Google+

1 de fevereiro de 2011

VELOCÍMETRO ANALÓGICO OU DIGITAL?


Há uma boa polêmica no nosso grupo sobre qual tipo de leitura de velocímetro é melhor, a tradicional analógica ou a digital. Eu sempre fui muito tradicional nesse ponto, sempre apreciei o ponteiro ques sobe na sua escala, até mesmo compondo o visual do quadro de instrumentos com o conta-giros. Mas  revi esse conceito e hoje prefiro saber em que velocidade está o carro lendo um número diretamente.

Alguns carros como Audi, BMW e Volkswagen de Jetta para cima mais recentes possibilitam escolher no mostrador multiinformação localizado entre  o conta-giros e velocímetro normais a leitura de velocidade em dígitos. Nos Porsches há uma janela no próprio conta-giros (foto acima) que exibe leitura digital. E em outros, como os Citroëns C3 e C4, só digital.

Há muitos argumentos contra e a favor de um  de outro sistema. A favor do analógico a questão de ser mais fácil ver onde o ponteiro se encontra, desde que a escala seja adequada, permita boa sensibilidade de leitura, e o fato de se visuallizar a velocidade crescendo ao observar ponteiro sem precisar qualquer interpretação.

O meu argumento a favor do digital atualmente é não se depender de observação ponteiro-escala, bastando um relance para se saber a velocidade. Isso se torna ainda mais importante quando se deseja andar no limite da tolerância de medição dos radares e detectores de velocidade das lombadas eletrônicas, e pardais estabelecidos pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial (Inmetro) pela Portaria n° 115 de 26/6/98 do órgão.

Essa tolerância é de 7 km/h até 100 km/h e 7% acima disso. Por exemplo, se o limite é 40 km/h, somando 7 km/h temos 47 km/h. O aparelho só registrará a passgem a uma velocidade real (não a do velocímetro) de 48 km/h. Já numa autoestrada de 120 km/h de limite, mais 7% dá 128,4 km/h, que arredondando (isto é oficial) dá 129 km/h. Só a 130 km/h é que ocorrerá o disparo de equipamento de medição. Nesses momentos uma leitura precisa da velocidade, sem ter que interpretar o que o ponteiro mostra, é de grande valia.

Mais ainda quando se quer aplicar o erro de indicação de velocidade que praticamente todo velocímetro tem para se andar o mais rapidamente possível sem cometer infração. Nos carros com computador de bordo basta zerar a função velocidade média e observar o momento em que o o resultado do cálculo é mostrado, que é a velocidade real. Compara-se com o que o velocímetro exibe e sabe-se qual o erro. Adiciona-se este à leitura do velocímetro e desse modo pode-se andar no limite sem risco de ser multado. Essa capacidade o velocímetro analógico não possui. Pode ser feito, mas é difícil.

A verificação de velocidade com velocímetro digital é tão fácil que mesmo que ele esteja fora do campo de visão direto, como no Citroën C4 Picasso, localizado no centro do painel, têm-se noção exata de a quanto está o veículo.

Paimel do Citroën C4 Picasso com velocímetro no centro (foto motorclube.com)
Como velocímetro analógico essa localização torna a leitura mais difícil, há o efeito da paralaxe (para o observador o ponteiro não está onde parece), mas carros como o Mini e até o atual, MINI, têm o velocímetro no centro, este último mais por tradição do que qualquer outra coisa. Mas fábrica cuidou para que no conta-giros do MINI houvesse um velocímetro digital. Decisão acertada.

O primeiro Mini, de 1959 (esq.) e o MINI atual: velocímetros no centro (fotos cochesalaventa.com e aronline.co.uk)

Quanto aos demais instrumentos, podem ser analógicos, pois não requerem precisão absoluta de leitura.  São até bastante decorativos, convenhamos, como mostra foto da abertura, o quadro de instrumentos do Porsche 911 Turbo.

Nos carros de corrida era muito comum fixar os instrumentos virados para que o que fosse normal deixar os ponteiros na vertical, inclusive e principalmente o conta-giros, que desse modo podiam ser verificados com a visão periférica, sem se precisar olhar diretamente para eles.

Nos três instrumentos, ponteiros na vertical indicam tudo certo (foto britishracecar.com)
Sim, hoje velocímetro digital. Nem há o que discutir. O resto dos instrumentos é o resto.

BS

(Atualizado às 12h30 com informação de haver velocímetro digital no conta-giros do MINI)

74 comentários:

  1. Gosto do arranjo das motos atuais, com velocímetro digital e conta-giros analógico.

    ResponderExcluir
  2. É, Bob, não podemos negar que o velocímetro digital tem suas vantagens em relação ao analógico. É mais funcional e ponto.

    Beleza é questão pessoal. O ponteirinho subindo e descendo na escala tem seu charme, e isso é inegável.

    Como eu jamais conceberia um Karmann-Ghia com velocímetro digital, acharia estranho também um C4 com analógico(não uso o Civic como exemplo pois minha referência ainda são os bons, duráveis e honestos Civic das gerações anteriores à atual).

    No fim, resta, para pilotagem, que o contagiros seja analógico, em escala bem definida. Se for pra ser digital, que seja acrescido de uma discreta e eficiente luz-de-troca.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Concordo Bob;

    Os ponteiros são bonitos e tudo, mas com a "popularização" de dispositivos repressores e não educadores, o bom mesmo é a informação rápida e mais intuitiva dos digitais.

    O próprio GPS, cada vez mais em uso, decretará como segundo plano o uso do velocímetro analógico.

    ResponderExcluir
  4. Eu particularmente não aprecio o velocímetro digital por que é difícil quantificar a aceleração/desaceleração do veículo.

    Também não gosto dos passageiros bisbilhotando sobre a velocidade que ando.

    Já os dados de temperatura e pressão de óleo/água eu sou muito mais a favor do digital pois são dados que exigem uma leitura precisa.

    ResponderExcluir
  5. Prefiro analógicos e que sejam posicionados logo atrás do volante.

    ResponderExcluir
  6. Bob, você tem certeza absoluta da tolerância dos radares? Ouvi do Kassabão que estavam baixando a tolerância para 5% ou algo assim.

    Ademais, o GPS é um grande aliado nessas horas, pois ele mostrará sempre a velocidade real, mesmo que você mude diâmetro de pneus.

    ResponderExcluir
  7. Pode até ser que o velocímetro digital proporcione uma leitura mais rápida da velocidade, mas prefiro o analógico e SEMPRE atrás do volante.

    Não vejo a menor graça em paineis digitais. Mesmo na época do Omega, Kadett GSI em que "todo mundo" adorava aquele monte de luzinhas, eu achava tudo muito sem graça.

    Outra coisa que também "não entra na minha cabeça" são esses painéis centrais. Gosto é gosto, mas jamais compraria um carro com um painel desse, acho horrível. Sem contar que, como disse o Perneta, é "ótimo" para os passageiros do banco traseiro pedirem para ir mais devagar....

    Quando às multas, cansei de ver em estrada, vários motoristas de civic (já que é facil vc constatar a velocidade em que o cara trafega), ao passar por um radar cujo limite é 120km/h, reduzir para menos de 110km/h.

    Marco

    ResponderExcluir
  8. Sigo a ideia do Perneta: velocímetro, conta-giros e indicadores de pressão analógicos e indicadores de temperatura digitais, especialmente arrefecimento e óleo.

    Se bem que... qual carro nacional traz indicação de temperatura de óleo? Diversos só tem luz-espia de superaquecimento do líquido de arrefecimento, impedindo que o motorista antecipe o problema.

    ResponderExcluir
  9. Perneta
    Acho que se pode quantificar aceleração, faço isso de vez em quando sem problema. Mas não entendo o que você quer dizer ao se referir à desaceleração. Seria eficiência de frenagem ou reduzir velocidade abruptamente diante de um pardal? Nesse caso o velocímetro analógico é até mais lerdo que o digital.

    ResponderExcluir
  10. Ítalo
    Em motores normais de série a temperatura do óleo deixou de ser preocupação há muito tempo, além de até 130 °C os óleos atuais, mesmo os minerais, segurarem a pressão em nível seguro. Quanto à luz-espia e termômetro d'água, hoje estes praticamente não se mexem mais além do normal, são feitos assim para não preocupar. Mas quando se mexem invariavelmente sobem de uma vez, condição em que sistemas de luz-espia acusam superaquecimento. O termômetro d'água deixou de ser essencial.

    ResponderExcluir
  11. Um painel digital lindo era o do Monza, com contagiros em múltiplas cores e os odometros analógicos meio perdidos no meio. Foi tirado de linha por que a imprensa especializada da época achava difícil de ler. E, onvelhamos, o painel analógico dos monza/kadett era perfeito para a estrada: Poneiro vertical, tudo OK. Mais para a direita, muito lento, mais para a esquerda, rápido demais.

    ResponderExcluir
  12. Se todo mundo que tem carteira soubesse dirigir nem seria preciso ter velocímetro.

    ResponderExcluir
  13. sou dos que preferem ponteiros. mas são irritantes certos clusters, como os Pug 206/207 e os VW "Geração 3,5" (mostradores de fundo branco) cujos ponteiros lerdos não acompanham completamente a variação de velocidade e, sobretudo, rpm. Cambeia-se, por exemplo, de 2ª pra 3ª rapidamente, o giro já tá subindo e o ponteirinho atrasado ainda caindo da troca de marcha. uma meleca.

    ResponderExcluir
  14. Bob, você esqueceu da leitura de combustível. Quando é feita em medida digital discreta com escala pequena de cada barra do mostrador.

    Um exemplo é o Fiesta conhecido como mk6. Nesse caso um analógico com a possibilidade de fazer interpolação era muito mais confiável.

    ResponderExcluir
  15. Painel do A4 (e outros da linha Audi) atual é perfeito neste ponto. Grande velocimetro analógico e no LCD que está entre o velocimetro e o conta-giros, vc pode colocar varias informacoes, entre elas a velocidade.
    http://blogs.insideline.com/roadtests/2010/10/2009-audi-a4-avant-warning-signs.html#more
    http://blogs.insideline.com/roadtests/2010/09/2009-audi-a4-avant-the-three-faces-of-dic.html#more

    ResponderExcluir
  16. Diego M. de Sousa
    Concordo, é o ideal.

    ResponderExcluir
  17. Bob, sobre o termometro de água, eu concordo com vc para o carro da minha mulher... ela liga e sai andando e nunca passa de 3-4k rpm mesmo. Meu caso que saio de casa e só pego uma estrada, fico de olho até chegar na temperatura de trabalho para levar até os 6k 6k e algo rpm no trajeto divertido e tranquilo que liga minha casa ao trabalho, por isso só luz espia nao funciona.

    ResponderExcluir
  18. Eduardo Zanetti
    Gosto também de conta-giros de escala gráfica, como no C4. Inclusive o shift light é a mudança de cor de todo o conta-giros de amarelo para vermelho.

    ResponderExcluir
  19. Caio Ferrari,
    Essa tolerância que citei não é da Prefeitura, mas do instrumento de medição, determinado pelo Inmetro. Pode ser que haja ou houvesse outra, mas não é oficial. Pode confiar no que escrevi.

    ResponderExcluir
  20. Nunca dirigi um carro com velocímetro digital, por isso, não posso dizer que é pior ou melhor que o analógico (basta que seja razoavelmente preciso) ... não vejo problemas, desde que sua visibilidade no painel seja boa e o motorista não precise desviar a atenção para visualizá-lo ... acredito que seja uma questão de gosto ... algo parecido com os relógios de pulso ... quando surgiu o digital, as pessoas estranharam ... mas agora, que a disponibilidade é grande, vai "do gosto do freguês" ... mesma coisa aconteceu com os carros "4 portas" (que não era do gosto do basileiro, mas acabou "pegando"), o câmbio automático/hidramático (ou qualquer outro "ático que existe) também, quando as fábricas disponibilizaram em bom número, sua aceitação cresceu ...

    Geraldo

    ResponderExcluir
  21. O Inominado01/02/11 12:38

    Como você bem disse, Bob, para andar acima do limite de velocidade tem que aferir o velocímetro. Não dá pra aplicar "anda a 10km/h a mais" como regra, por exemplo.

    O velocímetro do Civic Si não tem margem de erro. A velocidade que ele acusa é exatamente a mesma do GPS. Na verdade ele erra para menos, quando ele marca 215km/h o GPS marca 216!! Todas as outras marcações são idênticas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho um SI a menos de um ano, e também constatei essa margem nula do SI pelo GPS.
      Acho perfeita a Disposição do painel do civic, onde tem o contagiros e velocímetro centrais, ambos em posições privilegiada, principalmente pra andar no limite, tanto de rotação quanto de velocidade.
      Os esportivos, mesmo com velocímetros analógicos privilegiam a posição central pro contagiros. Nos caminhões também, onde é mais importante andar no giro certo.

      Excluir
  22. Marco
    Eu também tinha bronca de velocímetro central, mas quando é central e digital a consulta é tão boa quanto se estiver diante de você, acredite. No MINI, há no conta-giros um velocímetro digital. Inclusive, atualizei o post com essa informação, pois faltava. Permita-me dar-lhe uma dica quando tiver passageiros que eventualmente peçam para ir mais devagar ao poderem ver velocímetro central. Inicie a viagem ou trajeto guiando bem calmo, como se tivesse uma caixa de ovos solta no banco traseiro. Va aumentando o ritmo aos poucos e quando chegar ao seu modo de andar ninguém reclamará.

    ResponderExcluir
  23. O Inominado
    Uma vez peguei um Vectra que era assim, não tinha erro de velocímetro. 100 km/h era rápido, incrível.

    ResponderExcluir
  24. Tenho um C4 e quando lançaram o carro também torci o nariz para o painel central... mas bastam 10 minutos com o carro para se acostumar.
    Como fica em uma posição avançada, mais próximo ao para-brisa e os números no indicador são garrafais, desvia-se menos a atenção da estrada para conferir a velocidade do que com os painéis na posição convencional, que têm que ficar abaixo do aro do volante.
    Hoje prefiro essa posição central (avançada), sem sombra de dúvida.

    ResponderExcluir
  25. Em alguns carros Ford é possível "ativar" um velocímetro digital. Eu já testei em Escort Zetec e em Fiesta Street. É simples, basta ligar a ignição mantendo o botão que zera o odômetro parcial acionado. O velocimetro deve varrer todo o campo, bem como os demais mostradores, a partir desse momento o mostrador passa a mostrar diversos parâmetros, como um computador de bordo, um deles é a velocidade real, sem erro. Já usei muito esse recurso em ralis de regularidade.

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Caio Cavalcante01/02/11 15:21

    Bob,
    Por incrível que pareça, no Jetta eu percebi que o velocímetro digital é mais lento, principalmente em desacelerações.
    Sobre luz-espia para temperatura do líquido de arrefecimento não mostrar quando o motor ainda está frio, o Tiida tem uma boa solução: traz uma outra luz-espia, azul, que apaga quando o motor aquece. Nele realmente não há necessidade de relógio com ponteiro.
    Grande abraço a todos.

    ResponderExcluir
  28. Eu pessoalmente acho que a combinação mais bonita é um velocímetro digital e um conta-giros gráfico (digital, mas não numérico). Similar aos painéis digitais da Chevrolet nos anos 90.

    Mas ainda acho que os mostradores de ponteiro são mais práticos e simples de ler, pelo simples fato que com o tempo, só de "bater o olho" na posição do ponteiro você já sabe a velocidade que está, sem precisar efetivamente ler o número como no digital.

    Outro problema do digital é que as pessoas tendem a ter preferência por números, e isso pode ser um fator de distração se o motorista começar a se esforçar para andar em números "redondos", por exemplo, múltiplos de 10 ou de 5. Já no de ponteiro, a idéia de estar "quase a tal velocidade" é mais natural.

    Num futuro próximo, creio que essa discussão nem será mais necessária, conforme se popularizarem os painéis de instrumentos virtuais: na verdade telas de computador, em que o motorista poderá escolher a apresentação dos dados da maneira que mais o agradar.

    ResponderExcluir
  29. Caio Cavalcante
    Sempre noto ponteiro mais lento do que números decrescendo. A luz de frio é muito importante. O Ford Galaxie era assim e o Honda Fit/City também. Serve para acusar válvula termostática presa aberta, especialmente numa descida de serra. Também, qualquer demora em apagar após ligar o carro pela manhã indica problema na válvula. No City que sei há poucos dias a lâmpada azul apagava antes de chegar à rampa de saída da garagem.

    ResponderExcluir
  30. Rodrigo Savazzi
    Informação preciosíssima. Como descobriu isso?

    ResponderExcluir
  31. Arruda,
    É muito fácil de ler e praticamente não se abaixa os olhos.

    ResponderExcluir
  32. Anônimo 1/2 12:32
    Experimente, faça um teste numa concessinária e depois conte-nos o que achou.

    ResponderExcluir
  33. Olá Bob. Em relação ao quadro de instrumentos, o meu sonho é que ele fosse um computador tablet de tela de 7 polegadas, posicionado à frente do volante, e que eu pudesse configurar quais instrumentos eu quero visualizar, se analógico ou digital, luz-de-troca, etc, e, inclusive, houvesse a possibilidade de escolher um modo de visualização para quando estivesse dirigindo na cidade ou na estrada. Se todas as informações já estão disponíveis no módulo de injeção, isso parece que é algo tecnicamente possível. Um abraço.

    ResponderExcluir
  34. Bob, soube dessa em um encontro do pessoal da antiga Fiesta HP. É muito útil mesmo.

    Usando um pouco o Google achei um site com explicações mais detalhadas, inclusive com o que significa cafa função.

    http://fiestawhite.wordpress.com/2010/10/19/tutorial-%E2%80%93-ativando-o-modo-test-do-seu-ford/

    Abraços

    ResponderExcluir
  35. Lubrico
    Não é mais necessário esperar a temperatura chegar ao normal para exigir do motor. Antes precisava porque os óleos não chegavam à viscosidade prevista enquanto não esquentasse, elevando muito a pressão de óleo, que chegava a danificar retentores. Também, a condensação de mistura ar-combustível era alta com motor frio, ocasionando falhas na aceleração enquanto o coletor de admissão não esquentasse. A prova do que afirmo são os motores dos carros híbridos, que entram em funcionamento em regime máximo assim que necessário, sem nenhuma espera para atingirem temperatura normal. Turbinas de aviões e helicópteros também não exigem aquecimento, é ligar e decolar.

    ResponderExcluir
  36. Octávio,
    Totalmente possivel.

    ResponderExcluir
  37. Felipe,
    Você está certo, não precisaria mesmo. O método de determinar velocidade numa via por 85 percêntil começa com um grupo de motoristas dirigindo o velocímetro coberto e estabelecendo-se aí a média de velocidade imprimida pelo grupo. Isso nos EUA, porque aqui sabemos que é a velocidade com mais chance de aumentar o faturamento com multas.

    ResponderExcluir
  38. Oliveira,
    O tema foi velocímetro, o resto dos instrumentos tanto faz. Me entendo com qualquer tipo de medidor de combustível, embora o ideal seja comlementar a avalição do que resta no tanque com a função Autonomia do computador de bordo.

    ResponderExcluir
  39. Rodrigo Savazzi
    Vi lá, perfeito. É informação típica da fábrica ou de fornecedor. Mas só em carros com odoômetro digital, como está aviso bem no começo. Obrigado por passar a mim e aos leitores.

    ResponderExcluir
  40. E os HUD (heads-up display, ou velocímetro projetado no vidro), como tem nos Camaro? O que voces acham, será uma tendência? Embora eu nunca tenha dirigido um carro com isso, achei bem interessante, espero que apareça em mais modelos.

    Sobre a temperatura: Embora eu concorde que os motores atuais já funcionem bem ainda frios, ainda acho importante saber se a temperatura de regime já foi atingida, pois se exigimos do motor frio ele geralmente consome mais, por conta da mistura mais "rica" nessas condições.

    ResponderExcluir
  41. Bob, os Focus e alguns Ecosport tinham esse recurso que o Savazzi falou. Não sei sobre os novo Focus. Além de velocímetro existem muitas outras funções que podem ser utilizadas nesse modo.

    Os ar condicionado Climatronic da VW também permitem algo semelhante, sendo, em alguns casos, possível até calibrar alguns sensores e parâmetros.

    ResponderExcluir
  42. Alexandre,
    As informações projetadas no para-brisa (HUD)são bem visíveis, mas não sei se é tendência. O Peugeot 3008 tem HUD. A fase de aquecimento é rápida e não chega a afetar consumo por conta do enriquecimento da mistura.

    ResponderExcluir
  43. Eduardo Zanetti
    Pela tabela vê-se que são procedimentos de teste. Deve ter no Focus também e igualmente nos VW.

    ResponderExcluir
  44. Sim, Bob, no ar Climatronic da VW tem acesso a mais de SETENTA funções INCLUSIVE velocidade real instantânea em km/h ou milhas caso seja necessário.

    Basta, com o carro ligado e o ar em off, apertar três teclas simultaneamente e abre o menu de funções, a velocidade é a 16 ou a 17 função, depende do carro.

    Dá até pressão do turbo...

    ResponderExcluir
  45. Eneégles Steo01/02/11 19:57

    Bob, sair acelerando o motor frio faz sair uma fumaça meio azulada, parecida com aquela de motor queimando óleo. já observaste isso? qualquer veículo, qualquer marca, até novos

    ResponderExcluir
  46. Oi Bob,
    Acredito no que diz com relação a nao precisar aquecer o motor para pisar, mas prefiro esperar, ainda depois de trocar a turbina original (K03)por outra (K04) e quase dobrar a potencia..

    ResponderExcluir
  47. Daniel Shimomoto01/02/11 20:35

    Bopb;

    Aproveitando a informação do Rodrigo Savazzi: A Ford Ranger eletronica tem algo semelhante. Desliga-se a chave de ignição, aperta-se o botão de zerar o hodometro e mantém-o nessa posição. Ligue a chave e dê a partida. Quando o motor pegar, solta-se o botão que zera o hodometro e um autoteste tem inicio.

    É só ir apertando o botão do hodometro e uma nova função aparece.

    Abs!!!

    ResponderExcluir
  48. Shimomoto,
    Tudo isso é manual do proprietário ou a informação veio de outra fonte?

    ResponderExcluir
  49. Shimomoto
    A mensagem anterior foi minha sobre a Ranger. É que eu estava logado como Autoentusiastas.

    ResponderExcluir
  50. Gosto do sistema como o do Porsche 911, além de agradar a gregos e troianos eu prefiro ter as duas medições.

    Ponteiro para o uso normal e o digital com ótima precisão para se rodar no limite(tanto se ele for da pista ou posto pelo condutor).

    Agora algo que eu nunca me toquei(ate pq não lembro de um modelo de grande volume assim) é o erro de leitura que se pode ter em carros com ponteiro no centro...

    Falando em painel no centro, não gosto, nem se for digital...

    ResponderExcluir
  51. Caio Cavalcante01/02/11 21:57

    Alexei e Eduardo Zanetti,
    Quais são esses três botões que devem ser apertados? Esse procedimento vale pra todos os climatronics?
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  52. Guilherme M.01/02/11 22:56

    Eu passei a gostar de velocímetros digitais após ver o do New Civic, que mantém o velocímetro a poucos centímetros do para-brisas, e em letras razoávelmente grandes, com o conta giros em posição de destaque "dentro" do volante.
    Mas se os mostradores forem analógicos, que sejam com o conta giros "no centro dos olhos", como nos Porsche, Subaru WRX e vários outros esportivos, e de preferência com os ponteiros apontando para baixo quando desligados, como nos Alfa Romeo e Ferrari. Ai eu gamo.

    Mas para os mostradores suplementares, eu prefiro eles no centro do painel, na mesma posição dos inclinometros do Palio Adventure Locker, e com ponteiros mesmo. Não por eu ver alguma vantagem neles, mas quando eu entro em um carro turbinado, e não vejo os três "reloginhos" (pressão do turbo, e pressão e temperatura do óleo) sobre o painel central, passa a sensação se que falta algo. Mas repudio os mostradores na coluna A.

    Aliás, se algum dia eu viesse a turbinar um Palio, eu correria atrás da carcaça dos inclinometros da Locker para acomodar os reloginhos.

    Acho que me desvirtuei um pouco do assunto.

    Ah, Lubrico,
    Geralmente, recomendam para esquentar motor, que você ande durante um tempinho com giro baixo ou médio e em baixa velocidade. É melhor esquentá-lo andando do que parado. Não sei se é verdade, mas se puderem confirmar eu agradeço.
    E vai incomodar menos seus vizinhos. Aqui no meu condomínio, um vizinho que insiste em esquentar o motor do seu Corcel 2 parado e esticando até o fim da rotação, ISSO AS SEIS HORAS DA MANHA, DE BAIXO DA MINHA JANELA! Pensei que fosse algum problema no carro, mas ele teve um Chevette e um DelRey antes e fazia o mesmo. E os três eram á gasolina.

    ResponderExcluir
  53. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  54. Também tem essa nos AC da Audi, depois eu posto aqui um passo a passo...

    ResponderExcluir
  55. Falando nisso!
    Alguém já ouviu falar de modo de teste para os GM?

    ResponderExcluir
  56. Caio Cavalcante, com o motor ligado e o ar condicionado em "OFF", aciona-se as teclas "diminuir ventilador" + "tecla azul" + ECON , e com as teclas "+" e "-" navega-se pelas funções. Essas teclas para os climatronic dos Golf GTI, tem pequena variação para os de Polo, Bora e afins.

    Provavelmente funciona para todos os Climatronic, a confirmar com o primo Alexei.

    ResponderExcluir
  57. Lutz, o AC da Audi tem as mesmas funções ou muito semelhantes ao AC da VW. Nos carros de acelerador a cabo, uma função a menos que no de acelerador eletrônico.

    ResponderExcluir
  58. Claude de Javel02/02/11 07:41

    Sou partidário do analógico, você tem noção da indicação do passado, da atual e do próximo, você se "situa" bem naquele momento.
    O mesmo acontece com os relógios de pulso e basta lembrar que os digitais foram moda e sumiram, não te "posicionavam" corretamente dentro daquelas 24 ou 12 horas.

    ResponderExcluir
  59. Acho o analógico muito mais charmoso. Já escolhi carro por causa do painel.

    ResponderExcluir
  60. Daniel Shimomoto02/02/11 14:19

    Bob;

    Essa informação eu consegui com um amigo de Belém do Pará que era proprietário de uma Ranger 3.0 eletronica como a minha. Ele disse que foi um Consultor Tecnico da Ford que ensinou a ele.

    Testei na minha e funcionou certinho. O primeiro teste aparece escrito "gauge" no hodometro. Os ponteiros vao até as rspectivas marcas maximas descem para as minimas e voltam a indicar normalmente. Depois, "bulb": Todas lampadas do painel (estranhamente não acende a lampada da vela aquecedora), e depois, conforme vai apertando o botao do hodometro, uma sequencia de uns 20 testes que eu honestamente desconheco

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  61. Para quem gosta de velocímetro digital, os novos carros da GM como o Spark cotadíssimo para substituir o Celta (veja aqui: http://playrp.blogspot.com/2009/11/spark-chega-portugal-veja-mais-fotos-do.html) tem agora "painel de moto". E não estou falando da CG 125, mas das "jaspion" que usam velocímetro digital e contagiro analógico. Os outros instrumentos ficam no painel digital. O estranho é o do novo Sail chinês, sucessor do Classic por lá que tem velocímetro analógico e contagiro digital (veja aqui, preciso arrumar o post... http://postimage.org/image/lnn2zzl0/).

    ResponderExcluir
  62. Em tempo, o novo Aveo que se chamará Sonic nos EUA terá esse tipo de painel também. Parece que será um padrão nos carros compactos da marca. Em breve vou publicar um post no meu blog.

    ResponderExcluir
  63. Para quem não quer esperar, olha o painel da criança: http://postimage.org/image/2d37rvzac/

    ResponderExcluir
  64. Senhores
    Claro que não consegui ler os 65 comentários acima, mas quero dar minha opinião.
    A melhor forma de apresentação da instrumentação é através de monitor de vídeo onde o cliente escolhe o que e como acompanhar. Meu Ipad vai fazer parte do painel do carro de trackday que estou construindo. Cronometragem "in-board" e velocímetro via GPS.
    Acho que painel de automóvel logo vai ter "service-pack" na Internet pra corrigir "bugs"

    ResponderExcluir
  65. 1k2
    Bom esse painel. Notou a posição do ponteiro quando chegar a rotação de troca? Vertical!

    ResponderExcluir
  66. Caro Bob,

    A central de boatos afirma que esse carro irá concorrer com o "New Fiesta" (ou mini-Focus?) em uma faixa intermediária entre o Ágile e o Astra, caso seja mexicanizado (o carro vai ser fabricado nos EUA).

    ResponderExcluir
  67. Bob;

    Outro dia descobri por acaso que o Peugeot 207 da minha esposa, o marcador de temperatura sobe e desce sem programação definida (tipo subir até a metade e parar)

    Até tirei foto. Depois te mando!

    um abraço

    ResponderExcluir
  68. Interessante também é o Painel do LF-A que tem "modos". E é uma tela digital que simula os "reloginhos".

    Como falaram, a tela digital é bem mais versátil que os ponteiros analógicos

    ResponderExcluir
  69. Shimomoto
    Que incrível! Será que não é defeito? Já andei em 207 e Passion e não me lembro de oscilação.

    ResponderExcluir
  70. O Honda S2000 tem mostradores bem interessantes:

    http://www.youtube.com/watch?v=nO4_XzePbg4

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...