogar tanto dinheiro fora, encontra-se muitos exemplares de único dono.

    Porém, veja bem, troque uma bucha de suspensão desse carro, troque uma válvula termostática, um jogo de pneus (e ponha pneu bom, não aqueles pneus porcarias que estão vendendo agora, baratos), conserte um velocímetro, troque uma bomba de combustível.

    Além do que encontre um mecânico competente para mexer nesse carro. Quem compra um Mercedes por 45 mil não vai levar na css pra fazer manutenção, mesmo nós sabendo que a css deles é impecável.

    O risco é grande, os carros encalham e quanto mais caro foi o 0km, se não for um carro de nicho muito específico (superesportivo por ex.), o preço vai cair mesmo, brutalmente, pois o rico não quer manter e o pobre não consegue manter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como você bem lembrou, este tipo de comparação só é válida dentro de certos parâmetros, como dois carros iguais, ou concorrentes em preço quando novos. Até dá para se pensar em algo como um Omega nacional x um Mille 0km, mas já um Alfa-Romeo 164 x um Mille...

      Excluir
  41. Daniel San17/09/12 19:49

    Há uma variável nestes cálculos,que é a questão do financiamento do 0km. É como se todo mês o dono precisasse levá-lo à oficina. Visto por este ângulo,sai mais barato ter um usado adquirido à vista.

    ResponderExcluir
  42. Eu prefiro um usado de até 3 anos....
    eu tenho um focus de 28 mil reais em ótimo estado e não troco por nenhum 0km do mesmo valor....!

    ResponderExcluir
  43. A vida inteira eu e minha família compramos carros zero-km. Deixava o usado na CSS, assinava o cheque e saía de carro novo sem pensar duas vezes. Há uns 10 anos paramos com isso, e mesmo podendo atualmente só compramos carros semi-novos. Eu inclusive acho os carros dos meus pais, e até mesmo de vários amigos que sabem que eu curto e entendo um pouco.

    Nesses 10 anos nunca tive qualquer problema com nenhum dos carros. Pelo contrário, só comprei "jóias" que depois revendi muito bem a conhecidos que sabem como eu sou exigente e cuidadoso. Nos últimos anos foram dois FIT, um GOLF 2004, um A3 2006 e agora um A3 Sport 2.0 TFSI 2011 que ainda está na garantia, todos comprados com menos de 10 mil km e cuidadosamente analisados).

    1) Eu sou autoentusiasta e pra mim é um prazer procurar carros usados em bom estado. Curto ver carros. Mesmo quando não estou procurando um, visito lojas e particulares atrás de um carro bem cuidado, só por prazer e capricho. Pra mim não é sacrifício nenhum.

    2) Eu nunca canso de meus carros e estou sempre curtindo novidades diferentes, pois troco de carro com maior frequência. Compro com até 10 mil km e vendo com uns 30-40 mil no máximo, e como cuido MUITO bem eles ainda estão impecáveis com essa kilometragem. Se eu achar algum com 20 ou 30 mil em bom estado

    3) Gosto de dirigir, gosto de conforto e performance, gosto de um carro bonito por dentro e por fora mas não quero pagar todo o "lucro Brasil" por isso.

    4) Tem muito cara vendendo carro muuito novo e pagando a desvalorização. É só procurar, principalmente no segmento de luxo (acima de R$ 70-80 mil) onde se troca de carro com mais frequência. Quanto mais baixo na tabela - ou seja, quanto mais popular - mais difícil de ser boa a compra, em todos os sentidos (mecânica, conservação, manutenção e preço).

    5) Cada um tem seu critério de compra. Eu não escolho um carro pela relação custo-benefício e sim pelo "máximo benefício que eu posso/quero pagar", por isso tb prefiro um avião de até uns R$ 100 mil com menos de 10 mil km do que um zero-km

    6) Quem entende um pouco de carro e gosta sabe ver quando um carro é "jóia" e quando ele é "preparado". Um carro malhado tem sinais claros, basta não se empolgar na hora de analisar e ter atenção e frieza nos detalhes.

    7) Carros usados realmente bons não custam barato. Se um negócio parece bom demais pra ser verdade (estado do veículo ou preço), é pq provavelmente tem caroço no angú.

    8) Carro novo vira usado depois de 6 meses. Quanto mais barato, mais usado ainda ele vai parecer. Carro usado depois de 6 meses vc já se acostumou e parece que ele sempre foi seu rsss....

    9) A maioria das lojas é picareta mas existem muitas lojas boas e confiáveis. A maioria das mutretas rola nas faixas mais populares, até uns R$ 50 mil (existem excessões, claro). Os segmentos mais altos são vendas-compras mais criteriosas e onde há mais confiança e conhecimento entre as partes, o comprador é mais exigente e informado e portanto os caras arriscam menos.

    10) Já tive problemas com carro zero. Desde uma Ranger XLT daquelas importadas (tanque de gasolina vazando, ponto de solda faltando, entre outros) até um Peugeot 207 perua que ficou 6 meses pra resolver uma zica elétrica que a fábrica lavou as mãos e só depois de muita briga trocou TODO o chicote do carro, até outros que não vale a pena nem ficar lembrando (Monza com 500km parando na Dutra, Citroen XM travando câmbio com 5000km, etc.) Todos zero, todos "confiáveis"... rsss

    Quem conhece a realidade das montadoras/concessionárias sabe: martelinhos de ouro, retoquinhos, gambiarras, ocultação de problemas crônicos até "desova" de carros com problemas crônicos... existe de tudo nesse mundo, um carro semi novo em bom estado não esconde muita coisa, basta saber procurar.

    ResponderExcluir
  44. Bom, o maior problema disso tudo é realmente alguns fatores que implica tanto no usado como tambem serve para o novo que são: referencia do antigo dono, conhecimento em mecânica e histórico do carro no mercado.

    Tenho 4 carros todos comprados usados mas que foi bem difíceis de consegui-los no estado que eu gosto, que são: Opala Coupe SS6 ano 77 vermelho com teto branco, Omega CD 4.1 mecânico ano 96 preto, BMW E36 M3 Alemã ano 98 azul e um Honda Accord V6 ano 10 branco. Todos eles foram anos de espera e procura, mas agora estão reluzentemente lindos em minha garagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que belos carros e bom gosto cara ! Fiquei com inveja braba aqui de sua garagem. Exatamente isso é ser um autoentusiasta. Continua assim !

      Excluir
    2. Aleluia irmãos, oremos todos aqui ! Eu ainda quero realizar um sonho de um Audi S2 ou RS2 em minha garagem. Benza deus rapá !

      Excluir
    3. Santa Inveja! poder escolher qualquer um desses pra andar por aí. Parabéns!

      Ricardo2

      Excluir
  45. Por 40k eu compro o Subaru Impreza 08 que estou pretendendo.
    Se eu tivesse o dinheiro para comprar o mesmo carro 0km, com certeza compraria um Wrx usado.
    Se eu tivesse o dinheiro para comprar um Wrx 0km, compraria um melhor ainda também usado... E assim por diante.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou dessa opinião. Principalmente enquanto preço de carro no Brasil for B.O. (bom pra otário).

      Excluir
    2. E existe essa necessidade de estar sempre com um carro de uma versão mais cara e potente mesmo? Será que se vc tivesse o dinheiro para um WRX 0km, não estaria suficiente ele no lugar de um usado ainda mais potente que certamente seria um abacaxi depois de algum tempo?

      Excluir
    3. Penso igual a voce, só não sei onde tem um Impreza WRX ano 2008 por esse preço, que quem tem um deste pede pra lá de 60k.

      Excluir
    4. Anônimo das 18/09/12 00:21, voce realmente não conhece os Subarus não é ? Pois saiba que são carros que realmente aguentam muito coro e a manutenção é pouca como todo carro japonês. O problema da Subaru do Brasil é a porcaria da Caoa que não dá valor e só quer vender aquelas marcas de mentirinha que todos sabem quem é, a que engana todo mundo aqui.

      Excluir
    5. Anonimo 00:30 conheço e gosto de Subarus, mas WRX usado é abacaxi. O carro é ótimo e muito resistente, mas é um esportivo caro e forte com peças caras e desvalorizado. Comprar ele do primeiro dono é uma coisa se conseguir encontrar um bom (a maioria foi muito judiada, até em terra foi usado) depois manter e vender ele na hora de precisar trocar por outro é outra coisa. É a mesma coisa com A3 turbo e outros, só que o WRX por ser menos vendido acaba sendo mais dificil ainda nesse sentido

      Não é culpa do carro, ele deve ser o esportivo mais resistente que tem e um dos melhores também, mas vai ter que se enfrentar isso e imagina então procurar um carro ainda mais rápido, mais caro e menos resistente no lugar de um WRX zero? É pra pensar se esse raciocinio de comprar o melhor que dá, usado ainda por cima pra ser melhor ainda, sempre é bom

      Excluir
    6. Um ótimo tema que deve ser abordado aqui é justamente este de que algumas marcas no Brasil são praticamente desconhecidas nestas bandas, mas que lá fora são marcas que vedem muito bem e receberam prêmios a torto e a direita como carro do ano, motor de ano por revista e entidades sérias, como é o caso da Subaru.

      Excluir
  46. Marcelo Junji17/09/12 23:50

    Com certeza o próximo carro que irei comprar será um usado. Todos os novos que adquiri vieram com defeitos, e os defeitos não foram corrigidos pois a autorizada sempre alega que o problema é característica do veículo. E dos usados que comprei , nenhum deu dor de cabeça.
    Hoje em dia acho muito mais lógico adquirir um usado, se vier com defeitos, conserto sem crise. Agora gastar muito dinheiro num carro novo, perder dinheiro com isso e ainda não consertarem o defeito em garantia, essa causa de raiva não passo nunca mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o que você acha que acontece com os novos que vieram com defeito? Viram usados

      Excluir
    2. Mas quando são usados já foram consertados por fábrica, concessionária ou pelo dono. E o que o Junji falou foi que é aceitável arrumar zica de carro usado, mas ter que arrumar carro novinho pago caríssimo é demais pra sanidade mental. Conheço uma pessoa que sempre teve carro usado e comprou um Gol G5 zero. Deu tanto problema que foi o primeiro e último carro novo do sujeito.

      Excluir
    3. Voce acha mesmo que foram arrumados? São passados pra frente, poucos esquentam a cabeça

      Gol G5 é péssimo exemplo, o carro saiu muito ruim no primeiro ano e é bem a situação atual da VW no Brasil. Carros caros, desatualizados e com qualidade caindo há muito tempo e só estão sobrando alguns poucos modelos que já não conseguem ser como antigamente. Nas concessionárias vende só Gol e Fox, e olhe lá, o resto morreu

      Excluir
    4. Realmente o Gol G5 no início com o motor 1.0 foi muito ruim por parte da VW Brasil em lançar um carro com aqueles problemas graves de lubrificação. Mas no meu caso tenho um Gol G5 1.6 2010 com 55 mil km rodados que até hoje não me deu trabalho algum, só as despesas periódicas comuns de qualquer carro, porem hoje se pesquisar bem mesmo, o Gol é uma boa pedida, mas a diferença de preços na própria rede de CSS é enorme, o meu que é completo de tudo mesmo, saia a 48k em um lugar e 43 em outro no final das contas. Olho vivo pessoal.

      Excluir
    5. Complicado mesmo entender como a VW que faz carros muitos bom mesmo lá fora, com real tecnologia de ponta e acabamento excelentes, esta entre a 3 maiores fabricantes do mundo e aqui, cometer estes descasos e depreciar a própria imagem como vem cometendo dos anos 2000 para cá (que para não ser injusto foi o ano do declínio geral na indústria "nacional"). Imaginem se a VW Brasil fosse esperta de verdade e quisesse vender como agua, dominar o mercado novamente era simplesmente jogar isso tudo fora que existe de nacional aqui, trazer sem choro nem vela os belos motores e tudo mais que existe dela lá fora e por exemplo, no Gol G7, ter aquele belo e ganhador de prêmios como motor do ano na europa, o motor FSI 1.4 ou o para o finado GTi o TFSI com 185cv...Mas ela é burra e mercenária como o resto do mercado nacional...mas quem sabe um dia a coisa melhore no mínimo a esses patamares.

      Excluir
    6. Não seja ingênuo, meu filho. Se um Gol G5 completo chega na casa dos 50k quanto é que vc acha que vai custar um sonhado GTi com motor de 185cv? O declínio não começou em 2000. A indústria é que já nasceu bichada e SEMPRE nos tratou como macacos. E pode botar as novatas nesse balaio tbm.

      Excluir
    7. Aliás, a única fábrica que chegou aqui e tentou nos tratar com decência foi a MBB de Juiz de Fora e seu Classe A. Só que a macacada não compreendeu muito bem do que se tratava e deu no que deu, ralou peito daqui quatro anos depois.

      Excluir
    8. Eu li Gol G7?

      Autoentusiasta pra caramba hein?

      O Gol atual no máximo é um real "G3"...

      Excluir
    9. na boa, o Antonio Filho só escreve bosta.

      deu no saco já...

      Excluir
    10. Seminovo muito novo = ex-novo com vários defeitos de fábrica... do qual o dono se livrou quando pôde...

      Excluir
    11. Pessoal como de costume não sabe interpretar ou nem lê o texto e ainda fica enchendo o saco. Mas apesar de tudo, duvido que todos não gostaria que tudo que escrevi se tornasse realidade.

      E se os que não gostam do que escrevo, façam o favor mínimo de ficarem "calados" e passar a diante, que já deu no saco mesmo essa minoria que só vem aqui criticar os outros em vez de escrever algo que preste e seja útil.

      Excluir
    12. "essa minoria que só vem aqui criticar os outros em vez de escrever algo que preste e seja útil."

      Ora ora, vejam só.

      Excluir
    13. Seminovo muito novo que o dono passa pra frente = fobia de velhice.

      Excluir
    14. Filho,
      você está defecando pela boca. Mais uma vez.

      Excluir
  47. Antônio Martins18/09/12 03:14

    Carro com banco peidado não é comigo não

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fala assim do Bob.

      Excluir
    2. Mr. Carmaggedon18/09/12 12:38

      Só trocar os bancos e tá resolvido!!

      Excluir
  48. Bruno Souza18/09/12 04:49

    Vc só esqueceu de uma coisa, o 0km tem garantia completa e mais longa, no usado vc pode nem tê-la caso compre de particular.

    Um problema na caixa, por exemplo, vai levar boa parte da vantagem embora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1200 reias só pra descer a caixa.

      6800 quando dá defeito

      Excluir
    2. http://www.automatik.com.br/anuncio_6t70_ml.html

      Excluir
  49. peraí, tem que ser muito alienado pra pagar 83660 num 4 cilindros zero km, uma rápida consulta ao webmotors mostra isso..

    preço de tabela, fipe, isso não é mais parâmetro.. se na conta entrou o valor real do usado (45 mil), os outros valores têm que ser reais também

    CMF, pode dar mais detalhes dessa manutenção/oficina (pastilhas dianteiras, polias, correia)? valeu!

    ResponderExcluir
  50. A triste realidade é que o povo Brasileiro não sabe comprar, essa é a verdade... a boa parte do povão quer carro para aparecer, para dar status, para mostrar que ele tem um carro melhor que o do vizinho.

    Vou citar alguns exemplos: a VW trouxe o Jetta de geração anterior, o carro era a nata de seu segmento, nada havia semelhante em termos de porte e segmento.. quantas unidades vendia por mês? Mês bom vendia 400un... aí o carro foi remodelado, simplificado, porém agora com um porte maior... todo mês são 1600un..... e o Polo? Até um ano atrás, ele era disparado o melhor da categoria... vende 900un / mês.... e o New Fiesta, qto. tá vendendo por mês? Vale a pena mesmo a indústria trazer o que há de melhor para cá? Pessoas preferem comprar um Fox Prime à um Polo, custam quase à mesma coisa, mas não existe nem comparação.... a imprensa também é culpada, no lançamento do Gol GV, uma revista promoveu um embate entre Gol x Fox x Polo e tiveram a pachorra de dizer que o Gol vencia o comparativo.... outro dia a Folha de SP também divulgou um embate entre Polo x Novo Palio, vitória do Palio.. não é fanatismo, é ridículo.. quem conhece um pouquinho sobre construção automobilística se sente frustrado.... sem comentários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Goncales
      Concordo , como dono de Polo . Mas Gol5 e Fox (novo) estao muito bons tambem! Se voce tiver a oportunidade de experimenta-los vai ter uma agradavel surpresa , acredite! o fox me desagrada a posicao alta dos bancos. Outro carro muito gostoso de dirigir é o Voyage !
      Realmente a imprensa dita especializada nao entende nada! choro qdo leio essas materias .... ou qdo foleio um exemplar da 4rodas.
      Saudacoes

      Excluir
    2. anônimo 18/9/12 14:00
      Bem se vê que você não conhece aí o espanhol. O cara é apzeiro e trabalha lá, naquela fábrica, quase sempre coberta de neblina pela manhã. Deve conhecer mais ou menos o que eles andam fazendo por lá.

      Excluir
    3. Anonimo, fala o que eu te fiz? Mostre a sua cara velho! Qual o problema de gostar de AP? Eu sou um APzeiro sim, mas não fanático, longe disso, não acho que o AP é a última bolacha do pacote... Mostre a sua cara e vamos debater em alto nível, velho.... sai do anonimato e pára de me atacar cara...... faltam argumentos?

      Kct, que perseguição besta de merda!

      Excluir
    4. Não dá pra discutir com quem só considera VW e bota o resto no lixo. Fica difícil assim.

      Excluir
    5. Anonimo 14:00: realmente eu trabalho na fábrica quase sempre coberta de neblina e conheço bem Gol Polo e Fox.... não to falando mal de Fox e Gol, pelo contrário, eu gosto muito do Gol, mas o Polo está uns degraus acima destes dois

      Forte Abraço!

      Excluir
    6. Sou o anonimo das 14:00hs
      Que legal deve ser trabalhar na ind automobilistica
      Bom saber que vc trabalha na VW e pode tar trazendo informacao e novidades para nos
      Ha alguma chance de termos o Golf 7 ?
      Tive um Golf no inicio dos anos 2000 e te digo foi un dos meus melhores carros! tenho saudades , mas jamais compraria o Golf atual (muito cansado)
      Abraco

      Excluir
    7. Anonimo 16:38, se você está se referindo à minha pessoa vc está totalmente enganado.... não é porque trabalho lá que sou tapado e não enxergo o que as outras tem..... lógico que tenho as minhas preferências mas sei bem das qualidades das outras também... Honda e Toyota são excelentes, só acho o Corolla carro de tiozão, o Del Rey dessa década, mas de qualidade inquestionável.... idem Honda, adorava o Civic de geração anterior, no meu ver, este regrediu, mas ainda continua sendo um excelente produto, assim como City e Fit, que mesmo não gostando do design, são excelentes... gosto muito da Ford atual, acho que a GM já foi muito bacana, hoje não mais (salvo alguns produtos como Cruze e S10) e não gosto de Fiat, não concordo com a metodologia de trabalho deles, ponto. São ruins? Não no meu ponto de vista, mas existem coisas melhores no mercado. Simples assim.

      Excluir
    8. Anonimo 16:50: não posso passar informação alguma, é meu pescoço que está à premio....

      Abraços

      Excluir
    9. Sou dono de um Polo (meu 1º Volks), comprado zero e revisões sempre em dia. O carro está ok. Porém, o que eu vejo: as pessoas não fazem manutenção corretamente; o brasileiro, em geral, não gosta de carro - gosta do status associado ao carro,mas não do mundo do automóvel em si. E não sei se é marcação minha, mas o pessoal que compra VW, pelo menos na minha cidade, NÂO é autoentusiasta. Sempre me sinto deslocado na concessionária. Acho que por isso o Polo não pegou - o público da VW não entendeu a proposta.
      Por isso é que comprar um usado depende da procedência (o dono anterior fazia manutenção correta? não colocava combustível duvidoso por uma economia porca de 2 centavos? etc. etc) Se você não conhece o dono anterior e não tem mecânico de confiança, é melhor comprar zero km.

      Ricardo2

      Excluir
  51. Vale e muito, dependendo do carro e preço!
    A fórmula é simples: baixa kilometragem e pouco uso. Precisa saber olhar e verificar. Quem conhee se dá bem e quem nào conhece quase sempre se dá mal. Honda Accord, Camry, etc sào exemplos de acerto garantido. Inquebráveis e baixíssima manutenção. No meu caso, fujo de Peugeots, Citroens, Volks, Renauts, Fords e Chevrolets, a não ser tops de linha de ótima reputação. E os casos citados estes sào raros.MAC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Honda Accord e Camry só vejo aqueles dos anos 90 rodando por aí. Se for esses, não rola.

      Excluir
    2. E onde tem sobrando Camry e Accord com baixa km? Carro assim é raridade, não dá pra todo mundo

      Excluir
  52. Aléssio Marinho18/09/12 10:50

    Tive vários carros usados. Achava normal levá-lo pra oficina pra apertar cada parafuso, pois usava os carros também para trabalhar.
    Mas depois que comprei o meu primeiro 0km, vi que a confiabilidade era muito superior, o fato de ter o carro 100% do tempo disponível e confiável compensa qualquer depreciação ou vantagem financeira. Tranquilidade não tem preço.
    Quem gosta de oficina é mecânico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isto é conhecido como "pagar para não se aborrecer", embora por vezes, o sujeito acabe se aborrecendo do mesmo jeito, he, he!

      Excluir
    2. A essência do carro é a mecânica e um conjunto de peças trabalhando. Se o sujeito não gosta ou não quer conhecer o mínimo de mecânica, não serve pra ter carro.

      Excluir
    3. anonimo 13:55

      Então vá dizer isso para milhões de pessoas assim como vc descreve e que possuem e dirigem automóveis pra ver o que acontece. Isso aí é o mesmo que dizer que quem não sabe trocar uma placa mãe ou um disco rígido não pode ter um computador.
      Pelamor!

      Excluir
    4. Parafraseando mais ou menos o anônimo das 13:55, a essência do ser humano é a vida e um conjunto de órgãos trabalhando. Se o sujeito não gosta ou não quer conhecer o mínimo de medicina/anatomia não serve pra existir.

      Mas é cada um que aparece por aqui...

      Excluir
    5. Hahaha... como tem bicho ignorante e preconceituoso nesse planeta Terra! Eu achava que já tinha ouvido tudo.

      Excluir
  53. Juro que não entendo quem defende a compra de um zero ser mais vantajosa que um 0 km.

    Este exemplo do Route explana muito bem.

    Com 11.000 "dilmas" em um Fusion 2008, como do exemplo, dá para reformá-lo, praticamente. Os "gastos" com peças em um carro desta idade em boas condições, é praticamente idêntico à um zero. Quase nada.

    Dá para trocar pneus, fazer suspensão, trocar o tecido/couro dos acabamentos e bancos, retocar/polir a pintura e sobra grana ainda.

    Sinceramente? Carro 0 km é, pra mim, ostentação. Pensando de forma racional, um 0 km compensa somente por ostentação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ostentação!? Acho que quem compra um popular zero não deve estar muito preocupado com isso.

      Excluir
    2. Mas quem compra um Fusion 0 Km com certeza está, principalmente se colocar aquelas rodas de 20 polegadas e encher o porta malas com aquelas cornetas. "Manolo's" Stile!!!

      Excluir
    3. Simples, retifica um motor, uma caixa de direção e ainda arruma um problema no cambio e esses 11 mil reais vão embora rapidinho. Aliás, porque comprar um Fusion usado também não é ostentação? Tem carro novo bem mais barato que faz tudo que ele faz melhor, como um Focus (curva mais, anda mais, etc). As pessoas parecem que nunca querem pensar nos motivos dos outros que podem ser diferentes dos seus

      Compre um Fusion zero sem ser para ostentação e fique com ele um bom tempo pra ver se não compensa. Já se for pra trocar de 2 em 2 anos independente de tudo, como faz a maioria que compra ele usado também, aí é jogar dinheiro fora

      Excluir
    4. Quem compra carro popular ZeroKM tb ostenta. Status não existe só entre os ricos, mas em qualquer meio social, em todas as faixas.

      O rico ostenta seu alemão/inglês/etc. top de linha de R$ 100.000, 200.000 ou mais entre seus amigos de condomínio fechado que circulam na mesma esfera.

      O classe média compromete seu salário por 5 anos pra ostentar seu japonês/coreano (branco, claro...) entre seus colegas de pombal (aqueles condomínios com 3 prédios e 900 apertamentos...).

      E o assalariado enfia os tubos nos populares nacionais ou chineses xing-ling que ele provavelmente vai ter que devolver antes da 7a parcela pra se mostrar pros vizinhos da perifa.

      C´est tout la même merde...

      Excluir
    5. Troque uma roda trincada e quatro pneus... mais uma lanterna traseira quebrada... não vai sobrar muito para a reforma não...
      Sds.

      Excluir
  54. Gente, que medo é esse com manutenção de carro usado?
    E que medo é esse de batidas? Quem nunca bateu um carro no transito caótico dos dias de hoje?

    Se alguém não bateu, alguém não dirige muito, ou tem muita sorte.
    E se o carro teve uma batida leve que não afetou sua estrutura e o serviço de reparo foi bem feito? Ótimo, até mesmo porque se tivesse comprometido a estrutura, aqueles laudos deveriam revelar, e nenhuma seguradora iria aceitar seu carro. Ah, e se por um acaso voce pegar uma bomba com o chassis torto, é só entrar com um processo contra a loja que te vendeu, vício oculto é praticamente causa ganha. Só tem o incomodo da demora, mas se for pra falar de demora e de ficar sem o carro, tem muito carro novo por aí que sai da linha de montagem com defeitos graves e o fabricante não se mexe. O dono pode ficar a pé, esperando, com um carro 0km na garagem enquanto um processo corre na justiça. Tinham até sites que seus donos fizeram em protesto, se não me engano os mais recentes eram de um Focus e um Megane.

    E se o dono anterior era um relaxado e detonou a suspensão? Existem peças de reposição, independente do preço, vai ficar como novo, e vai durar muito se for bem cuidado.
    E se o dono anterior era um animal e desgastou embreagem, caixa de cambio e seja lá o que for? Bom, não tem como danificar a caixa de cambio inteira, é só trocar o que desgastou! E se for um bom automático japones, ele aguenta muito, mas muito tranco, nem se o cara for um cupim de ferro ele consegue quebrar um cambio desses em pouco tempo. O mesmo vale para o motor, se ele não tiver defeitos de fabricação, o cupim de ferro não vai conseguir quebrar ou diminuir significativamente sua vida útil em um curto prazo.

    Muitos conhecidos meus compraram carros usados com baixa km, eu os ajudei a escolher fazendo a análise básica, e ninguém teve maiores problemas até hoje, tirando um caso de um amigo que comprou um carro 1.0 da torcida brasileira com mais de 180 mil km... Ele funciona, mas está com tanta folga que bebe óleo de canudinho.

    Parei de comprar 0km e já estou no meu segundo usado (ambos coreanos, kia e depois hyundai). A vantagem de te obrigar a fazer as revisões na CSS durante 5 anos para se manter a garantia, é de que voce vai ter certeza de que o carro teve sua manutenção feita corretamente (ou não, depende da CSS), e que a KM no painel está correta(ou muito próxima da correta), é só ver os carimbos de revisão no manual de garantia e consultar qualquer CSS, eles possuem histórico completo. O hyundai foi comprado com 24 mil km e em 1 ano rodei 39 mil km com todas as revisões feitas na CSS. Pulei de popular para sedã grande de luxo, e nenhum dos meus populares chegou tão bem aos 60 mil km, mesmo tendo passado por uso mais leve, e tendo um cuidado muito maior.

    Custo de manutenção é alto sim, mas são carros mais robustos, duram mais, e oferecem muito mais. Eu mereço e posso manter um desses, mas se voce acha que não merece, ou não pode manter, continue gastando em um popular a mesma coisa que eu gasto em um V6. Ou então pague o que pedem em um carro descente 0km, vai ser mais um pra eu escolher quando voce colocar ele no mercado de usados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O dia que Hyundai ou Kia for referência... só lembrar que a pouco mais de uma década deixaram um monte de brasileiro na mão, agora tão aí de novo... vai ser engraçado ver quando eles fugirem novamente.

      Só vai sobrar as "Sportage" custando barato sem peça de reposição.

      Outra coisa... você já viu um câmbio realmente estourado? Você já retificou um motor? Sabe o custo e também a dificuldade de encontrar alguém que faça bem feito, ou você acha que vai levar na CAOA e vão querer retificar o seu motor por míseros 10 mil. Pois é. Faz esse motor V6 aí pra você ver...

      Marcas queimadas no Brasil são muitas... Kia, Hyundai, Suzuki (carros), Dodge, Alfa Romeo... tudo abandonaram o barco e deixaram os donos na mão, a maioria é de qualidade, só que eles sempre trataram o brasileiro como lixo e muitas ainda tem a pouca vergonha de voltar a vender aqui.

      Excluir
    2. http://www.automatik.com.br/anuncio_6t70_ml.html

      6800 pra reparar a caixa do Fusion, e tá cheio de Fusion dando pau nessa caixa com baixa quilometragem, só pesquisar. Depois falam de Hyundai...

      Excluir
    3. Véio, falou e disse! Eu concordo com 99% do que vc comentou aí, tb acho que brasileiro é uma raça tão malandra que desconfia de tudo e de todos só pq a maioria é malandra. Tem muito bom negócio no mercado de usados, e o que é bom dá trabalho mesmo. Quer moleza, senta no pudim.

      Aos que a-do-ram carro ZERO, por favor continuem comprando, pagando a desvalorização maior do primeiro e segundo anos, trocando de carro e abastecendo o mercado. Obrigado!

      Excluir
    4. Carro é máquina, sempre pode (e vai) dar pau em algum momento. Ninguém tem visão de Raio-X ou bola de cristal, mas dá pra avaliar bem se entender um pouco e tiver paciência.

      Agora, na hora da compra o único critério realmente OBJETIVO que dá pra avaliar sem erro é o PREÇO, seja de zeroKM ou usado. Nesse quesito, o usado ainda tem vantagem. Está nas nossas mãos tentar melhorar a vantagem nos demais quesitos tb.

      E outra: semi-novo não é lenda como se diz. Tá cheio de carro usado de CSS ou particular (pra quem prefere) ou loja (pra quem não se melindra e sabe procurar) com baixa KM e excelente estado.

      Quem não tem tempo, paciência ou o mínimo de conhecimento, realmente está mais garantido partindo pra um ZERO.

      Excluir
    5. Falou falou e só disse farofa. Realmente essas coisas de ter medo de batida e de defeito é besteira, todo carro vai ter isso em algum momento ainda mais se for de cidade grande. Mas arrumar bem essas coisas nunca é fácil nem barato, pelo menos não hoje em dia que qualquer funilaria boca de porco te cobra milao pra alinhar qualquer coisinha e ainda ficar ruim

      Além do mais vai fazer tudo o que vc está falando, arrumar um cambio, uma suspensão, um motor e tudo mais direito e depois volta com a mesma opinião aqui que é tudo tão fácil

      Outra coisa é que vc compra carros com apenas 1 ano de uso, raridade pois quem compra zero raramente vende em tão pouco tempo já que desvaloriza muito. Quem vende em tão pouco tempo ou teve problema pra pagar ou com o carro, existem ainda os que torram grana mas isso é raro. Quando chega nas revendas é tudo grande negócio mas na real a história quase sempre é outra

      Mas não se preocupe, tem sempre alguém que vai usar o carro estragando tudo e sem manter direito e depois "abastecer o mercado" pra felizes como vc que acham que vão dar jeito fácil na retifica de um V6 coreano

      Excluir
  55. Sou dono de um Polo (meu 1º Volks), comprado zero e revisões sempre em dia. O carro está ok. Porém, o que eu vejo: as pessoas não fazem manutenção corretamente; o brasileiro, em geral, não gosta de carro - gosta do status associado ao carro,mas não do mundo do automóvel em si. E não sei se é marcação minha, mas o pessoal que compra VW, pelo menos na minha cidade, NÂO é autoentusiasta. Sempre me sinto deslocado na concessionária. Acho que por isso o Polo não pegou - o público da VW não entendeu a proposta.
    Por isso é que comprar um usado depende da procedência (o dono anterior fazia manutenção correta? não colocava combustível duvidoso por uma economia porca de 2 centavos? etc. etc) Se você não conhece o dono anterior e não tem mecânico de confiança, é melhor comprar zero km.

    ResponderExcluir
  56. Na boa, cada um compra o que lhe convier, o que lhe for mais vantajoso, tanto do ponto de vista emocional como financeiro e ponto final. Brasília-DF

    ResponderExcluir
  57. Na boa, cada um compra o que lhe convier, o que lhe for mais vantajoso, tanto do ponto de vista emocional como financeiro e ponto final. Brasília-DF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mister Car18/09/12 23:44

      Típico vaselina sem opinião própria.

      Excluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...