23 de março de 2012

HONDA CR-V MUDA E GANHA CÂMBIO MANUAL

Fotos: Divulgação Honda


Depois de quinze anos, o Honda CR-V (Compact Recreational Vehicle) chega à quarta geração “rebaixado” pela fábrica de utilitário esporte para crossover, essa mistura de utilitário com perua surgida no Salão de Detroit de 2000. As mudanças mais importantes no veículo importado do México são o motor de 1,997 cm³ monocomando 16V com 5 cv mais, para 155 cv a 6.500 rpm e torque de 19,4 m·kgf a 4.300 rpm (não mudou, só ocorre 100 rpm mais tarde), e a novidade da disponibilidade de câmbio manual de 6 marchas (versão LX), pois antes o CR-V só era vendido no Brasil, começando em 2000, com caixa automática, que continua de 5 marchas (versões LX opcional e EXL).

O eficiente motor de 1.997 cm³ desenvolve mais 5 cv agora, para 155 cv

As dimensões mudaram ligeiramente, exceto o entreeixos de 2.620 mm. O comprimento foi reduzido em 45 mm, agora é de 4.530 mm, a largura permaneceu inalterada (1.820) porém o veículo está mais baixo, 1.650 ante 1.680 mm. Pequenas alterações de estilo tornaram o CR-V mas atraente e os faróis contam agora com sensor crepuscular. 

Realmente mais crossover que utilitário

As rodas de 17 pol. foram redesenhadas, ficando a mesma medida dos pneus, 225/65R17V, para uso em asfalto. O compartimento de bagagem aumentou 33 litros e agora acomoda 589 litros com os bancos na posição normal e 1.146 litros até à altura do vidro traseiro.

Um destaque do novo CR-V é o rebatimento dos bancos traseiros: puxando-se uma alavanca em cada lateral os bancos rebatem-se sem auxílio manual.

Vê-se mais perto do vidro uma das maçanetas para rebater o banco traseiro

As modificações no motor foram pequenas, resumindo-se a revestimento anti-atrito nos pistões, ao comando oco e à nova calibração dos parâmetros de injeção e ignição. Como a ordem do dia é economizar combustível e, na esteira, reduzir as emissões de CO2, a sexta marcha do câmbio manual é bem longa, 0,647:1, que com o diferencial 5,333:1 proporciona 39,6 km/h por 1.000 rpm, para baixa rotação do motor em velocidade de auto-estrada (120 km/h a 3.000 rpm). 

No automático, mais longo ainda em quinta, são 59,4 km/h por 1.000 rpm, 120 km/h a 2.000 rpm. Mas a Honda infelizmente não informa os consumos normalizados e não foi possível verificá-lo pelo computador de bordo devido ao local onde o CR-V foi avaliado, a pista da Fazenda Capuava, em Indaiatuba, SP.


Novo no pedaço: alavanca do câmbio manual de 6 marchas; velocímetro é grande demais

A versão EXL vem também com tração nas quatro rodas do tipo sob demanda, predominantemente dianteira, recurso indisponível na LX, independente de câmbio manual ou automático.

Os preços são LX manual R$ 84.700, LX automática R$ 87.900, ambas com tração só dianteira, e EXL, R$ 103.200. Exclusivos desta última são o teto solar de acionamento elétrico e o os bancos revestidos de couro (tecido, na LX). Todos os vidros são um-toque subida e descida, com função antiesmagamento.

O mote do novo CR-V é inteligência. Há desde o falar ao telefone sem tirar as mãos do volante ao dirigir de modo mais econômico premindo o botão ECON. Há também o mostrador multiinformativo inteligente, em que são exibidos na tela de cristal líquido dedicada, no centro do painel, diversas informações, como áudio e navegação, computador de bordo, imagem da câmera de ré e conexão Bluetooth. A função ECON, por sua vez, define condução econômica ou normal.

O botão ECON

Na versão EXL foi incluída a assistência elétrica de direção adaptativa, que combinada com o controle de estabilidade contribui para a segurança nas curvas ao dificultar o esterço na direção errada, e o assistente de subidas, mais importante com o câmbio manual.

As informações no mostrador multiinformatico compreendem computador de bordo de nove funções, áudio, ajuste de várias funções do veículo e navegação por GPS.

A função ECON determina várias mudanças no CR-V, como controle do acelerador, ar-condicionado e controlador automático de velocidade. As acelerações tornam-se mais lentas mesmo que o motorista acelere mais, o ar-condicionado digital – de duas zonas – passa a usar mais recirculação (70%) e o ventilador fica mais lento, e as retomadas de velocidade pelo controlador também são mais calmas. Um medidor de consumo instantâneo ajuda a encontrar o ponto mais econômico.

A tela de 6,5 pol. do navegador é tátil (são duas telas no painel), de fácil uso e a imagem da câmera de ré aparece na tela do GPS na versão EXL e no mostrador multinformativo na LX.

A suspensão independente nas quatro rodas permanece McPherson na dianteira e triângulos superpostos na traseira e os freios são a disco nas quatro rodas, com ABS e distribuição eletrônica das forças de frenagem.


Rodas de 17 polegadas têm novo desenho

Andando na pista da fazenda, deu para notar como esses carros mais altos melhoraram o comportamento, pouco devendo a um sedã numa utilização normal. Só andando muito forte é que a maior altura se manifesta, inclusive levantando a roda dianteira interna à curva. Evidentemente, o controle de estabilidade contribui para a sensação de segurança, que é real.

Mas não apreciei nem um pouco o gigantesco velocímetro "à MINI" e o conta-giros obscurecido pelo enorme instrumento. Umas aulas com a Volkswagen que nesse campo seriam úteis.

E para quem aprecia câmbios manuais, como as pessoas da minha idade, a decisão da Honda em oferecer esse tipo de câmbio é totalmente bem-vinda.


O bom teto solar da versão EXL
BS



44 comentários:

  1. Victor Gomes23/03/12 12:26

    Espero somente que esta nova geração mantenha o mesmo padrão de qualidade das antigas.

    E Bob, duas correções somente:
    - A primeira CR-V foi lançada em 1996.
    - Até 2001 (1ª geração), a CR-V tinha opção de câmbio manual no mercado brasileiro. Porém, são raríssimas de se ver por nossas ruas.

    ResponderExcluir
  2. Rafael Ribeiro23/03/12 12:28

    Como proprietário de um CRV 2008 LX automático (não existia manual à venda), posso dizer que seu consumo é apenas razoável: 8km/l cidade e 10 a 11km/l na estrada, dependendo da tocada, sempre dentro dos limites de "velocidade familiar", proposta do veículo. O câmbio automático é um tanto indeciso, tira o brilho do motor, bem adequado à proposta.

    Quanto à estabilidade, é boa, mas abaixo do Mitsubishi ASX, seu concorrente, que já dirigi várias vezes. Esse é bem mais esperto, em todos os aspectos.

    Para o uso familiar, é excelente, com espaço mais do que suficiente para tudo o que imaginar. A qualidade geral é ótima. Para autoentusiastas, sugiro ter na garagem um segundo veículo para lazer, que te dê mais "tesão", seja um fusquinha(meu caso), um V-8 ou um conversível...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O câmbio é indeciso ou a falta de potência do motor obriga o câmbio a trabalhar muito?

      Excluir
    2. É por falta de motor mesmo. Nos New Fit ocorre a mesma coisa. A caixa em si é nota 10.

      Excluir
  3. A nova frente, sem ser sensacional, é mais equilibrada. À antiga parecia faltar um pedaço.

    ResponderExcluir
  4. Prefereria um Freemont manual, mais bonita, mais barata, mais espaçosa e mais completa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é Fiat/Chrysler...
      Qualidade que deixa a desejar.

      Excluir
    2. Romualdo,

      Qualidade que deixa a desejar???

      Isso é pura falácia.

      Excluir
    3. Ok, compre um Chrysler dos seus sonhos e depois me diga quanto a sua qualidade, ok? Já os fiat, para carros pequenos e de baixo custo e baixo valor agregado, tudo bem.

      Excluir
    4. Na boa, entre CR-V e Freemont prefiro o ítalo-americano.

      Excluir
    5. Na boa, entre CR-V e Freemont prefiro um Journey.

      Excluir
    6. Entre CR-V, Freemont e Journey eu fico com a saudosa Veraneio.
      Felipe Tavares

      Excluir
    7. Entre CR-V, Freemont e journey, eu fico com a Kombi mesmo!

      Excluir
    8. Anonimo 12:02 se eu soubesse que a kombi esstava no pareo nem citava a veraneio.
      Felipe Tavares.

      Excluir
    9. KKKKKKKKKKKKK.....

      Excluir
  5. Bob, gostaria de saber sobre o desempenho do motor, pois me parece um motor inadequado para o tamanho e peso do veiculo. Acho que para a proposta poderia até não ser muito potente, mas deveria ter um bom torque e em rotações mais baixas. Não estou querendo competir com ele, mas fico imaginando subir a serra com a familia completa e carregado de bagagens. Fique à vontade de corrigir se falei besteira.

    Eduardo

    ResponderExcluir
  6. O carro é lerdo. Por esse porte deveria ter um motor turbo com injeção direta. Honda e toyota estão atrasadas neste critério.

    ResponderExcluir
  7. motor fraco pra tal aplicação.

    ResponderExcluir
  8. Bob, só não acho que "pessoas da sua idade" sejam o alvo da versão com câmbio manual. Eu prefiro, e não sou exatamente da sua idade.
    Acho que a questão é gostar de dirigir ou considerar isso um mal necessário para a locomoção. A se destacar que o carro não deve ser lá muito leve, já que uma potência relativamente alta para uso familiar o torna apenas adequado. Para uma maioria dos compradores, é uma opção a se considerar, nem tanto pelo que oferece, mas por que o mercado NÃO oferece muitas peruas a esse preço.
    E como esse diferencial é curto! Exigência para auqeles 8% de compradores de SUV que usam o carro no fora de estrada por umas poucas horas não se decepcionarem? Daí que mesmo com seis marchas, ele acaba viajando com as mesmas rotações de um modelo com motor de menor cilindrada e bem menos tecnologia embarcada.
    Também não gostei do velocímetro. Vai exigir um plebiscito a cada troca de marchas. Mas, dentro da proposta de carro familiar, pode ser mais um assunto para se "conversar" durante as relaxantes viajens...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brauliostafora
      O diferencial é curto devido ao diâmetro da roda. Veja que o resultado da sexta na caixa manual é um bom valor para baixo giro em estrada considerando o porte do carro com motor de 155 cv.

      Excluir
  9. Um tanto exígua esta avaliação. E as informações precisas qto ao desempenho???

    Informações técnicas do motor???

    Taxa de compressão e peso do veículo? Comparação com os concorrentes?

    Obs: As impressões sobre o J5 foram um insulto a todos que acompanham este blog desde o início. Motor inadequado para a massa do veículo! Isso é evidente, e o Bob tentando compensar isto com outras particularidades.

    54K naquela carroça! Q raiva, bicho! Como tem idiota neste país!

    Nícolas, Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  10. Amo motores, e entre tudo que envolve um carro é a parte que mais me interessa, mas não entendo os comentários. A maioria ainda não andou nos carros e já julgam como sendo fraco entre outras coisas. Acredito que não é fraco não, tanto este quanto o J5 deve ser suficiente, suficiente para a qualidade do nosso combustível/estradas/competência do condutor (na sua maioria incapazes de reagir ou controlar um carro medianamente bem), suficiente para não ser multado a cada "esticada". Como entusiasta sei da importância de reserva de potência, de torque à disposição, o que não concordo é este julgamento antecipado e sem base alguma, aliás tem base em ficha técnica e relação peso potência. Um carro não é só isso. Tem que ver a proposta do carro, algum destes propos ser mais rápido que um ou outro modelo? O uso deles é voltado para desempenho? Não.
    Carros com proposta ou apelo esportivo como o Veloster por exemplo, estes sim são dignos de serem criticados por não entregarem o que prometem.
    Não dá pra dar final e fazer zero 0 a 100 toda hora, e a maioria não quer isso.
    Estes últimos carros avaliados são para a familia...

    ResponderExcluir
  11. Caio Cavalcante23/03/12 17:35

    Bob,
    Você chegou a simular alguma situação onde a direção adaptativa interceda junto com o controle de tração? A atuação é muito ou pouco perceptível ao volante? Contribui ou para quem sabe guiar é um estorvo?
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caio Cavalcante
      Não cheguei. Isso se aplica a uma escapada de traseira, que para chegar a ela no seco, só fazendo muita grossura. Se estivesse chovendo, certamente teria experimentado. Para quem sabe guiar deve ser um estorvo mesmo.

      Excluir
  12. Um carro desses com caixa manual, que bobagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade

      Excluir
    2. Desculpem os dois anônimos, mas em que está a bobagem, podem explicar?

      Excluir
    3. Precisa explicar?

      Excluir
    4. Bob e pessoal do AE: demorou a vocês eliminarem de vez os anônimos, os caras só postam para irritar mesmo. Não sei nem porque vocês ainda respondem.

      Excluir
    5. Vc não aceita opinião contrária?

      Excluir
  13. Putz, em meio a essa proliferação injustificada dos automáticos, um bem vindo cambio manual!

    Nos agora raros testes de versões com cambio manual, me espanto com o desempenho. Sedan pacatos fazendo 0 a 100 na casa dos 10s e relando os 200 é coisa comum. Procurem ver o que anda um Corolla, Civic, Focus 2.0, Sentra, Fluence, City, etc, nas versões MANUAIS. Dá gosto! Mas é só para quem sabe, e aprecia. Tadinhos daqueles que seguem a modinha automática!

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. perfeito

      Excluir
    2. Lorenzo Frigerio24/03/12 03:03

      Depende do número de marchas da versão automática. Ademais, os câmbios automáticos atuais têm conversor de torque lockup, o que melhora o desempenho e a economia. No caso desse carro, a maior vantagem do automático está na última marcha mais longa. A questão de desempenho, porém, não tem muito a ver, visto que, hoje em dia, as estradas e cidades são lotadaças de carros, então não temos muita oportunidade de exigir do motor. De qualquer jeito, se um carro perde em desempenho por ser automático, então é porque não tem motor, para começar.

      Excluir
    3. Comprar um dos citados de caixa manual é falta de grana e querer se aparecer com uma suposta habilidade.

      Excluir
    4. Sempre vai ser assim.
      Quem prefere um carro com cambio manual, vai chegar outro que gosta de cambio automático, e vai dizer que o cara não tem grana pra pegar um cambio automático.

      A preferencia pelo cambio é gosto, e isso não se discute. E pra dirigir um carro com cambio automatico não precisa ter habilidade. É só acelerar, frear e saber girar o volante. Pra dirigir um carro desse, nem precisa 20 aulas pra tirar CNH, só comprar um que estacione automaticamente, e pronto. Pra dirigir carro automatico, não precisa de CNH, só ler o manual do carro.

      E viva aos motoristas, que por enquanto é motorista, depois, com tanta tecnologia automática, não vai existir mais motorista, o carro vai fazer tudo.

      Excluir
    5. E é aquilo. Pra uns, dirigir é hobby, como se fosse um esporte, tem gosto por isso, e maioria são amantes de um bom cambio manual.
      Já pra uns, dirigir é coisa qualquer, e quanto mais facilitado for, melhor.

      Excluir
  14. Pra um carro desse tipo, com essa proposta, acho que o automático é mais adequado. No entanto, não gosto nem de carros desse tipo, nem de automaticos...

    ResponderExcluir
  15. Por esse preço, só faz sentido comprar pela teórica economia de combustível e se o cara for fã da Honda. Freemont e Captiva me agradam mais.

    Também acho que não se justifica o câmbio manual nesse preço e tipo de veículo.

    ResponderExcluir
  16. Dentro de exatamente um ano estarei trocando meu carro (Corolla Xei 08/09) por um utilitário na faixa de preço do CRV. As opções que considero neste momento são CRV, Captiva e Sportage. Acho um ponto negativo em CRV (pelo menos na versão LX) e Sportage os mesmos não terem ESP. Quanto ao Captiva tenho receio de alguma mudança em seu desenho no próximo ano uma vez que ele já está no mercado sem modificações já há algum tempo. Queria saber dos colegas, ou do Bob, se alguém sabe de alguma mudança nele para o próximo ano. BDF.

    ResponderExcluir
  17. Lorenzo, os automáticos são verdadeiros parasitas da potencia do motor. Claro, se voce tem um usina de 1000cv a sua disposição, dá para tolerar perdas. Pelo menos no meu caso, não tenho caixa para bancar usinas que não se importam um carregar um traste de um conversor de torque. E veja bem, não estou falando dos manuais automatizados, que estes sim, são razoáveis.
    Meio que off topic, muitos lamentam a saída do Civic SI. Bobagem. Sabe estes sedans que citei antes? Diversão garantida quando são manuais. Não andam tanto quanto o SI, é claro, mas a diferença é menor do que se imagina. E gastando de 30 a 50 mil rex a menos.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  18. Gostei , mas infelizmente é muito caro nao tenho como comprar uma.

    ResponderExcluir
  19. Se quer um carro manual só pra andar forte...compra um March 1.6 ... que acelera mais do que todos os citados.... de final perde... MAs quem compra um sedan ou SUV desses quer conforto... e cambio AUTO é conforto... Entao Nào adianta ficar criticando isso ou aquilo... cada um compra o que prefere...

    Ivan SM

    ResponderExcluir
  20. Acabo de fazer uma viagem de 4500 km com a nova CRV branca 2012 Exl . fui de Sao,Paulo a Montevideo, com ida pelo litoral e volta pelo interior, pela Serra Gaucha. O carro deu zero problema e siquer baixou oleo. Na s reta entre Pelotas e Chui, andei a 170 kms hora, por quase uma hora, sem aquecimento ou desvio por ventos laterais. Soh encontrei dois modelos iguais em Punta dl Este, soh diferentes por terem estofamentos cinza enquanto por aqui sao pretos e soh claro quando a pintur a eh marron. Nas ultrapassagens em pista unica com grnande transito de caminhoes, usa se o botao ao lado da alavanca do camvio automatico, que reduz para terceirae confere o arranque necessario para ultrapassagens apertadas. O consumo ficou em torno de 11 kms litro o que julgo excelente. ConclusAo....Carro nota dez para o que se propoe.
    JL GARCIA

    ResponderExcluir
  21. Acabo de fazer uma viagem de 4500 km com a nova CRV branca 2012 Exl . fui de Sao,Paulo a Montevideo, com ida pelo litoral e volta pelo interior, pela Serra Gaucha. O carro deu zero problema e siquer baixou oleo. Na s reta entre Pelotas e Chui, andei a 170 kms hora, por quase uma hora, sem aquecimento ou desvio por ventos laterais. Soh encontrei dois modelos iguais em Punta dl Este, soh diferentes por terem estofamentos cinza enquanto por aqui sao pretos e soh claro quando a pintur a eh marron. Nas ultrapassagens em pista unica com grnande transito de caminhoes, usa se o botao ao lado da alavanca do camvio automatico, que reduz para terceirae confere o arranque necessario para ultrapassagens apertadas. O consumo ficou em torno de 11 kms litro o que julgo excelente. ConclusAo....Carro nota dez para o que se propoe.
    JL GARCIA

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...